RESENHA|| FRAGMENTADOS


Título: Fragmentados (Unwind-English)|Autor: Neal Shusterman|Editora: Novo Conceito
Ano: 2015| Páginas: 320 
   
Avaliação: 
Onde comprar: Amazon

Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria.
Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos, desde as mãos até o coração, é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.

****BOOK TRAILER *** 


"Quando se é um fragmentário não dá pra confiar em que está ajudando.”

"A Lei da Vida declara que a vida humana não pode ser tocada desde o momento da concepção até que a criança chegue à idade de trezes anos. No entanto, entre os treze e dezoito, a mãe ou o pai pode escolher “abortar” retroativamente uma criança...... com uma condição de que a vida da criança não tenha fim ‘tecnicamente’. O processo pelo qual uma criança é ao mesmo tempo eliminada e mantida viva é chamado de ‘fragmentação’. Agora, a fragmentação é uma prática comum e aceita pela sociedade.”

Nessa distopia somos levados a conhecer: Connor, Lev e Risa. Connor: um jovem problemático, que será fragmentado, pois, os pais assinaram a triplicata; Lev: uma criança que sofreu lavagem cerebral desde cedo e acredita que ser um dízimo é uma bênção de Deus, e sem nenhuma objeção aceita seu destino: ser um fragmentário; Risa: Uma jovem que vive em casa estatal, abandonada por seus pais e entregue ao estado, o estado não pode mais custeá-la, por isso, será entregue a fragmentação.

Connor é um jovem rapaz definido como problemático, esquentado e que não leva desaforo para casa, mas por trás do seu gênio forte, mora a decepção que tem pelos pais e por todos aqueles que pensava que o amavam. Decepcionado com o mundo, ele resolve não baixar a guarda diante de um governo que quer despedaçá-lo literalmente. Durante sua jornada ele aprenderá que poderá contar com algumas pessoas, e que a chave de sua libertação estar em ser líder (mesmo sem querer).

Risa tem um lindo talento musical, tem a destreza de tocar piano e essa maneira a faz se desvencilhar de um passado que infelizmente não é um dos melhores. Será entregue a fragmentação, pois a Casa Estadual não pode mais custear sua morada. Todos os sonhos da Risa vão por água abaixo, até que seu destino se cruza com uma pessoa que mudará sua forma de pensar e agir. Sempre destemida, não deixará ser dominada e lutará com todas as suas forças para chegar aos dezoito anos.

Lev é apenas uma criança, mas já tem em mente que ser um dízimo é algo divino. Sempre foi um bom filho, e sempre acatou tudo o que os pais decidiram pro seu destino. Nem sempre o verdadeiro amor está presente nas famílias, isso Lev descobrirá da pior maneira que pode imaginar. As vezes, vivemos uma vida inteira imaginando que estamos fazendo algo bom, quando na verdade estamos sendo manipulados com meros fantoches, sem ideia nem opinião própria. 

Roland sempre quer ter postura de líder, impõe respeito a todos que o cercam, mas seu gênio violento o faz ser vítima do governo que precisa desmembrá-lo, afinal, ele não fará falta a ninguém. Sempre foi desconfiado e troca os pés pelas mãos e pode acabar muito mal. 

No dia em que Connor é levado para o campo de colheita, local onde ocorre a fragmentação, ele se rebela contra os juvis (policiais responsáveis pelos fragmentários), e tem uma atitude que mudará sua vida para sempre. Por outro lado, Lev está muito feliz por ir ao campo de colheita, mas por obra do destino sua vida é mudada para sempre depois que Connor invade seu carro e o faz de refém. Risa está no ônibus, pronta para chegar ao campo de colheita e por fim receber seu destino, mas o ônibus é lançado para o grande engavetamento que o Connor provocou devido a sua atitude de salvar a si mesmo.

Nossos três protagonistas se encontram e juntos terão que fugir de um governo que quer desmembrá-los e dar as suas respectivas partes a outras pessoas. Risa e Connor estão prontos para assumir uma postura de desertores e permanecerem salvos até os 18 anos. Durante essa peleja, ainda terão que convencer o Lev de que ele não é um dízimo, que nenhum pai ou mãe que amasse seus filhos faria isso com uma criança, nem a faria acreditar que a fragmentação é uma bênção de Deus.

Durante seus trajetos, os nossos heróis se escondem em uma escola e lá encontram uma professora que os ajuda a conhecer uma senhora que os manterá a salvos por um tempo. Connor e Risa permanecem juntos, mas Lev foge e se aventura por si só, conhece outro garotinho que tem órgão de outra criança e sofre as consequências dessa junção.

Connor e Risa chegam ao CEMITÉRIO, este santuário secreto (não tão secreto) para fragmentários desertores é um imenso cemitério de aviões no deserto de Arizona. Será que estão todos salvos nesse cemitério? 

Nesta distopia do Shusterman, nós somos levados a uma série de questionamentos. Será que uma lei que “dividisse” os adolescentes problemáticos seria a solução para a sociedade? Será que essa lei não provocaria uma guerra civil? O aborto retroativo não é tarde demais? Só porque a lei diz, significa que é verdade?

Sem dúvidas esse foi um dos meus livros favoritos, a escrita do Shusterman é leve e muito prazerosa. Ele entra em questões sociais como aborto, redução da maior idade etc; sabemos que vivemos em uma socieade em que as leis existem, mas nem sempre (ou quase sempre) são cumpridas. Será que se essa lei existisse de verdade estaríamos salvos dos menores infratores, seres-humanos vistos e como malfeitores? Um coisa é certa, se a lei existisse no Brasil ia faltar campos de colheita. 

"Fragmentados'' merece está na sua estante! Esse livro vai fazer você pensar sobre questões sociais e a se posicionar criticamente sobre as leis que nos cercam. 

ATENÇÃO: Segundo informações que circulam na internet o livro será adaptado para o cinema. As informações dizem que será uma produção da "Constantin Filme e sera dirigida pelo diretor Roger Avary.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva