SEMANA ESPECIAL I LOVE ARQUEIRO || DICA DE LEITURA













Olá, leitores. Tudo bem com vocês? Iniciamos  uma semana pra lá de especial, com resenhas, dicas de leitura, Melhores quotes e os últimos lançamentos de uma das melhores editoras do momento: Arqueiro. Se você, assim como nós, ama a editora Arqueiro, vem com a a gente embarcar nessa aventura mágica do mundo literário; Vamos lá?

Iniciamos a semana com uma postagem de tirar o folego: a dica de leitura da Serie os Bridgertons da diva Julia Quinn. Com uma escrita fluida, intensa e muito divertida, a Julia nos encanta com essa a série sobre romances de época. São 9 livros, cada um conta a história de um irmão e as trapalhadas que eles cometem para encontrar o seu felizes para sempre. O último traz um segundo epílogo extra para cada livro, mais o conto da matriarca da família,Violet Bridgerton. Com muito baile, carruagem, cartões de dança e muita emoção, cada história é única e linda, e tenho certeza de que você vai se encantar por uma delas, ou por todas, e terminará completamente apaixonada pela escrita da Julia, ou por um dos seus mocinhos perfeitos.

Se você é leitor de romance de época não pode deixar de ler essa série e se você quer conhecer o gênero, a Julia Quinn é a melhor escritora para te apresentar a ela. 

O Duque e eu
Apesar de não gostar muito dessa capa, a história é linda. A Daphne é uma mocinha forte e decidida e o Simon ( depois que passa a vontade de mata-lo) é um amor. Amo muito a história deles.



Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

O visconde que me amava
Essa capa também não me agrada muito, porém mais uma vez não julgue o livro por sua capa, o conteúdo dele vai te deixar babando.


A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração. Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.
Um Perfeito Cavalheiro
Eu realmente amo esse livro e não gosto nem um pouco dessa capa rsrs. Além de ser uma história linda é a releitura do conto de fadas, a Cinderela. Sophie é uma fofa e Benedict, assim como o titulo do livro diz, é um perfeito cavalheiro. 



Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica. 
Os segredos de Colin Bridgerton
Gente sobre essa capa... Eu a amo muito. Ela é a que melhor retrata a questão da época e é bem como eu imagino a Penelope. Ah, Penelope. Ela não é uma das irmãs Birgertons, ainda bem não é? Mas ela é certamente uma das minhas personagens favoritas da série. Foi a que mais me fez rir e o seu final feliz foi mais que merecido. Tenho que confessar que morria de ciúmes dela, ela sempre foi louca pelo Colin, e ele é o meu Bridgerton.



Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.
Em "Os segredos de Colin Bridgerton", quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo.
 Para Sir Phillip, Com Amor
Mais uma linda história escrita pela Júlia. Cheia de drama, descobertas e romance é mais uma história linda.


Eloise Bridgerton é uma jovem simpática e extrovertida, cuja forma preferida de comunicação sempre foram as cartas, nas quais sua personalidade se torna ainda mais cativante. Quando uma prima distante morre, ela decide escrever para o viúvo e oferecer as condolências. Ao ser surpreendido por um gesto tão amável vindo de uma desconhecida, Sir Phillip resolve retribuir a atenção e responder. Assim, os dois começam uma instigante troca de correspondências. Ele logo descobre que Eloise, além de uma solteirona que nunca encontrou o par perfeito, é uma confidente de rara inteligência. E ela fica sabendo que Sir Phillip é um cavalheiro honrado que quer encontrar uma esposa para ajudá-lo na criação de seus dois filhos órfãos. Após alguns meses, uma das cartas traz uma proposta peculiar: o que Eloise acharia de passar uma temporada com Sir Phillip para os dois se conhecerem melhor e, caso se deem bem, pensarem em se casar? Ela aceita o convite, mas em pouco tempo eles se dão conta de que, ao vivo, não são bem como imaginaram. Ela é voluntariosa e não para de falar, e ele é temperamental e rude, com um comportamento bem diferente dos homens da alta sociedade londrina. Apesar disso, nos raros momentos em que Eloise fecha a boca, Phillip só pensa em beijá-la. E cada vez que ele sorri, o resto do mundo desaparece e ela só quer se jogar em seus braços. Agora os dois precisam descobrir se, mesmo com todas as suas imperfeições, foram feitos um para o outro. 
O Conde Enfeitiçado
Essa é uma das minhas histórias favoritas da série. Nela vemos que o amor pode ser doloroso, cruel, mas ao mesmo tempo leal, verdadeiro e forte e vem do lugar que a gente menos espera. É linda, só digo uma coisa: Leiam.


Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton. Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele. Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite. Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz.
No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.
Um Beijo Inesquecível
Mais um livro lindo, que nos faz rir e chorar. Se você não entendeu até agora que essa é a melhor série de romance de época que existe, leia de novo. 


Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples e de tão complicado quanto um beijo.
A Caminho do Altar
É obvio que uma série linda dessas só poderia terminar de forma especial, certo? Claro que sim! Bem ao estilo de Príncipe que luta e salva a sua princesa. Esse livro é mais uma história linda de uma série que exala amor.


Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece. O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la. Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?
A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.
E viveram felizes para sempre
E quando a gente achou que tudo tinha terminado... a Julia nos dá um presente de encher os olhos de lágrimas. No último livro da série (agora último mesmo) nós lemos epílogos extras de todos os livros. Revemos nossos personagens favoritos e descobrimos como eles estão tanto tempo depois. Vale muito a pena a leitura, em especial o conto da Violet,em que ela nos mostra como foi seu romance com o seu marido, o amor entre eles, como ele morreu e como ela viveu depois disso apoiando-se, sobretudo, no amor pelos filhos.

 Eu chorei muito, não a história não é triste, ao contrário, mas fiquei imaginado como seria criar da os seus filhos sozinha, mas principalmente, como eles sofreram por terem um amor tão lindo interrompido tão rapidamente. O lindo é saber que para a Violet tudo foi perfeito, e que ela não trocaria os anos ao lado do seu marido por nada nesse mundo. Como eu disse antes, sim, essa série é perfeita!


Alguns finais são apenas o começo...Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos...Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.
Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?
A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton.Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro.


Essa é a minha coleção. Claro que depois de todo esse alarde, vocês imaginariam que eu tenho todos os livros. Não sei quantas vezes reli cada um deles, mas garanto a vocês: Valeu cada minuto.

E vocês ai, já leram essa serie, ou pelo menos algum livro? Concordam com a minha opinião? Não deixem de comentar.

2 comentários:

  1. Oi, Fabi!
    Terminei estes dias o meu primeiro livro da Julia Quinn. Gostei bastante da escrita dela e da capacidade de envolver o leitor. Sempre leio resenhas apaixonadas dos livros da série "Os Bridgertons" e pretendo ler, sim, assim que der.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Oi
    desses ai eu só li até agora o duque e eu e gostei bastante, estou com o terceiro livro também. Quero comprar os outros.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva