RESENHA || GAROTA EM PEDAÇOS


Título: Garota em Pedaços | Autora:  Kathleen Glasgow  | Editora: Planeta livros | Ano: 2017 | Páginas: 384 

                              
                  Onde comprar: Saraiva 
          Avaliação: 
Além de enfrentar anos de bullying na escola, Charlotte Davis perde o pai e a melhor amiga, precisando então lidar com essa dor e com as consequências do Transtorno do Controle do Impulso – um distúrbio que leva as pessoas a se automutilarem. “Viver não é fácil. ” Quando o plano de saúde de sua mãe suspende seu tratamento numa clínica psiquiátrica – para onde foi após se cortar até quase ficar sem vida –, Charlotte Davis troca a gelada Minneapolis pela ensolarada Tucson, no Arizona (EUA), na tentativa de superar seus medos e decepções. Apesar do esforço em acertar, nessa nova fase da vida ela acaba se envolvendo com uma série de tipos não muito inspiradores. Cansada de se alimentar do sofrimento, a jovem se imbui de uma enorme força de vontade e decide viver e não mais sobreviver.



Em meio a este delicioso caos de leitura, Charlotte, ou simplesmente Charlie, como gosta de ser chamada, tive uma experiencia única. Primeiramente gostaria de dizer que este não é um tipo de história para deixar um pouquinho dentro de você, pois ao finalizar a leitura senti uma vontade imensurável de exalar tudo que consegui sugar desta experiência.
"Cada aberração na minha pele é uma música. Encoste a boca em mim. Você vai ouvir uma cantoria infinita"
Foi ao acaso que este livro chegou até minhas mãos, mas acredito que tudo tem seu propósito, e o propósito de Garota em Pedaços, foi marcar para sempre minha vida.Esta obra espetacular nos apresenta a história de uma adolescente que sofreu bullying, perdeu quem mais amava, não é amada pela mãe e busca um refúgio na automutilação.

"Eu me corto porque não consigo lidar com as coisas. É simplesmente assim. O mundo se torna um oceano, o oceano cai em cima de mim, o som da água é ensurdecedor, a água afoga meu coração, meu pânico fica do tamanho do mundo. Preciso de libertação. Preciso me machucar mais do que o mundo pode me machucar. Só assim posso me reconfortar"
A história começa em uma clínica de reabilitação. No começo não entendemos muito bem o que está acontecendo, mas logo aterrizamos no enredo e tudo flui com uma rapidez inexplicável. Pior do que toda dor que Charlie provoca a si mesma, a pior delas é: ela não acredita que é capaz. 

"Eu sou meu pior desastre. Fiz uma coisa idiota com uma pessoa. Eu só queria me sentir melhor. Meu corpo é meu maior inimigo. Ele quer, ele quer, ele quer, e quando não consegue, grita, grita e grita, e eu o castigo. Como se pode viver com medo de si mesma?"
Para fugir do círculo vicioso da dor, Charlotte usa seu talento para o desenho e foca em algo produtivo, embarcando de cabeça no mundo das artes. Esse é o caminho que ela traça em busca da cura para as feridas deixadas por suas perdas e os cortes profundos e reais que imprimiu em seu corpo

"Preencho cada canto do papel, até ter um mundo inteiro de saudades."

Charlie é uma garota que sofreu muito durante toda sua vida. Sua trajetória é muito pesada o que torna a leitura um tanto quanto delicada. Delicada ao ponto de todo seu sofrimento mexer muito com o leitor em determinados pontos do livro, o que traz uma questão conflitante: será que o que ela faz realmente alivia a dor?

Inusitadamente, ela consegue uma liberação da clinica de reabilitação e tem que enfrentar a vida lá fora, sozinha, junto com as únicas coisas que lhe restavam da vida: seus desenhos e seu kit amor (para caso resolva se cortar novamente, tem os primeiros socorros necessários).

"Todo mundo tem esse momento, eu acho, o momento em que uma coisa tão... Crucial acontece e que parte seu ser em pedacinhos. E aí, você tem que parar. Por um tempo, para recolher os pedaços. E demora tanto, não para juntá-los novamente, mas para montá-los de um jeito novo. Não necessariamente melhor; mas de um jeito com o qual você possa viver até ter certeza de que essa peça devia ficar ali e aquela outra aqui."
Durante sua nova vida, pessoas vem e vão, mas aquela que realmente marcou, mais de uma forma negativa do que positiva, foi Riley: um ex cantor de uma banda de rock que se perdeu para o alcool e para as drogas. Mas antes de mostrar sua verdadeira face, ele ensinou uma lição muito importante para Charlie:

"É assim que corações são partidos, sabe? Quando você acredita em promessas"

Uma brilhante obra cheia de reviravoltas e que causa, a todo instante, borboletas milhares dentro do estômago. Parafraseando a brilhante Nicola Yoon,é uma história que vai acompanhar por muito tempo mesmo depois de ler sua última página.

Uma obra tão delicada quanto o assunto que aborda. Quantas pessoas ao nosso redor não sofre em silêncio com este transtorno? Nem que eu quisesse eu conseguiria expressar meus sentimentos por Garota em Pedaços em palavras. É uma típica obra que não é para ser explicada, apenas sentida. 

E eu senti muito. Muita alegria ao saber que uma obra tão desejada veio parar em minhas mãos. Tristeza por me envolver completamente com a vida de Charlie. Esperança por saber que até mesmo a pior das dores tem um "final feliz"

"As pessoas deveriam saber sobre nós. Garotas que escrevem a dor que sentem nos corpos"
Todas as pessoas realmente deveriam saber. Uma trajetória escrita no corpo. Cada cicatriz, uma história.Leitura indicada para mentes fortes.

14 comentários

  1. Bem, não conhecia, mas fiquei com muita curiosidade =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem Amanda?

    Então, eu já vi esse livro no catálogo da Planeta de Livros e achei interessante, só não solicitei pois tenho outros livros em mente primeiro. Deu para perceber por sua resenha que você curtiu a leitura e esta tocou em suas emoções, isso é bom. Dica anotada!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Parece ser uma leitura muito boa, porém pesada... Não sei se leria no momento, mas com certeza pretendo ler um dia. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Olá Amanda, tudo bem? Eu já tinha visto esse livro e confesso que o titulo me deixou bastante curiosa. Depois da sua resenha preciso ler esse livro. M eparece uma leitura intensa,mas cheia de lições e por isso quero muito ler. Amei a sua resenha e fotos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. OI, tudo bem?
    Já tinha visto esse livro mas não sabia exatamente do que se tratava, e me parece uma ótima leitura, mas eu particularmente acho que não a leria nesse momento.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oiee, tudo bem?

    Menina, estou louca por esse livro á algum tempo e sua resenha só me deixou com mais vontade de ler ele! Parece uma leitura deliciosa e com certeza vou me emocionar assim como você! Vou ler em breve, prometo.

    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Acho o tema desse livro bastante pesado, por isso acho que talvez não seja a leitura ideal para mim nesse momento.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Amanda.
    Eu quero muito ler esse livro, tenho certeza que a leitura deva ser chocante em alguns momentos, mas é um livro que eu quero ler. Achei a sua resenha muito bem escrita e detalhada, sem, porém, revelar demais sobre a obra.

    ResponderExcluir
  9. Eu acho a capa desse livro sensacional. E a temática bem interessante para o público juvenil, o assunto da moda, espero um dia ter oportunidade de ler. ficou visível, pela resenha, como foi uma leitura cativante para você.

    ResponderExcluir
  10. Oi! Adorei a premissa do livro. Parece mesmo uma leitura bem delicada, que mexe com o sentimento do leitor de forma bem impactante. Pela sua descrição parece uma ótima leitura :)
    Dica anotada!

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia a obra, mas depois de ler a sua resenha fiquei super curiosa para ler!! Vou adicionar à minha lista de leituras! Obrigada pela dica
    Beijos

    a-lilianaraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oiii!

    Eu já li uma resenha para esse livro mas ainda não tive a oportunidade de ler. Não curto muito o estilo da obra mas eu acho que sempre é importante para se ter um debate sobre a tematica!
    Adorei a resenha e os quotes reservados.

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda! Menina, que livro forte, não? Claro que acho necessário falar sobre transtornos, tratamentos e esperança. Mas tem que ler um livro desse no momento certo para não se abalar além da conta. Vou deixar anotado aqui pra quando estiver super bem, lê-lo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Eu vi outras resenhas desse livro e sempre acho que não to pronta pra ele. Parece uma leitura de ficar despedaçado. Fiquei curiosa, mas acho que ainda não rola pra mim.
    No mais, boa resenha!

    ResponderExcluir