RESENHA|| UMA VEZ VOCÊ, UMA VEZ EU


Título: Uma vez você, uma vez eu |Autor: Diego Martello Editora: Novos Talentos da literatura brasileira
Ano: 2016  Páginas: 184
Avaliação: 
Onde comprar: Saraiva & Travessa
Marcos e Willian, pai e filho, tentam se reconciliar após anos de desentendimento. Em paralelo, Eva, mulher de Willian, quer a todo custo engravidar, o que frustra o casal. A partir da visão do interior de cada um, esses personagens terão de reconfigurar o modo de pensar para enfrentar os seus conflitos. Nessa fase tão conturbada para todos, reflexões acompanham cada segundo da trajetória deles.
Narrada de forma surpreendente, provocativa e crítica, esta obra não tem a pretensão de apresentar soluções para os problemas enfrentados, mas, sim, mostrar as armadilhas de nosso fluxo de consciência, para compreendermos que as soluções dos problemas dependem, muitas vezes, da forma como se lida com as ilusões, ou, ao contrário, como se enxerga verdadeiramente a realidade.




Na coluna Eu leio Nacional de hoje, trago as minha impressões sobre a leitura da obra Uma vez você, uma vez eu, escrito pelo autor Diego Martello. Este livro foi lançado pelo Novos talentos da literatura brasileira, da Editora Novo Século, que tem um projeto muito bacana de apoiar autores nacionais que são talentos em nosso país. E, claro o autor está entre eles.

"Mas, então, por que não recomeçar desde agora? Quer aguardar a morte chegar para uma segunda chance? O que te impede? O recomeço não é um ponto de início, e sim parte do caminho como um todo. Caminhamos, todos os dias, pelo mesmo gramado, porém não há nada de errado em aprender a caminhar de forma mais leve."
O livro, apesar de pequeno, é extremamente profundo e nos faz refletir sobre nossos relacionamentos e a importância da reconciliação. Mas quando falamos do outro, não é tão fácil quanto se imagina. Principalmente para William, um jovem executivo que, por diversas vezes, tenta reconciliar-se com seu pai, o seu Marcus. 

O jovem é casado com Eva, uma bela mulher a quem ama muito e, nela se apoia contra as frustrações da vida. Uma delas são as várias tentativas de ter um filho, para eles é um dos únicos sonhos que faltam para tudo se completar.

Acompanhamos então as várias decepções do William, que apesar de bem sucedido em seu trabalho, acredita que a sua vida pessoal está desmoronando aos poucos, por não conseguir se reconciliar com seu pai e nem ter um filho. É nesse entrecruzamento que os discursos se dividem, pois acompanhamos a visão de cada um deles e conseguimos abstrair os sentimentos das personagens, principalmente do William, que apesar de jovem e sonhador, se frustra como qualquer outro ser humano.

O que eles não sabem é que para sobressair desses problemas, eles precisaram unir forças para mudar sua visão diante da situação que vivem. Friso aqui, que a pretensão da obra não se volta em solucionar todos os conflitos da vida, mas encará-los da melhor maneira possível para que não se tornem prioridade.

"Você é como uma música que toca nos ambientes em que entra. Cabe a você ser agradável ou não. Nenhuma nota passa despercebida."
O mais interessante é o tecer do enredo psicológico e da necessidade que as personagens tem em resolver os problemas de imediato. Em alguns casos, a nossa própria mente prega armadilhas e caímos sem perceber, pois estamos tão focados em solucionar apenas aquela problemática, que não procuramos enxergar e buscar um outro caminho, diferente do qual tentamos. É fato que os problemas são resolvidos e dependem apenas do modo como tentamos e queremos enxergá-lo.

Cada capítulo me fez refletir de uma forma única, pois ora observamos o relacionamento do William com seu pai, ora com sua esposa e desse modo construímos a nossa própria necessidade de vencer os nossos problemas. É como se as próprias personagens nos instigassem a olhar a vida de um outro jeito, o lado bom.Agradecer pelos detalhes, como o simples olhar de outra pessoa para mim.

William conseguiu me afetar interna e externamente, pois chorei no clímax do enredo. Algo tão simples ganhou tamanha proporção, e fiquei a me perguntar: teria necessidade disso? Sim, pois somos humanos e não medimos as consequências, pois contamos mais com nossa própria sorte do que a razão.


Não apenas o conteúdo me afetou, mas essa capa e os traços nela captados durante a leitura. Pude perceber abertamente a escolha do autor em impactar com o amarelo e quem sabe neutralizar a sensação com a cor azul. A qualidade das páginas e diagramação estão de parabéns, do mesmo modo, a obra está muito bem revisada.

Para uns a leitura pode acontecer de modo lento e as vezes desgastar, mas eu apreciei cada minimo detalhe e sentimento vivido por essas personagens. Não poderia deixar de recomendar a leitura da obra para os leitores que desejam refletir sobre relacionamento, importância da reconciliação e entender que nenhum problema é solucionado no caos, mas no silêncio, quando procuramos compreender e enxergar de forma positiva.

SOBRE O AUTOR

Diego Martello é formado em Administração e Comércio Exterior. Trabalha com projetos automobilísticos, especialmente na área de compras - nacionais e internacionais. Tem a leitura como seu principal passatempo e, durante anos, acumulou experiências que nortearam a origem deste livro. “Uma vez você, uma vez eu” é sua obra de estreia.

7 comentários

  1. Eu ainda não conhecia o livro mas achei a capa muito bonita e o título logo me deixou curiosa. Gostei da sua resenha e de poder conhecer um pouco sobre a obra, parece ser uma leitura que nos emociona e ao mesmo tempo traga momentos de reflexão

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro e nem o autor e apesar de não ser algo que eu leria, achei bem interessante que seja profundo e reflexivo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Ja li esse livro e achei maravilhoso.
    Diego nos leva a reflexão com seu personagem e todas as situações que ele passa e nos lhe dá grandes ensinamentos.
    Acho que é uma ótima dica de leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  4. Primeiro, eu achei essa capa linda, diferente das capas apelativas da editora. Quando li a sinopse, gostei do enredo, a visão de cada pessoa da casa, a forma como os personagens querem resolver os conflitos, enfim, espero poder ler.

    ResponderExcluir
  5. que capa bonita,também gostei das cores usadas,ficou bem harmoniosa...
    com relação ao enredo, tbm me deixou encantada...certamente seria uma leitura que eu faria,caso tivesse oportunidade...

    gosto de leituras que me ponham em reflexão...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  6. Realmente a capa é muito atrativa e suas impressões me deixaram fascinada pelo livro. Enredos como esse, reflexivo, mexem conosco. "Não há nada de errado em aprender a caminhar de forma mais leve". Essa frase mostra que o tema desenvolvido pelo autor vai tocar profundamente os leitores.
    Beijo,
    Cidália.

    ResponderExcluir
  7. oiii *-*

    achei a capa simples mais ela ficou tão bonita , e um livro diferente que irei da uma chance, adorei a resenha parabens ....

    bjss

    ResponderExcluir