RESENHA|| CONTOS DE FADAS: EM SUAS VERSÕES ORIGINAIS#3


Contos de Fadas em suas versões originais
Título: Contos de Fadas: Em suas versões originais|Org: Marina Avila| Editora: Wish
Páginas: 176| Ano: 2017
Avaliação: 
Onde comprar: Site da editora

A FANTASIA DOS CONTOS DE FADAS, ETERNIZADA PELOS ENCANTOS DO PASSADO.
Você já conhece os contos de fadas originais? Publicados entre 1600 e 1800, estas versões foram esquecidas por muitas décadas por conta de seu teor mais adulto, complexo e imaginativo.
Mas os autores de fantasia não vivem apenas de aventuras. Desde a delicadeza e amor de O Bravo Soldado de Chumbo até a genialidade em As roupas novas do Imperador, os contos de fadas são celebrados neste tesouro do passado.
Conheça as versões clássicas de contos como A Bela e a Fera e Rumpelstiltskin e deixe-se estender até histórias russas e nórdicas como Baba Yaga e A Leste do Sol e Oeste da Lua.
Uma edição imperdível com 13 contos e mais de 60 ilustrações de livros antigos para jovens e adultos que cresceram envoltos no fascinante universo da fantasia.


Desde adolescente sempre fui apaixonada pelos contos de fadas e as narrativas infantis que me tiravam da realidade e me impulsionavam a ser criativa. Além disso, o fascínio por autores como Irmãos Green, Madame Beaumont, Jane Austen, Victor Hugor, J.M Barrie, Alexandre Dumas e principalmente Antoine de Saint- Exupéry me tornaram uma leitora e formadora de opinião. Eu nem preciso lembrar que essas leituras nos impulsionam a ler outros textos. Por isso ao ler CONTOS DE FADAS: EM SUAS VERSÕES ORIGINAIS revivi boa lembranças. Os contos são de fato originais e a obra como um todo é recheada de ilustração, o que só aumenta a vontade de ler. Este é o terceiro livro lançado pela Editora Wish e reúne 13 contos que vão mexer com sua imaginação.


Li todos os 13 contos com o coração quase explodindo de alegria. O que sempre chama a minha atenção é o conto da Bela e a Fera, que ganha várias releituras com o passar do tempo. O mais interessante é que cada cultura que o reconta costuma colocar seus hábitos, sua linguagem e até mesmo uma nova roupagem com a incrementação de personagens. A mais antiga versão foi escrita por Madame Beaumont que cria um ambiente, no qual ricos e pobres tem seu destino traçado, ou não. Afinal, o que faria um estranho comerciante em uma mansão com um labirinto imenso? Foi certo ele arrancar uma flor e atiçar a Fera? Por consequência ele perdeu uma filha, mas ele não sabia que essa mesma Fera se apaixonaria não pela beleza exterior, mas pela beleza interior da jovem.

"Bem-vinda, Bela,
Esqueça o medo que te invade.
Aqui é rainha, é senhora:
Diga seus desejos, sua vontade
E serão cumpridos sem demora."

Foi a segunda vez na vida que li O gato de botas, de todos os contos de fadas em sempre dou boas gargalhadas. Uma vez que este personagem é icônico e também se faz presente em outras estórias, como por exemplo Shrek, um grande sucesso em filme que reúne vários contos infantis. O gato de botas nos ensina a ter astúcia (Não contavam com minha astúcia?! Velho El Chavo) e não tirar proveito de algumas situações. Mas, claro! Não roubem por favor! haha. 

"... você não precisa fazer nada a não ser me dar uma sacola e um par de botas para mim para que eu possa correr por sobre terras e galhos e você verá que eu não sou um quinhão tão ruim como imagina."

São 13 contos para rir, chorar e aprender muito como também refletir sobre temáticas sociais presentes. Mesmo não sendo uma fábula, com uma moral da estória, essas narrativas nos ensinam muito sobre sermos humanos e por esse mesmo motivo erramos, mas no final é possível conseguir o perdão e ser uma nova pessoa. Basta querer.


Marina Avila está de parabéns por organizar os contos em uma ordem estratégica. A tradução da obra também está muito bom, com uma linguagem acessível, mas que não foge dos usos da linguagem formal, pois remete a época e escrita dos autores. As ilustrações complementam a leitura de modo que mergulhamos fundo no lindo mundo da imaginação!

Tendo lido na versão digital, pude perceber o jogo de cores e a escolha do estilo de imagem. A pegada clássica torna a obra como um todo única. A revisão está boa bem como a diagramação. Em breve pretendo reler a obra, pois vale a pena. Principalmente porque temos vários contos em um único livro. Para os apaixonados por clássicos dos contos de fadas é mais que recomendada. Ah, quem ache que contos de fadas são apenas para crianças. Pelo contrário, nós adultos precisamos! E muito...

Nenhum comentário