ESPECIAL || 5 DIAS COM RAFANI #4 ENTREVISTA


Dizem que uma das melhores formas de conhecer um livro é conhecendo bem o gênio por trás da obra, por isso hoje trago para vocês uma entrevista linda com a autora Sinéia Rangel. Através dela iremos conhecer melhor a autora e sua obra e ficar ainda mais encantados com Rafani. Vamos nessa?



1-  Como surgiu o livro Rafani? Porque não é apenas uma história, são várias que vão se encaixando e elaborando um enredo incrível. Conta um pouco sobre como foi escrever esse livro.

Rafani surgiu do desejo de deixar o “faz de conta” para trás. Infelizmente, abuso sexual é algo recorrente na nossa sociedade e marca a vida de milhares de crianças e adolescentes todos os dias, fui uma delas e cansei de fingir que esqueci. Quando comecei a escrever Rafani os temas vieram junto com a personagem e só pude desenvolvê-los porque o Sam tem uma personalidade totalmente contrastante com lado “sombrio” do livro, foi a partir dele que a história da Rafani se tornou viável, porque Sam trouxe leveza para os dramas vividos por ela.

2-  Qual foi a sua inspiração para a Rafani e sua história tão dolorosa e obscura? 

      Quando me perguntam sobre isso, o que é muito recorrente (haha), a resposta é sempre a mesma: Rafani é um mosaico, ela representa parte de quem eu sou, ela representa milhares de mulheres, crianças e adolescentes que são vítimas de violência sexual todos os dias e se calam, seja por medo ou vergonha.

3-  Qual o seu personagem favorito desse livro e porque?


Difícil escolher um, amo o Sam, o Murilo, a Rafani, mas a Bárbara é com quem mais me identifico, então vou ficar com ela. Bah foi uma personagem que inicialmente não deveria ter voz ativa, mas quando dei por mim, ela estava gritando na minha cabeça e eu estava chorando com ela, mais do que havia chorado com a Rafani.

          4- Você tem uma playlist desse livro? E se sim, pode compartilhar com a gente?

                Play list Rafani - Completa  


5-  Não tem como não sentir um aperto no peito ao ler essa história. Apesar dos pontos divertidos e do romance lindo, há também esse lado mais obscuro que com certeza desperta empatia no leitor. Foi difícil para você escrever esses pontos? Conta um pouco dessa experiência.


Foi muito difícil, as cenas de pedofilia foram dolorosas, minhas emoções foram da raiva às lágrimas, mas sentia que elas precisavam ser escritas, o leitor precisava “ver” a realidade, porque o que está escrito ali faz parte da vida de muitas crianças e adolescentes. Vivemos numa sociedade onde as pessoas preferem fingir que o abuso sexual não existe, elas desacreditam e minimizam situações de abuso, precisamos mudar isso, as vítimas precisam ter voz, elas precisam ser acolhidas.

6-  Foi lindo ver não o amadurecimento do Sam, porque ele sempre foi maduro e bastante consciente, mas e entrega dele a um relacionamento tão complicado. Você se inspirou em alguém para criar o Sam, se sim em quem?


Não, Sam é totalmente fruto da minha imaginação. Um puto fofo, divertido e com uma simplicidade tocante.

7-  Toda história, mesmo que não seja um conto de fadas, tem uma moral por trás e cada leitor consegue interpretar essa moral a sua maneira. Você como autora queria passar alguma lição especifica aos leitores? Se sim, qual seria?


Queria deixar uma mensagem para vítimas de abuso sexual, queria que elas entendessem que não são e nunca serão culpadas ou cúmplices, elas são vítimas e devem sim gritar aos quatro cantos, calar não é uma opção, porque apenas fortalece os agressores.

8-  Rafani é doloroso porque é real. É absurdo a quantidade de casos que vemos sobre o assedio a mulher e como na maioria dos casos não há justiça para elas, ou de vitimas elas passam a ser acusadas. Você pretendia chamar a atenção para esse fato ao escrever esse livro?


Sim, mesmo que minimamente, esperava que Rafani ajudasse os leitores a compreender a gravidade do assunto e, principalmente, que os agressores podem estar nos lugares mais inesperados.

9-  Rafani é 10 anos mais velha que Sam e em nenhum momento a diferença de idade entre eles foi abordada por eles ou por seus familiares como um ponto contra esse relacionamento. O romance deles foi inspirado em algum caso real?


Não. Sam surgiu primeiro, com todo o seu jeito moleque de ser, e a partir daí veio a Rafani, uma mulher sofrida, com uma bagagem pesada demais para levar sozinha. Quando eles começaram a ganhar forma nos meus pensamentos, estavam intrinsecamente relacionados a música “Eduardo e Mônica”.

10- Deixa uma mensagem para os seus leitores.



Obrigada, de todo o meu coração, por vocês abraçarem as minhas loucuras, por permitirem que essas personagens ganhem vida e continuem contando suas histórias por aí.

                                 SOBRE A AUTORA


Sinéia Rangel nasceu no interior da Bahia e encontrou nos livros refúgio o passaporte para um mundo infinitamente maior do aquele à sua volta. Psicóloga, geminiana, viciada em livros, filmes, seriados, música e chocolates, e uma eterna apaixonada por poesias, rock e histórias de amor. 



E ai o que acharam dessa entrevista? Preciso nem dizer que além de autora talentosa a Sinéia é um amor de pessoa né? Não esqueçam de adquirir o livro. Rafani está saindo por 35,00 com frete grátis e brindes exclusivos. Aproveita!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva