Resenha|| Herdeiros de Drácula





Será que os mortos ainda tem poder depois de serem deitados na terra? Será que nos governam, pelo poder dos mortos, dos terríveis tronos? Será que seus olhos fechados se tornam faróis ameaçadores e suas mãos se estedem para queimar nossos pés nos caminhos que marcaram? Ah, com certeza quando os mortos são entregues ao pó, o poder deles cede ao pó!


Livro: Herdeiros de Drácula
Organizador: Richard Dalby
Ano: 2017
Editora: Harper Collins Brasil
Páginas: 520


Drácula, de Bram Stoker, é a mais famosa história de vampiro já escrita, embora não tenha sido a primeira a descrever a malignidade dos mortos-vivos — muito menos a última.
Em comemoração aos 120 anos de publicação de Drácula, esta antologia única reúne 25 contos raros escritos entre 1867 e 1940 por autores igualmente geniais, como Sir Arthur Conan Doyle e M.R. James.
Herdeiros de Drácula é um verdadeiro banquete para todos os aficionados por literatura fantástica e sobrenatural, um delicioso mergulho na história desses seres fascinantes e assustadores.

Sem dúvidas, essa é uma das obras mais fantásticas que já li. Desde  1987, Drácula é uma das obras mais aclamadas no mundo inteiro por revelar o lado mais sombrio dos vampiros. Desde então, várias são as versões que nascem e renascem através dos séculos. Algumas versões deixam a desejar, mas outras sem dúvidas nos fazem amar ainda mais. Herdeiros de Drácula é uma compilação de 25 contos que irão tratar sobre: vampiros. Lançado pela Harper Collins Brasil, em uma edição única e de luxo, para quem curte o gênero e seres sobrenaturais não podem deixar essa leitura de lado.

Será que os mortos ainda tem poder depois de serem deitados na terra? Será que nos governam, pelo poder dos mortos, dos terríveis tronos? Será que seus olhos fechados se tornam faróis ameaçadores e suas mãos se estedem para queimar nossos pés nos caminhos que marcaram? Ah, com certeza quando os mortos são entregues ao pó, o poder deles cede ao pó!
Richard Dalby integra contos anteriores ao sucesso de Bram Stoker. Esses possíveis contos podem ter influenciados, segundo o autor, para o sucesso de Drácula. A obra vai narrar sobre os diversos "sugadores de sangue" que se existissem, seriam letais para para a humanidade. A leitura chega a ser bizarra e emocionante pela originalidade da escrita. Alguns autores quase esquecidos como Arthur Conan Doyle se faz presente como um dos nomes mais clássicos da literatura.

Os dois contos que destaco como favoritos são: O Poço das Lamentações (1927) e Princesa da Escuridão (1940). O mais interessante em ambos é perceber as características notórias para a época. Principalmente, quando o termo "sugar a vida" se remete também a levar embora a animosidade da alma como também a beleza da jovialidade. Talvez seja por isso que os vampiros tinham vítimas especificas. Algumas vezes jovens demais ou quase nunca velhas.


O mito em si é algo tão vivo e perpassado por entre as gerações, que uma das marcas enraizadas nos contos é a narração relatada por alguém que viu e ouviu tal enredo. Isso nos mostra que as narrativas tem marcas da oralidade, principalmente para uma época em que a produção da escrita é restrita apenas para o alto clero. O que gera uma dúvida. Quem ousava escrever tais tipos de textos? Sabemos que para a igreja tais narrativas eram heresias, que davam ao povo mais uma chance de questionar as suas crenças.

Por outro lado, esses tipos de narrativas são tão vivas e importantes para a história do homem que nem mesmo a igreja foi capaz de vetar.

Para os apaixonados por enredos sombrios, fãs de vampirismos e clássicos essa obra sem dúvida promete tirar todas as suas dúvidas, além de enriquecer nossos conhecimentos com uma leitura profunda. Richard de fato pesquisou a fundo cada detalhe e buscou as melhores histórias para chamar atenção do seu leitor! Toda a diagramação está magnifica. 

Esse é um daqueles livros que não dou, não empresto. Só recomendo! (rsrsrs)


Nenhum comentário