Amiga intima das crônicas || Ponto de ruptura


Um parto normal está dentre um dos maiores medos femininos, é algo que há quem diga que não suportaria outra vez e realmente passa a não ter mais filhos. Há quem diga o mesmo e tenha outros filhos em seguida da mesma forma. Há quem diga que nem é tudo isso, e que aguenta a barra por algumas horinhas por uma causa maior.

A dor é algo que o ser humano ainda não sabe bem como lidar, seja ela física ou psicológica; e durante o parto as duas entram em ação, de um lado contrações fortes, o suor, a agonia que aumenta a cada hora que se passa, e do outro lado o medo...o medo de não conseguir, o medo de que aconteça algo com o filho que você espera ou com você mesma, o medo por entender que apesar de existir algumas coisas que são padrões durante o parto, ainda sim, todo corpo se comporta de uma forma diferente frente a cada situação. 

Quanto mais se aproxima a hora da chegada do bebê, quanto mais aumentam as contrações e dilatações maior o desespero. Em alguns caso,s as mulheres querem desistir, acham que não aguentam, estão quase lá, um empurrãozinho e pronto, mas é tão sufocante e acham que não há possibilidade de prosseguir com aquela conduta.

No final é sempre o mesmo: felizes, com o filho em seus braços , orgulhosas. Elas sempre dizem:

"Quando penso que não aguentaria, eu aguento. Quando eu penso que estou fraca, ai é que sou forte, vale a pena lutar tanto, vale a pena o sufoco, vale a pena não dar pra traz e desistir. Quando pensar que não consegue, quando se ver desesperada a um nível absurdo, é porque falta bem pouco, tão pouco que só dará tempo de piscar os seus olhos."

Você suportaria quanto?


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.