RESENHA|| OS 13 PORQUÊS


Título: Os 13 porquês| Autor: Jay Asher| Editora: Ática|

                        Ano: 2009| Páginas: 256
Avaliação: 
Onde comprar: Saraiva

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Hoje a resenha é sobre um dos meus livros favoritos (ele e Um Caso Perdido estão empatados haha), eu o li quando tinha 14 anos e reli agora pra relembrar tudo e poder assistir a série e, comparar com o livro (sim, eu sou aquelas chatas que ficam dizendo: no livro não acontece assim!).

Desde que entrei para o blog, eu queria escrever sobre esse livro mas não lembrava muita coisa dele por isso esperei até agora. Foi um livro que mexeu muito comigo e até hoje sinto um aperto no peito a cada vez que alguém fala sobre ele, vai ser fácil e difícil falar sobre ele porque é um livro excelente que me deixou pensando por dias e dias, nas duas vezes que o li.
"Você não pode interromper o futuro, nem modificar o passado. O único jeito de descobrir este segredo é apertando o play."
13 fitas, 13 porquês. Um para cada pessoa. Pessoas responsáveis pelo suicídio de uma adolescente, do segundo ano do ensino médio. Clay Jensen estava se recuperando da notícia da morte de sua antiga paixão. Mas ao chegar em sua casa depois da escola, encontrou um pacote na porta da sua casa, sem remetente, apenas seu nome. Ao abrir a caixa, Clay encontrou 7 fitas cassete, cada uma com um número de um lado e um número do outro. Eram 13 lados. Assim que iniciou a primeira fita, lado A, Clay se deparou com a voz de Hanna Baker. Mas como isso seria possível se ela estava morta?
"Espero que vocês estejam prontos, porque vou contar aqui a história da minha vida. Mais especificamente, por que ela chegou ao fim. E, se estiver escutando estas fitas, você é um dos motivos."
Clay descobre que cada uma dessas fitas é um dos motivos pelo qual a Hanna cometeu suicídio, e que ele é um desses motivos. Mas o que será que ele fez? Porque recebeu essas fitas se nem ao menos era amigo da Hanna? Todas essas questões fazem uma confusão em sua cabeça. O único jeito de descobrir é ouvi-las, até chegar na sua e poder entender tudo aquilo que aconteceu, tudo aquilo que fez com que Hanna chegasse onde chegou (ou melhor, não chegasse em lugar algum).

Clay então vai até a casa do seu colega Tony e rouba o seu walkman para poder ouvir todas as fitas longe de casa - já que a sua mãe não parava de interromper. Dias antes de receber essas fitas, todos as 13 pessoas receberam um mapa da sua cidade com estrelas em vários locais, onde ocorreram os fatos mais horríveis da vida de Hanna. Esse mapa foi colocado através do armário dos alunos com a seguinte mensagem: Guardem isso, vocês vão precisar. Então, Clay sai pelas ruas da cidade, com o walkman e o mapa, seguindo as indicações de Hanna e indo onde ela manda.
"Nossa primeira estrela vermelha pode ser encontrada em C-4. Com o dedo, ache a letra C e desça até o numero 4. Isso mesmo, como uma batalha naval. Quando você terminar de ouvir esta fita, vá até lá."
Andando pelas ruas da cidade e encontrando os pontos que Hanna marcou, Clay vai ouvindo os motivos e sua história. A cada fita que passa, ele se sente mais enjoado por tudo que aconteceu, se perguntando o que ele pode ter feito, qual o seu lugar nessa história toda. Quanto mais ele escuta as fitas, mais se sente culpado por não ter feito nada para impedir a Hanna.
O livro é narrado pela Hanna (suas fitas) e pelo Clay simultaneamente, então sempre que ela fala algo, em seguida ele responde, e já aparece lá a sua fala. São diálogos intercalados que nos ajuda a ter uma noção das coisas pela visão da Hanna e do Clay. É por causa disso que você vai percebendo que todos os boatos, todo o bullying, não era sem fundamento, até o próprio Clay se surpreende quando escuta a verdadeira versão dos fatos.
"Eu reconhecia que tinha chegado a um ponto em que qualquer palavra amiga que recebesse seria de grande utilidade. Palavra amiga... que ele roubou."
Ler a parte da Hanna é realmente muito difícil, eu parava a leitura por um momento para respirar e começava a analisar a vida dela de novo. Desde do primeiro acontecimento até onde eu estava e a única coisa em que eu pensava é era como o ser humano pode ser cruel quando quer. Lendo as fitas separadamente, você não acharia nada demais, mas vendo-as em conjunto, você percebe as milhares de consequências, você percebe o quanto é sério, o quanto aquela garota passou. 

É uma reação em cadeia, uma ação afeta outra e outra e outra... até chegar o ponto em que você tem medo de andar na rua, na escola ou até de conversar com alguém porque você não sabe quando outra coisa vai acontecer. Hanna chegou a acreditar por vários momentos que tudo tinha passado, mas aí acontecia alguma outra coisa. Era como se ela tivesse subindo de um buraco, mas sempre que chegasse perto da luz, algo a atraía para o fundo de novo, até que em algum momento, você não encontraria mais forças para subir, a única alternativa era ficar onde está, longe de qualquer perigo.
"Acho que essa é a questão central. Ninguém sabe ao certo quanto impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito."
O livro mostra que cada coisa que você faz, cada minúscula coisa, tem um impacto gigante na vida da pessoa. Você não sabe o que ela está passando e você pode achar que aquilo que fez é só uma brincadeira, mas a pessoa pode não tá pronta para uma brincadeira naquele momento. É como se você machucasse o ombro e chegasse alguém batendo nele, só para brincar, e acabasse machucando, porque naquela tentativa de brincadeira, acabou ferindo ainda mais a pessoa que já estava machucada. Entretanto, mexer com o psicológico de alguém não é como uma batidinha no ombro. Ferir o emocional de alguém é algo muito sério, a pessoa pode nunca se recuperar daquilo, que foi o que aconteceu com a Hanna. Não esperavam o ombro dela sarar e já estavam machucando de novo.

"Vocês não sabem o que estava se passando no resto da minha vida. Em casa. Nem mesmo na escola. Não sabem o que se passa na vida de ninguém, a não ser na de vocês. E quando estragam alguma parte da vida de uma pessoa, não estão estragando apenas aquela parte. Infelizmente não dá para ser tão preciso ou seletivo. Quando você estraga uma parte da vida de alguém, você estraga a vida inteira da pessoa. Tudo...é afetado."
O livro tem uma carga emocional fortíssima, e você fica muito triste pela situação, principalmente quando chega na última fita. Mesmo sabendo que o suicídio existiu, você torce fortemente para que ela esteja viva, simplesmente a ideia de aceitar tudo que fizeram com ela é horrível. É um livro que trás assuntos como bullying, estupro, stalker, violência, assédio. Um livro que todos deveriam ler, para aprender a julgar menos e aprender que não sabemos o que se passa na vida do outro, não temos direito de dizer nada. O livro se passa em um dia só, com Clay andando pelas ruas da sua cidade, ouvindo as fitas da Hanna e você consegue ler bem rápido, o único problema é você aguentar toda a carga emocional e conseguir ler de uma vez.
"Porque era exatamente isso que eu queria para mim. Queria que as pessoas confiassem em mim, apesar de qualquer coisa que tivessem ouvido. E, mais do que isso, queria que me conhecessem. Não aquilo que pensavam saber a meu respeito. Mas eu de verdade."
Como já falei, esse é um dos melhores livros que já li em toda a minha vida. Ele faz você repensar todas as suas ações, faz você aprender a ser mais gentil, a ser mais cuidadoso ao lidar com alguém. Um livro que tem as melhores citações, por isso vocês notaram que essa resenha tem vários quotes, porque todos são tão intensos que não pude deixar de mostrar. 

Recomendo o livro a todos que desejam conhecer o lado de uma pessoa depressiva, conhecer o que a solidão faz com alguém. Aos leitores que amam histórias fortes, mas principalmente, a todos os estudantes de ensino médio, tenham certeza, depois que ler esse livro, vocês nunca mais serão os mesmos.
"Ao me conscientizar de que ninguém sabia a verdade a respeito da minha vida, meus pensamentos sobre o mundo ficaram abalados. Como se estivesse dirigindo por uma estrada acidentada e perdendo o controle do volante, sendo jogada - só um pouquinho - para fora da pista. As rodas levantam poeira, mas você consegue puxar o carro de volta. Mesmo assim, não importa que esteja segurando bem firme no volante, não importa o quanto esteja se esforçando para tentar guiar em linha reta, algo fica empurrando você para o lado. Você já não tem quase mais nenhum controle sobre nada. E, a certa altura, a luta se torna excessiva - cansativa demais - e você considera a possibilidade de largar tudo. De deixar acontecer uma tragédia… ou seja lá o que for."
"- Como você está se sentindo hoje?
- Neste exato momento?
- Neste exato momento.
- Neste exato momento, me sinto perdida, eu acho. Meio vazia.
- Vazia como?
- Simplesmente vazia. Simplesmente nada. Não me importo mais."

14 comentários:

  1. Minha nossa, que pesado!

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Eu também já li esse livro, mas foi há muito tempo. Não reli para poder acompanhar a série, mas é impossível esquecer uma história tão marcante. Tem mesmo uma carga emocional muito forte, e é muito importante acompanhar a narrativa de Hanna e a de Clay também. Realmente nos faz pensar sobre muitas atitudes. Sobre a série, assisti todos os capítulos de uma vez só, e achei maravilhoso.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Li este livro em 2015 e foi uma leitura que me envolveu, me emocionou e me conscientizou muito. Acho que a sua resenha ressaltou muito bem isso, que é um livro que a gente lê e não consegue ficar imune. Estou assistindo a série e estou curtindo as adaptações que fizeram, mas o livro foi mais intenso.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Li no início desse ano e fico muito feliz quando vejo pessoas que também gostaram!
    É um livro muito forte e MUITO importante! Todo o assunto abordada no livro é necessário e feito de uma forma que atinja as pessoas do jeito certo, é simplesmente incrível!
    Já assisti a série toda e amei as mudanças, até fez com que a história ficasse mais forte!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?
    Eu ainda não assisti a série justamente porque estou LOUCA pra ler esse livro! Não sabia do que se tratava até ler resenhas sobre, e todas sempre elogiando muito a temática e a lição contida nessa obra. Espero ler em breve!

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    tenho o livro tem um tempo e não li ainda, mas vi toda a série e acho um assunto profundo e intenso.
    Os porquês na minha opiniÃo deveriam ter mais destaque do que o suícidio em si, não que seja menos pior, mas são temas que precisamos falar mais, fazer mais, mostrar mais. Quantas Hannas nÃo temos, quantos tantos porques...isso precisa mudar.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Fiquei apaixonada pela sua resenha! Eu ainda não li a obra, mas acabei recentemente a adaptação feita pela Netflix e fiquei com os mesmos sentimentos que você. No começo, você até acha um pouco demais os motivos da Hannah, mas com o passar do tempo, em que mais coisas vão acontecendo e começa a virar aquela bola de neve, você começa a entender o porquê de tudo ter dado errado. Foi uma história que me marcou muito e agora, uma semana depois de ter assistido, ainda me pego pensando em tudo o que aconteceu.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tenho que dizer que esse livro foi o motivo de eu ter iniciado o blog! Depois de ler essa obra que eu não sabia que teria uma trama tão intensa e pesada, eu só pensava que todo mundo precisava ler, precisava conhecer essa obra, precisavam apenas saber que um pequeno ato por menor que seja pode acabar sendo enorme ou o último detalhe para a pessoa não se importar mais e largar tudo. Eu vi a série, mas acho que o livro é ainda mais intenso... Ler ela falando e o Clay indo e vivendo, ver as pequenas atitudes que cada um fez com a Hannah... o tanto de gente que poderia ter feito algo e não fez. Essa obra é um belo tapa na cara de todos e definitivamente o favorito da vida! Fico feliz que depois de tanto tempo que li finalmente as pessoas estão tendo contato e vendo o quão importante é respeitar os outros, não deixar para depois o que pode fazer no momento e principalmente dizer: se precisar estou aqui com você! O ser humano é cruel, mas talvez, mesmo que muitos vão esquecer assim que passar a moda, alguma coisa mude e muitas "Hannah's" que existem por ai consigam ter ajuda e sair do buraco antes de ser tarde demais! E preciso dizer que gostaria de ter visto essa parte dos mapas no seriado, porque é mais um detalhe que mostra que se observasse bem, ela estava dando... infelizmente o egoismo impedem muitos de notarem seus erros até que seja tarde demais. Mas tenho esperança que vá mudar!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Eu confesso que não conhecia esse livro até a Netflix anunciar a série. Fiquei curiosa para ler e acho que é um tema importantíssimo a ser discutido.
    Meu único receio sobre o livro é que fique a impressão de que sempre que alguém comete suicídio, há culpados a serem apontados, porque não é este o caso. Não tenho dúvidas de que nossas ações podem ferir as pessoas mais profundamente do que se supunha, e que isso pode levar à consequências muito graves. No entanto, há muitos outros motivos que levam uma pessoa à depressão e, até mesmo, a tomar uma atitude tão extrema quanto o suicídio. É um assunto complexom e que deve ser tratado com muito cuidado.
    De qualquer forma, estou curiosa para saber como o tema foi abordado no livro e sua resenha me deixou mais confiante de que será uma boa leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Uau... Vi algumas pessoas falando que alguns motivos não eram muito bons. Mas não imagino que seja assim... Penso sim que cada coisinha contribuiu e que nunca sabemos exatamente o que se passa com alguém e os efeitos das nossas palavras e ações.
    Estou assistindo a série, e tem sido muito difícil. Parei no episódio três, estou achando pesada demais :/

    ResponderExcluir
  11. Eu ainda não li o livro, pretendia ler antes da estreia da serie, mas não consegui. Agora estou esperando a hype baixar, pois só se fala disso e eu quero ler e assistir sem influências externas.
    A história é bem pertinente e conscientizadora, o que é ótimo.
    Eu não curto muito livros que falam sobre suicídio, mas esse vou fazer um esforço para ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oii Manu, tudo bem? Sua resenha ficou maravilhosa, adorei. E essas fotos <3 Eu li o livro esse ano e confesso que não gostei muito, não me senti ligada aos personagens, e alguns momentos foram realmente entediantes. Esse é o livro favorito de muita gente, e consigo ver o porquê, mas infelizmente não funcionou comigo...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Quero muito ter esse livro, mas ainda não consegui compra-lo Infelizmente não aguentei e assisti a série primeiro, mas ainda assim vou comprar, como você fez, huahuaha!

    Se a série me impactou, imagino o livro... Sempre prefiro os livros as coisas mais visuais pois me dão um tempo pra pensar e respirar. Depois de ler sua resenha, fiquei com ainda mais vontade de le-lo.

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Comecei a ver a série e gostei bastante da produção, mas não terminei ainda. Fiquei em dúvida entre ver a série logo de cara ou ler o livro primeiro e acabei deixando o livro de lado porque alguns fatos não serão mais surpresa e isso pode prejudicar a experiência de leitura. Mas a trama é incrível e pesada ao mesmo tempo, imagino como deve ter te marcado na época em que ninguém estava falando sobre ele ainda.
    Beijos,

    Luana
    Ps. Adorei as fotos!

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva