RESENHA|| EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS


Título: Em algum lugar nas estrelas| Autora: Clare Vanderpool| Editora: DarksideBooks | Páginas: 2016| Ano: 288
Avaliação: 
Onde comprar: Amazon & Saraiva

EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai... bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine (o mesmo estado onde vivem Stephen King e boa parte de seus personagens). O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden.
“Olhamos para as estrelas com admiração e fascínio, mas o fascínio não é conseqüência só da veneração. É fruto também de uma pergunta: por quê?”              

Em pleno final da Segunda Guerra Mundial, Jack um menino de 11 anos , vivia com sua amada mãe na pacata cidade de Kansas e estava se sentindo feliz por finalmente ver sua família completa com a futura chegada do pai, um militar americano que lutou na guerra. Porém, o inevitável aconteceu e quando seu pai retornou a sua casa não teve festa de celebração e sim o funeral de sua mãe que morreu precocemente de aneurisma.

Além da tristeza e o sentimento de culpa pela morte da mãe, Jack teve que lidar com o fato de que seu pai era praticamente um estranho e que para “se livrar dele” o levou para morar numa escola naval do outro lado do país.


Sozinho, numa nova cidade e um novo lar, Jack sente-se muito deslocado de todos.Entretanto, mal sabia que sua vida estava prestes a tomar um novo rumo ao conhecer o Early Audren, um garoto que parecer ser bem excêntrico e que ninguém interage com ele.

Apesar de Early ser muito inteligente e resolver problemas matemáticos com bastante facilidade ,ele também é cheios de obsessões e manias como cada dia da semana é o dia de tocar uma artista específico { no domingo é Mozart, segunda é Louis Armstrong, quarta é Frank Sinatra e sexta é Glenn Miller; Porém nas terças, quintas e sábados são dias se música, exceto se chover, caso chova é sempre dia de ouvir Billy Holiday.}

E quando ele fica nervoso o irritado começa a organizar bolinhas de gude por cores e contando todas elas por um bom tempo até voltar a ter controle de todas as coisas ao seu redor. O Jack acha tudo aquilo muito estranho , mas aos poucos eles vão se aproximando mais e se tornando amigos.

Um certo dia, Early resolve contar para o Jack a história do Pi (sim, aquele que estudamos nas aulas de matemática! ), pois ele estava convicto em comprovar que o número Pi não era finito, pois um certo matemático estava querendo comprovar que o número {3,14} na verdade não era infinito e depois de determinado número, iria desaparecer.

Revoltado com aquela afirmação e com um dom incomum as outras pessoas, Early comenta a Jackie que Pi na verdade é uma pessoa e que consegue ler a história de Pi através da sequência de seus números e também comenta que cada número tem suas cores e cheiros.
Ao ouvir aos poucos a trajetória do personagem Pi contado pelo Early, mesmo Jack achando tudo aquilo absurdo se surpreende ao achar toda a história fascinante de alguma forma e por muitas vezes algumas partes o faz lembrar de sua mãe e de tudo o que ela sempre o ensinava.
Toda a trajetória de Pi é encontrar a mãe Ursa maior { aquela que irá guiá-lo e responder a todos os seus questionamentos} e conquistar o seu próprio nome { no que se refere ao desejo de conhecer melhor a si mesmo e ser reconhecido pelos que os amam }.

(Ursa maior)
No feriado de Natal, quando todos os alunos devem retornar as suas casas com seus familiares,Jack e Early são esquecidos, o pai de Jack tem um contratempo no exército e não teria como pegá-lo naquele dia e Early não tem mais os pais.


Decididos a fazer alguma coisa, Early convida Jack a pegar um barco e guiados pela constelação da Ursa maior, eles vão a uma jornada para encontrar uma ursa gigante de verdade que está na trilha Apalache e tudo isso guiado pela história do Pi. E o mais incrível é que as jornadas vão se entrelaçando como se na verdade fosse apenas uma trajetória. E Early quer convencer Jack que Pi não está morto e que se encontrarem a Ursa Maior, eles vão encontrar todas as respostas que precisam.

Fascinados e assustados pelo rumo em que a jornada estava tomando, Jackie e Early, contando apenas com um e o outro, descobrem o verdadeiro significado da palavra perseverança e amizade.


Ao finalizar o livro, eu tive vontade de colocar aqueles garotos nos meus braços e protegê-los de tudo. É tão singelo e doce ver o mundo através da mente de duas crianças, estando elas angustiadas, assustadas e ,uma em especial, cheia de esperança no que a vida tem de melhor a nos oferecer.

Esse é aquele tipo de livro que nos faz questionar sobre coisas importantes como: Se confiarmos no nosso próprio potencial podemos superar qualquer coisa e uma das coisas mais importante de se aprender também é que as pessoas que passam pelo nosso caminho podem ser fundamentais para nossa evolução, por isso, é preciso olhar atenciosamente para cada uma delas.

MELHORES TRECHOS
“As vezes, é melhor não ver todo o caminho que se estende diante de você. Deixe a vida surpreendê-lo, Jackie.Há mais estrelas por aí do que as que já têm nome. E todas são lindas.”
“Que tipo de cicatrizes e linhas alguém encontraria na vida de uma árvore? (...) Será que pessoas também tinha linhas que contavam suas histórias? Como seriam as minhas?”
“É claro que eu não sabia como chegar a esses lugares, mas essa é a questão de estar perdido. Ter liberdade para ir a qualquer lugar, mas não saber onde ficava nenhum.”
“Certa vez, ouvi um poema sobre lançar a linha. Ele dizia que, quando o pescador joga a linha, é como se jogasse seus problemas para a correnteza leva-los embora. Por isso continuo jogando.”

NOTAS DA AUTORA: Clare Vanderpool

A autora relata que teve a ideia para a história que se tornou Em Alguma lugar nas Estrelas há muitos anos quando sua mãe lhe contou que teve um sonho com um rapaz com um grande talento extraordinário para tocar piano.No sonho dela, o rapaz não havia estudado,mas tocava até a peça mais difícil depois de ouvi-la uma só vez. Segundo ela, essa história ficou na sua cabeça e ela se perguntou: “ Que dom seria esse? Como afetaria o resto da vida dessa pessoa?”.

Logo em seguida,ela foi pesquisar sobre e leu um livro de Daniel Tammet chamado Nascido em um Dia Azul – Por dentro da Mente de um Autista Extraordinário ( Intrínseca,2007). O livro contra a trajetória do próprio Daniel como autista e como sua mente funciona.Ele conseguia realizar cálculos fantásticos de cabeça, decorou mais de 22 mil dígitos do Pi e vê os números com formas,cores e texturas { daí saiu sua inspiração para o personagem Early Audren } . Mas mesmo tendo consciência disso Clare resolveu não usar as palavra “autismo” no livro, porque em 1945 , a maioria das pessoas não sabiam o que era e muitos autistas não eram diagnosticados

E para ela, Early é muito mais do que isso,ele é um menino único e especial com uma mente fantástica, um espírito lindo e um dom inexplicável.E ele tinha seu diferencial também: para ele os números do Pi também contavam uma história.
{ Notas retiradas do livro, páginas 279-280}

19 comentários:

  1. Eu tenho muita curiosidade com esse livro, acho a capa maravilhosa e o trabalho gráfico parece ser excelente. Gostei de ver a sua opinião e de conhecer um pouco mais sobre esse livro, fiquei ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beatriz!

      Fico feliz que tenha se interessado! Não perca tempo de adquiri-lo e lê-lo, vale muito a pena! Abraços!

      Excluir
  2. Olá! Acho esse livro lindo! Tenho curiosidade de ler esse livro desdo lançamento. Acho interessante esses livro que nos faz questionar sobre coisas importantes.Sua resenha só me deixou com mais vontade de ler. Não sabia que a ideia do livro foi inspirada em um sonho da mãe da autora, uau que máximo! Beijos'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dayane!

      Espero que tenha a oportunidade de lê-lo pois vale muito a pena!
      Beijos querida!

      Excluir
  3. Heey! É um livro que já quero ler há alguns anos e ainda não tive a chance de ler.
    diarioleitorblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a oportunidade de lê-lo pois vale muito a pena!
      Abraços Douglas!

      Excluir
  4. Essa capa é maravilhosa, adorei as fotos! Sou louca pra ler esse livro, parece tudo de bom!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a oportunidade de lê-lo pois vale muito a pena! Abraços :)

      Excluir
  5. Quanto amor por esse livro! Parece ser mesmo incrível e super delicioso de ler. Gostei muito de saber suas impressões sobre ele e do fato dos personagens mexerem com seus sentimentos e emoções. Só do seu relato sobre o Early. Adorei os artistas que ele ouve e me deu também vontade de saber mais sobre ele. Adorei a dica! Parabéns pela resenha super bem escrita!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada querida!

      Early foi um dos motivos de eu ter gostando tanto de ler o livro, sua visão de mundo e expectativas são tão singelas e belas que não tem como não o amar! Não perca tempo e leia também Eliziane!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Olá Pri, tudo bem?
    Owm sua resenha está maravilhosa, parabéns!
    Tenho ouvido muito falar dos livros da Darkside tanto pelos seus conteúdos maravilhosos como pelas edições espetaculares. Esse é um dos livros que realmente me chamou a atenção. O titulo é bem sugestivo e sua resenha afirmando ser uma leitura doce e cheia de ensinamentos me deixou super curiosa.
    Você poderia me emprestar hein?
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabi!

      Esse livro é muito lindinho, a senhorita deveria dá uma chance mesmo e lê-lo!Super recomendo! Caso queira emprestado, me procure nas redes sociais e vemos isso!

      Beijos gatona ❤

      Excluir
  7. ‘Ao finalizar o livro, eu tive vontade de colocar aqueles garotos nos meus braços e protegê-los de tudo.’ Que fofa. Acho que também vou ficar assim quando ler esse livro, desde o lançamento, em cada resenha que leio, minha vontade só aumenta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OW, muito obrigada Lilian!

      Espero que leia logo em breve e se emocione tanto quanto eu!

      Beijos!

      Excluir
  8. Olá, tudo bem? Acho esse livro de uma singularidade que destoa longe. Ainda não tive a oportunidade d lê-lo mas sei que a mensagem que ele traz é magnífica. Adorei a resenha e isso só me deixou com mais vontade ainda de ler.
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carol!

      Fico feliz que eu tenho lhe motivado ainda mais a ler esse livro tão belo e singelo!
      Beijos!

      Excluir
  9. Oi Pri, sua linda, tudo bem?
    Estou completamente encantada pelos personagens e por essa aventura em busca do Pi, para encontrar respostas. Que linda a forma como autora vê e constrói Early, a inocência com que ele vê o mundo e da mesma forma a grandeza com que ele enxerga, bem diferente de nós que somos tão limitados diante dos talentos dele e de outros autistas. Estou louca para ler esse livro. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cila!

      Nossa falou até bonito garota! Realmente é encantador a forma como a Clare conduz a história e não tem como não amar Jackie e Early! Obrigada pelas belas palavras!

      Um beijo!

      Excluir
  10. Oii!!
    Primeiro, essa capa é apaixonante, amei!
    E que história mais fofa e linda, quero muito conhecer :)
    Vou anotar aqui!

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva