Amiga íntima das crônicas|| Não sou apenas um sopro!




"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."

Acordei bem cedo para olhar algumas atualizações no insta e em outras redes sociais. Fui em uma tag específica para vê os assuntos do momento e um me chamou atenção. Nele uma blogueira mandava boas vibrações para uma jovem chamada Nara Almeida (@almeidanara), que também é blogueira. Eu não entendi no primeiro momento sobre o que se tratava, até perceber que ela está lutando contra um câncer grave e para sua tristeza recebeu a notícia de que a doença havia se espalhado e não há possibilidades de cura, na medicina. 
Ao ler isso eu senti uma dor imensa, mesmo sem conhecê-la fiquei pensando sobre o quão ela tem sido forte. Fui olhar as fotos do seu IG e vi várias fotos dela sorrindo, comentários desejando força, boas energias e principalmente coragem.Com tudo isso, eu fico a me perguntar: Quem sou eu para achar que a vida é um sopro?


Não, não é. Não somos um sopro que vai embora e se acaba. Para alguém somos e seremos eternos. Nossas marcas ficam aqui e permanecem aqui mesmo que não seja fisicamente. Me orgulho pensar dessa forma, é menos doloroso. Eu acredito fielmente que haja sim cura, para além do nosso entendimento. A fé, independente de religião, modifica o homem. As boas vibrações neste mundo podem fazer coisas inimagináveis.


Eu não sei quanto tempo de vida eu tenho, o que sei é que Nara realmente está lutando por si, dia após dia, e mesmo sem entender o por quê aquilo está acontecendo com ela, ainda sim, há um sorriso estampado em seu rosto para viver cada minuto e não achar que um diagnóstico pode ser o seu fim.
E, nós... Temos agradecido a cada dia pelas mínimas coisas?
Isso é o mínimo que podemos fazer. Porque a vida é um presente. A saúde é uma relíquia. O sorriso é a retribuição mais singela para tudo isso. 


Nosso ego, muitas vezes, exige coisas que estão além do nosso alcance. E, mesmo assim tratamos de buscar, cavar até o último fio de terra para conseguir. Ao ler algumas legendas da Nara, eu perguntei: Por que eu sempre quero mais? Eu já sou feliz com o que tenho. Com quem tenho e muitas vezes não dou valor a isso.Sim, há seres humanos egoístas. E, por pensar diversas vezes assim eu me considero uma pessoa egoísta. 


Hoje, ao conhecer a história de Nara me senti privilegiada porque sei que agora vou agradecer mais do que reclamar e pedir.Ela sabe que a vida dela não vai parar por aí, e ela irá realizar. Ou melhor, já está realizando coisas lindas. E, nós, que aqui estamos: bem. Temos a oportunidade de agradecer e fazer cada minuto valer a pena. E lembre! Você não é apenas um sopro.

Para acompanhar sobre essa guerreira, acesse:

Nenhum comentário