RESENHA DOIS A DOIS || A GUERRA QUE SALVOU A MINHA VIDA


Título: A guerra que salvou a minha vida| Autora: Kimberly Brubaker Bradley|Editora: Darkside Books
                                                    Páginas: 234|Ano: 2017
Avaliação:
Onde comprar: Amazon

Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.

Olá leitores, hoje temos uma surpresinha muito especial para vocês, tudo com muito carinho! A Pri Monteiro e eu decidimos, juntas, preparar uma resenha desta obra tão fantástica. Recentemente lançada pela Editora do coração: DarkSide Books.

Esperamos que todos gostem! Depois nos conte o que acharam. Ficaremos muito felizes em saber a opinião de vocês.
"A Guerra que Salvou a Minha Vida” é um daqueles romances que você lê com um nó no peito, sorrisos no rosto e – entre um parágrafo e outro – lagrimas nos olhos."

Dentre minhas tantas leituras em cenário de guerra, nunca imaginei que esta obra em específico mexeria tanto comigo. Quando comprei, preferi não ler a sinopse até para não causar expectativas sobre os acontecimentos, pois, às vezes, ter expectativa pode atrapalhar, e muito, o desenrolar da história. 

Em A Guerra que Salvou a minha Vida conheci Ada e Jamie, irmãos que passam por uma situação nada agradável em casa. Ada é a irmã mais velha, e, mesmo assim, apenas Jamie tem a permissão da mãe para poder sair de casa. 

A mãe, uma mulher abusiva e agressiva, sempre humilha  a pequena Ada por um problema que a menina tem, e a considera uma abominação, fazendo a menina acreditar que tudo de ruim que acontece é culpa dela. 

Devido os tempos de guerra e a ameaça da Alemanha e de Hitler, Ada consegue pensar num plano perfeito para conseguir ficar longe da mãe e de toda humilhação que passara, pelo menos por um tempo: como as crianças estavam sendo evacuadas do país para ficarem segura dos ataques, Ada decide ir junto com elas e levar o irmãozinho, Jamie, junto a ela. 


Quado finalmente chegam ao seu destino, ninguém quis abrigá-los, devido à aparência e vestimentas. Sobram apenas uma única casa, a qual possam ficar por um tempo e lá conhecem a Srª Smith, uma senhora que mora sozinha e que de imediato tentou recusar as crianças, pois não tinha a menor ideia de como fosse cuidar de uma. 

Por sua vez, a Srª Smith, que prefere ser chamada de Susan, não tem escolha. Os cuidados das crianças fora destinado à ela, e precisava cumprir com suas obrigações: limpar, alimentar, cuidar, vestir. Devido aos maus tratos que Ada recebera em toda sua vida, ela era uma criança triste, desconfiada e também muito teimosa. Será que com este temperamento e toda sua dificuldade em ser uma criança normal ela conseguirá sua tão sonhada liberdade? 

Será que Ada e Jamie conseguirão conviver em um lugar totalmente estranho e sem a mãe por perto? 
É o que aguarda ser descoberto por vocês, caros leitores, nesta maravilhosa obra que definitivamente, também salvou a minha vida. 

"Ela teve a chance que Anne Frank não teve. A Guerra que Salvou a Minha Vida é um livro sobre muitas batalhas que nós precisamos vencer para conquistar um lugar no mundo"
Primeiramente elogio o design da obra. Dentre todas edições que tenho da DarkSide, sem dúvidas esta é uma das mais caprichosas que já vi. A Guerra que Salvou a minha Vida é lançamento da linha DarkLove e nem preciso dizer que já tem um lugarzinho especial no meu coração, ne?! 

A leitura se faz inteiramente agradável. É um livro relativamente pequeno, sem contar na história maravilhosa que devoramos cada página ate mesmo sem perceber e quando nos damos conta, acabou. Infelizmente acabou! Poderia ficar dias e dias mergulhada na vida de Ada e toda sua superação, que não me cansaria. 

Os temas abordados na obra, além da guerra, são bastantes delicados. O enredo baseado na violência contra crianças, apesar da tristeza causada em alguns pontos, foi uma sacada e tanto, o que gerou ponto positivo dentro da obra, principalmente na persistência das crianças por dias melhores. 

Os personagens são muito bem construídos e a ambientação está fantástica. Por muitos momentos até me questionei se não estava presenciando realmente tudo aquilo. É uma deliciosa viagem ao tempo, que me lamentei por ter acabado. Leitura totalmente indicada para aqueles que amam se deparar com superação!

"Dolorosamente, adorável" - The Wall Street Journal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva