ACHE UM TESOURO



Certa vez, eu estava em meu quarto me deleitando com o silêncio inaudível dentro de casa. Estava sozinha, e para ser honesta, são raras as vezes que isso acontece. Não era possível apreciar a escuridão, já que era de dia... eu fiquei inquieta, sem conseguir organizar os meus pensamentos.


Tive a ideia de ocupar a mente. Resolvi organizar o meu quarto e todos os meus livros. Comecei pelo mais difícil: o meu guarda-roupa. É incrível como uma só pessoa pode ser tão bagunceira e ao mesmo tempo tão organizada quanto eu. Isso se as coisas durarem no lugar que as coloquei.

Após esse ritual chato fui para a última e melhor parte: limpar e organizar os meus livros. Retirei todos, e em seguida limpei a estante. Terminado essa parte, resolvi limpar um a um delicadamente. Enquanto fazia isso tentei colocar meus pensamentos em ordem, de forma que eu busquei lembrar cada momento da minha vida em que li determinado livro. Não foi fácil lembrar! Ao passo que os limpava resolvi folhear as páginas para lembrar das frases que eu marcava.

Fiz um a um, e foi emocionante. Ri, chorei, gritei, me vi em desespero em determinados momentos porque algumas leituras foram feitas em épocas difíceis. Até que peguei o último livro, folheei e um papel caiu. Não lembrava de ter colocado papel nenhum ali, nem mesmo aquele papel. Tentei ir mais fundo nas minhas memórias e nada.

Não havia tomado coragem para abrir o papel, já que a minha curiosidade de tentar lembrar dele falou mais alto. Resolvi abrir. E foram estas palavras que encontrei escrito:

ACHE UM TESOURO. SIGA O MAPA. FIQUE FELIZ. SE MANTENHA FIRME. CONTINUE NADANDO.

Fiquei confusa com todas essas frases curtas e sem nexo. Eu não entendi. O pior de tudo é que elas estão escritas com a minha letra, e não há nenhuma referência além dessas que me foram dadas. Como assim? Ache um tesouro? Continue nadando? Fique feliz? Enfim...

Foi quando olhei para a capa do livro em que essa mensagem estava. A imagem do Leão, e logo acima o título: As crônicas de Nárnia. Foi então que eu lembrei! E me pus a chorar. Não lágrimas de tristeza, mas lágrimas de felicidade!

Lembrei da época em que eu escrevi isso! Uma época difícil e conturbada. O mais engraçado é que esse bilhete foi escrito antes mesmo de obter o livro. Um ano após tudo o que me aconteceu, eu coloquei dentro dele e prometi que abriria dali a cinco anos. E, sem nem pensar, eu o fiz.

Cada frase foi escrita com um objetivo, e vou tentar explicar com mais clareza. Sério, não estou acreditando!

Ache um tesouro. Quando eu tinha 17 anos não sabia qual profissão iria seguir, o peso do vestibular e de orgulhar meus pais com um curso dos sonhos sempre falou mais alto. Medicina ou Direito. Não havia escolhas. No fundo eu sabia que deveria escolher, e que não seria fácil desagradá-los. Foi então que escutei a música “Caça ao tesouro”, de Sollanza. A melodia e a letra ecoaram nos meus ouvidos. Sem perceber fechei os olhos e comecei a sentir a letra, as vibrações e o que eu queria para o meu futuro. Eu iria ensinar, custe o que custasse.

Siga o Mapa. Naquele mesmo dia eu tracei um mapa de vida. Não que eu quisesse seguir tudo à risca, mas eu sabia que era a melhor maneira para não me perder. Listei várias coisas, das quais não pretendo compartilhar agora... Quando terminei, o sorriso em meu rosto falava mais que as palavras escritas. EU ESTAVA TENTANDO CONSTRUIR MINHA VIDA. MINHAS ESCOLHAS!

Fique Feliz. E foi assim que aprendi a ficar feliz com as pequenas coisas. O tempo foi passando e os desafios só apareceram. Nem eu saberia se seguiria as instruções que eu mesma preparei. Decidida a ser grata, prometi não reclamar por coisas vãs. E é o que tento fazer até o dia de hoje.

Se mantenha Firme. Na época eu me mantive firme. Aquele ano só piorava. A perda de um amigo querido me fez desistir de ter amizades. Eu sabia que o meu futuro só dependia de mim. Como seguir em frente com tantas dificuldades? Como tentar passar por cima do luto?

Continue nadando. Foi então que eu decidi continuar nadando. A escuridão sobrepunha maior parte dos meus dias. Mas nem tudo era escuro. Havia dias que eu ficava feliz por vencer uma simples batalha. Quando eu me negava a colocar um sorriso, me lembrei da promessa que fiz: Fique feliz. E, pelo resto daquele ano foi o que fiz até o vestibular.

O resultado de tudo? Eu passei. Deixei os meus pais felizes com minha escolha: ensinar. Me formei quatro anos depois. Estou me especializando no que amo. Me sinto realizada nas pequenas coisas. Cinco anos após ler esse bilhete me pego pensando em como consegui realizar cada sonho traçado no mapa: me formar, ler mais de 100 livros, estar casada e com dois filhos lindos! Eu os tenho, consegui isso com muita luta.

Termino o trabalho de organizar meus livros e me lembro que já é hora de pegar as crianças na escola. Hoje eu achei um tesouro. Não perco tempo!

Tomo um banho rápido e entro no carro. Me pego pensando em tudo que tinha acontecido a pouco tempo e por um minuto fico feliz. Mas eu não estava preparada para o que vinha a minha frente. Fui acordada pelos meus pensamentos. Quando dei por mim... estava jogada para fora do carro. Não consegui entender nada daquilo. A última coisa que vi foi o bilhete escrito em minhas mãos: Ache um tesouro. Foi então que tudo apagou e eu já não mais respirava.

Um comentário

  1. Mandinha, você me destruiu com esse texto. Eu esperava TUDO menos esse final MARAVILHOSO. Já te disse no particular e digo aqui: torne isso um livro, trabalhe os pontos dessa história, ficará incrível. E, por favor, não deixe de escrever nunca ♥

    ResponderExcluir