Eu fui! Assisti ao filme Extraordinário.

Está pronto? Você consegue. Eu acredito em você.


Estou em prantos ainda e não sei como começar essa postagem. Só posso dizer que: EU ASSISTI AO FILME EXTRAORDINÁRIO. Nunca pensei que iria me emocionar em um filme com apenas um "ai". Para quem não sabe, esse filme foi originado do best-seller que passou 32 semanas como um dos mais vendidos no Jornal The New York Times. ( Para saber mais leia a noticia da VEJA).

Minha experiência com August Pullman foi única, mais uma vez. Há exatamente três anos, eu pude ler o livro e conferir na íntegra o que esse menino tinha de tão especial para a sua autora R.J. Palacio, que deu vida ao personagem mais consagrado e conhecido como o menino Extraordinário.



August Pullman ou Auggie como gosta de ser chamado, nasceu com uma síndrome genética rara que o fez ter inúmeras dificuldades desde o seu nascimento como: ver, ouvir, comer, falar. Para sua sorte, ele conseguiu sobreviver a mais de 27 cirurgias(em todas as partes do seu corpo),  e aos 10 anos tem que conviver com uma deformidade facial que o afastou do mundo. Para lidar com a dor e o desafio, esse  jovenzinho conta com uma família bem humorada. Seus pais dão todo o suporte do qual precisa, e sua irmã, desde muito nova, cedeu o lugar de filha única para filha responsável. 


Pela primeira vez em 10 anos, a sua mãe- Isabel Pullman, acredita que é chegado a hora do seu pequeno ampliar os seus conhecimentos. Por outro lado, o seu pai Nate Pullman fica receoso com essa decisão, pois acredita que ele vai sofrer muito por sua condição. É claro que nenhum pai e nenhuma mãe quer o pior para o seu filho, mas eles não estarão presentes toda a vida para proteger o Auggie. Isabel tem muita fé na maturidade de August e pela sua inteligência ele vai tirar de letra toda a situação.

Eu chorei tanto, mas tanto quando vi a cena em que o Auggie estava a caminho da escola . Dava para perceber o receio nos olhos do Nate e a ansiedade que a Via Pullman(sua irmã) ficou ao ver que o seu irmãozinho iria enfrentar uma legião de desconhecidos que o olhariam de forma preconceituosa.

Assim como no livro, o filme nos apresenta o modo que o Auggie vê o mundo. Ele é um fã de Star Wars, e em alguns momentos percebemos que as suas tomadas de decisões dependiam da opinião desses personagens, ou melhor, a voz interior desses personagens em seu imaginário. Para cada situação ele tentava imaginar como os personagens de Star Wars reagiriam. Outras paixões do menino são astronomia e ciências, não é a toa que o seu companheiro de viagem é um capacete de astronauta, o qual usou em diversos momentos no mundo exterior.

Fiquei tão vislumbrada ao perceber que o diretor Stephen Chbosky escolheu um elenco de peso e caprichou nas cenas para emocionar a todos os públicos. O nosso protagonista foi interpretado por Jacob Tremblay, o mesmo garotinho que interpretou o Jack, no filme O quarto de Jack (ai, esse é outro filme LINDO). Para interpretar o casal Nate e Isabel Pullman contamos com a presença de Owen Wilson, que interpreta grandes filmes de drama e comédia, o qual ficou conhecido pelo filme Marley  & Eu; e a nossa querida Julia Roberts, conhecida pelo filme Noiva em Fuga. E para fechar a listinha da família Pullman, temos Izabela Vidovic que interpreta Via Pullman, irmã do Auggie. Ela ficou conhecida na série The Fosters e The 100. 


Contamos com a presença de núcleos e personagens secundários que se entrelaçam muito bem na trama. A esse exemplo temos Jack Will e Julian, interpretados por Noah Jupe e Bryce Gheisar, respectivamente. Ambos ficaram responsáveis em apresentar a escola ao Auggie, antes que as aulas iniciassem. Juntos, esses meninos são terríveis e cometem bullying-  um crime grave com o qual nos deparamos. Por outro lado, um deles vai se tornar o melhor amigo de August e juntos vão mostrar ao mundo que uma amizade pode mudar a vida de muitas pessoas.

Como professora eu devo dizer que o personagem mais icônico e que merecia destaque maior era o Sr. Brown ( interpretado por Daveed Diggs), um cara tão humano e influenciável, que tu poderias assistir qualquer aula dele sem piscar os olhos. O que ele tem de especial, Amanda? Antes de iniciar suas aulas, ele leva os seus alunos (com pouca idade) a questionar sobre a vida, em forma de "preceitos" ou frases bem conhecidas para chamar atenção da turminha. É por isso que Brown se torna um dos professores favoritos do menino e também uma válvula motivadora para apoiar o garoto em seus projetos, até mesmo quando ele não parecia focado.


No filme não percebemos tanto a presença de Brown, quanto no livro. Por outro lado, seria difícil não notar que cenas importantes com o nosso querido professor não foram colocadas. Posso chorar também?!

Produzido pela Lionsgate, Extraordinário é um filme para relembrar o quanto amamos a leitura do livro. Evidencia por meio das imagens, a dura realidade de qualquer pessoa que sofre com algum tipo de doença genética séria. Como também demonstra o bom humor de uma família unida, que não se deixa vencer pela angústia de ver um filho passar por mais de 27 cirurgias e não saber qual será o próximo passo.

Deu para entender bem o por que não quero comparar o livro com o filme não é? Cada um tem suas particularidades e merecem serem vistos sob as duas perspectivas. Confesso que a minha mente ainda está tentando assimilar cada cena, cada fala para escolher a favorita. Esse foi o único filme que só pelo trailler me fez chorar, não pelo teor dos assuntos, mas pela forma que Auggie conseguiu enfrentar os seus medos e preconceitos. Ele nos mostra que nada é impossível e que cada ser humano é diferente, tem suas particularidades. Como a sua irmã Via falava, ele não nasceu para ser comum, mas para se destacar no meio de pessoas que se consideravam "normais". Ele simplesmente é extraordinário e foi lindo (re)ver a última cena do filme concordar com o livro ao dizer que "Todo mundo deveria ser aplaudido de pé ao menos uma vez na vida."



Quem puder ir ao cinema não perca tempo! Pelo contrário, esse filme é ganho do seu tempo. Chama aquela pessoa bacana e vai preparado com lencinhos porque o Auggie não vai apenas te fazer chorar como também vai arrancar boas risadas. Posso dizer que encerrei o meu 2017 com a experiência mais linda que já tive: vê o rostinho do August e me apaixonar por ele assim como o seus pais. 

E para quem está na dúvida se vai ou não assistir, confere o trailler:



Ah, e para quem não quer de jeito algum assistir ao filme sem antes ler o livro, vou deixar os links de compra e do Skoob para que vocês possam saber um pouco mais sobre a obra, lançada pela Editora Intrínseca.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.