Resenha || Trilogia Sevenwaters - Filha da Floresta



"O que se seguiu é muito difícil de descrever. Contei apenas a alguém uma vez, porque precisei, e narrarei aqui porque é um fato que faz parte da trama de minha história (...)" p. 228

Título: Filha da Floresta - Trilogia Sevenwaters # 1
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly Editora
Ano: 2012 | Páginas: 608


Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.


 


Sevenwaters, um feudo místico de florestas misteriosas com neblinas que surgem do nada e chuvas que caem a céu aberto; controlada por Lorde Colum, um viúvo rígido e pai de seis filhos e uma filha, a doce-selvagem Sorcha. Entre tantos contos que tornam-se a realidade dessa comunidade medieval irlandesa, Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho narrará o seu próprio conto e todo o seu sofrimento e sua jornada contra um mal que se apossou das suas terras e aprisionou seus irmãos em uma maldição. 

Aos treze anos, Sorcha, a mais nova entre todos, sobressaía-se da magia arraigada ao seu sangue e ao de seus irmãos através de seu dom curativo. Sempre preparando ervas e infusões, assim como sempre agradecendo à natureza e aos Seres da Floresta que protegiam a comunidade e que estavam além da compreensão da nova fé cristã, que se espalhava e convertia, tornando sua cultura "pagã" motivo de desprezo e guerras.

Narrado ao longo de mais de três anos de sua jornada e aflição, Sorcha passará da pacificidade de sua infância, quando era criada pelos seus seis irmãos devido a distância do pai, até as consequências de viver sozinha, na floresta, para recuperar seu lar e seus inestimáveis irmãos, após a chegada de Lady Oonagh, sua nova madrasta que inicialmente sedutora e de uma gentileza fria, destruirá tudo o que tiver à vista.
Semi-inconsciente, sonhei que alguém me envolvia em uma manta e me aquecia até eu dormir, em segurança. Acordar daquele sonho ensopada e tremendo de frio, foi cruel.  p. 192 
É uma história gradual, afinal, é um grande conto com outros menores ao longo de sua narração, o que me envolveu muito, pois além da própria história de Sorcha e de sua família, conhecemos a história de seu feudo e de outros através de parábolas culturais antigas que são contadas pelos personagem e enriquecem a trama, e alguns personagens que nos cativam e outros que nos causam repulsa. O livro também apresentará um romance, mas as vezes me sentia incomodada ao lembrar o quão jovem Sorcha é, mesmo ao longo dos 3 anos, diante de seu desenvolvimento forçado.

Me senti extremamente conquistada pelos irmão de Sorcha, o amor e a conexão entre eles é tão envolvente, tão cuidadosa e palpável que havia momentos em que eu desejava ter aqueles seis irmão (risos), e entendia porque passar por todo aquele sofrimento solitário ao qual a personagem passou. E quanto sofrimento! As vezes, me esquecia que a protagonista começou a enfrentar tudo o que enfrentou aos treze anos com sua própria maldição para quebrar outra maior, e como ela se desenvolveu precoce e forçadamente, perdendo a inocência e a magia da infância e adolescência. A autora, como expôs em suas notas, quis e passou as facetas do ser humano, desde o mais puro sentimento fraterno, até a crueldade e o horror repugnante que ainda mancha nossa realidade, e me sentia com vontade de entrar na história e ajudar Sorcha diante da barbárie que ela teve que passar em certos momentos enquanto lutava pela sua família.

Filha da Floresta é baseado no conto dos Cines Selvagens (ou os Seis Cines) dos Irmãos Grimm. E como disse, o livro tem uma leitura gradual, o que não o torna menos viciante diante de tantos acontecimentos; você consegue ver ao longo dos anos da narração o quanto os personagens se transformam, o quanto sofrem e o quanto aprendem em contato com outros, e isso é uma das coisas mais marcantes da história, você compreende os caminhos que seguirão, e por mais que uma fraçãozinha torça por aquele "felizes para sempre" para os irmãos de Sorcha e seu povo, assim como pelo seu amor, você entende que a jornada não é flores e rosas e que não se passa por ela sem ser marcado, ou marcar alguém de alguma forma.

11 comentários

  1. Oi Caty, tudo bem?

    Tenho o primeiro livro dessa série, mas ainda não consegui ler. Quando chegou eu estava bem ansiosa para ler, mas depois foi passando a euforia e fui deixando para depois. Já li comentários dizendo que esse livro era muito bom. Vou tentar ler no começo do próximo ano ou assim que surgir uma oportunidade.

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem? Já faz um tempo que eu li essa obra, mas lembro até hoje do quão emocionante ela é principalmente pela relação dela com os irmãos e a forma como tudo acontece. Realmente é uma obra bem intensa e totalmente cativante, principalmente quando se trata de uma história que não se baseia em finais felizes prontos e que demonstram o fato de que a vida não é um mar de rosas. Os outros são tão bons quantos, recomendo <3
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Essa trilogia me parece ser bem interessante e com uma trama bem envolvente.
    Sua resenha me deixou com vontade de realizar essa leitura, mesmo sendo um gênero que leio pouco.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  4. Oi, á vi essa trilogia há algum tempo mas não consegui me convencer a ler ainda rs Gosto do que leio sobre, como a sua resenha, mas não é muito meu estilo. Continua na minha lista. Bjs, Tell me a Book

    ResponderExcluir
  5. Oii tudo bem???

    Tenho esse livro na estante mas nunca tinha imaginado do que se tratava a historia.
    E me surpreendi. Muito interessante. E por se basear em historias dos Irmãos Grimm, deve ser bem legal.
    Adorei a resenha
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Gosto bastante de releituras de contos de fadas. Já tinha ouvido falar da série, mas não sabia exatamente do que era. Confesso que a capa não me atrai muito, mas acho que iria gostar da história.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  7. Oiii,

    Legal a história ter te conquistado, é muito bom quando isto acontece. Parece realmente ser uma leitura bem interessante, com elementos que tem tudo para surpreender. Vou procurar saber um pouco mais sobre a história e ver se dou uma chance.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi. Tudo bem?
    Olha, a sua resenha não é a primeira que leio sobre o livros, mas a sua resenha foi a que melhor me apresentou o livro. Não tinha muita noção da história e dia personagens, agora tudo faz mais sentido. Deu para perceber que é uma história bem intensa. Aquele tipo de livro que realmente nos envolve e nos causa reações. Eu, particularmente, gosto de livro assim. Saber que foi inspirado em uma das histórias dos Irmãos Grimm já ganhou a minha admiração. Agora fiquei com vontade de ler.
    Abraço 😀

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu tenho visto muitas pessoas elogiando este livro, porém, ainda não senti muita curiosidade em ler. Apesar de fantasia ser um gênero que eu amo, sinto que fica faltando algo para me instigar a ler. Ou, talvez, é só uma questão de não ser o que procuro no momento e, mais para frente, posso querer ler.
    Eu não sabia que o livro era baseado no conto Os cisnes selvagens e isso foi o ponto que me deixou um pouco mais curiosa. Lembro que gostei muito deste conto quando era pequena.
    De qualquer forma, fico feliz que você tenha gostado da leitura e adorei a sua resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá ♥
    Tenho uma curiosidade enorme em fazer a leitura desse livro. Sua resenha já na primeira linha me causou um impacto do tipo " Tenho que ler agora" Estava mesmo em busca de um livro de fantasia para me tirar da ressaca, foi dica dos meus amigos. Eles disseram que se eu lesse uma boa fantasia com toda certeza a ressaca vai embora. Não sabia que esse livro era baseado em um conto achei bacana essa curiosidade. Parabéns pela resenha e pela forma cativante que você escreve. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Eu não conheço o conto original, mas acho que deve ser interessante conhecer algo baseado nele e depois fazer a leitura daquilo que inspirou a autora. Dica anotadíssima.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir