RESENHA|| MINHAS CONVERSAS COM O DIABO


Título: Minhas conversas com o diabo|Autor: Mário Bentes|Editora: Lendari
Ano: 2016| Páginas: 166

Avaliação:
Onde comprar: Lendari Store
“Cortem a criança ao meio e dê cada parte a uma mulher”, disse o Rei Salomão, diante das duas mulheres que reclamavam a maternidade de um bebê. De modo que a mãe verdadeira imediatamente protestou, pois preferia ver o filho ser entregue à outra que assistir a morte do inocente, sangue de seu sangue, diante dos seus olhos. Salomão soube, assim, que esta que agora cedia à disputa era senão a matriarca verdadeira, ao contrário da outra, que concordara com absurda sugestão do rei. A famosa cena é apenas uma amostra da vasta sabedoria do Rei Salomão, que dizem que era inspirado por Deus. Mas há uma lenda antiga que diz que os profundos conhecimentos do rei sobre todas as coisas não vinham unicamente do Criador, mas dos servos daquele que vem, rouba, mata e destrói. No total, Salomão conjurou, ouviu e registrou para si os saberes reunidos de 72 demônios.


Contos são sempre uma boa saída para quem está em uma viagem rápida, com apenas alguns minutos disponíveis pra folhear uma nova história ou, simplesmente, ler uma história completa em poucos minutos. 

Minhas conversas com o Diabo é um livro que abriga sete contos, cada um em sua peculiaridade, já que apresentam situações possíveis em que a pessoa se vê em desespero ou sentimento semelhante, e acabam por fazer preces ao primeiro que ouvir. Nesse momento, aparece na vida da pessoa que orou um dos seres que ouviu a prece e se faz disposto a realizar o desejo da pessoa. O preço a ser pago pelo desejo, no entanto, é o que pesa na balança na hora do acerto de contas.



Os sete contos são: 

  • Eu corrompi homens santos; 
  • Topa um acordo, menino; 
  • Esquecer de viver; 
  • A mulher que me amou; 
  • À espera da próxima carta; 
  • A mulher da capa de couro; e 
  • Diga-me tu, filho do homem: qual o teu sonho?;
A ilustração da capa do livro é referente à criatura que aparece no último conto; bastante intimidadora e arrepiante, até.Dos sete contos, o segundo, terceiro e sexto foram meus prediletos. No entanto, A mulher da capa de couro segue no topo da lista por ser uma história de renúncia e fé.
Como os contos são bem curtos (cerca de duas ou quatro páginas cada), não farei comentários sobre cada um, já que daria spoiler. Além dos contos, o livro conta com um resumo da vida do autor e sua inspiração para escrever. O livro é de bolso e apresenta as folhas em tom amarelado, sem oferecer linhas muito juntas, o que não incomoda a leitura e causa conforto ao leitor.


Para os que gostam de contos místicos, esse livro é uma opção. Não há situações mirabolantes nas histórias, o que as torna mais críveis e reais. Por ser uma leitura voltada à figura dos escolhidos de Lúcifer, algumas pessoas podem se sentir incomodadas, mas o livro traz um conteúdo interessante e que causa a curiosidade: principal arma para o livro ganhar você!

3 comentários

  1. Adorei seu post por mais posts assim.Super bem explicativo.Não tinha visto ainda a historia deste livro é bem interessante mesmo .Sua resenha esta ótima.Vou te seguir.��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossos colaboradores são os melhores no quesito: qualidade textual. Fico mais do que feliz por sua visita! Retorne mais vezes.
      E obrigada por nós seguir!
      Beijos

      Excluir
    2. Muito obrigada pelo elogio <3
      A equipe Faces em Livros procura sempre fazer o melhor para/por vocês!

      Excluir