RESENHA || O VENDEDOR DE SONHOS



Título: O Vendedor de Sonhos | Autor: Augusto Cury | Cortesia: Planeta do Brasil |

                                                      Ano: 2016 | Páginas: 320
Avaliação: 
Onde comprar: SaraivaAmazon
*Cortesia da Editora
O romance mais vendido de Augusto Cury, que deu origem ao filme de Jayme Monjardim, com Dan Stulbach e César Troncoso nos papéis principais. Edição revista pelo autor, com passagens inéditas presentes na adaptação para o cinema. Um homem maltrapilho e desconhecido tenta impedir que um intelectual se suicide. Um desafio que nem a polícia nem um famoso psiquiatra tinham sido capazes de resolver. Depois de abalá-lo e resgatá-lo, esse homem, de quem ninguém sabe a origem, o nome ou a história, sai proclamando aos quatro ventos que as sociedades modernas se converteram em um hospício global. Com uma eloquência cativante, começa a chamar seguidores para vender sonhos em uma sociedade que deixou de sonhar. Nada tão belo e tão estranho.
“Não tenha medo do caminho, tenha medo de não caminhar.”

Logo no começo da obra me peguei vidrada na história, me deparando com uma ameaça de suicídio. Um homem estava prestes a se jogar de um prédio. (Confesso que pela capa já imaginava que em alguma parte do livro isto seria abordado, mas não imaginei que o clímax da história viria logo aqui pelo começo). 

Como é de se esperar, aquela confusão toda atraiu curiosos, policiais, psiquiatras, bombeiros, e quanto mais as pessoas tentavam ajudá-lo tentando o convencer a não pular, mais certeza ele possuía do que ia fazer. 

Funcionava como uma psicologia reversa. Cada pedido de desistência que a multidão fazia para aquele moço, mais vontade de se jogar ele tinha. Eu já estava esperando a hora que iria ler que o homem tinha desistido de viver e pulado, quando um maltrapilho surge no enredo, senta perto do rapaz "quase suicida" e da início a uma refeição. 

Com toda calma inesperada e durante uma longa conversa, este maltrapilho consegue salvar a vida daquele rapaz o fazendo desistir de cometer suicídio. Na verdade, este maltrapilho, era o Vendedor de Sonhos e aqui, a história fez muito mais sentido. 

Encantado com as palavras do Vendedor de Sonhos, o rapaz passou a segui-lo como se fosse seu mestre, e após "vender sonhos" para outras pessoas, ele vai ganhando mais e mais seguidores e como toda parte boa, há também as ruins. Com a "fama" ele também conseguiu inimigos e também questionamentos: como um pobre e malvestido consegue ter uma mente brilhante e ser capaz de ajudar àqueles que mais precisam?

A partir daqui temos uma linda e emocionante jornada onde também aprendemos a nunca desistir de nossos sonhos. 

"Não duvide do valor da vida, da paz, do amor, do prazer de viver, enfim, de tudo que faz a vida florescer."

Confesso que antes de receber esta obra estava aguardando um livro totalmente baseado em "auto ajuda". Apesar da fama de Augusto Cury, nunca tive a oportunidade de conhecer de perto suas obras. Então este foi meu primeiro contato com o autor. O que posso dizer aqui é que valeu muito a pena esperar todo este tempo para me deliciar com um belíssimo enredo. 

"O Vendedor de Sonhos" foi uma surpresa inesperada. Mesmo achando que seria baseado em auto ajuda, não criei pretensão alguma para leitura e fiquei fascinada. Este livro é abarrotado de lições e ensinamentos, onde nos mostra que não devemos abandonar nossos sonhos, mesmo a sociedade nos impondo metas, regras e padrões. 

Acredito que este deveria ser aquele livro de cabeceira de todos os leitores. Um livro amigo e amparador. Leitura recomendada a todos os leitores, independente do gênero literário preferido. É muito mais do que auto ajuda. São lições que aprendemos e carregamos para a vida. 

"E para aqueles que pensam em pôr um ponto final na sua história, procuro vender uma vírgula. Uma pequena vírgula para que eles continuem a escrever a sua história." 


10 comentários:

  1. Mano, que historia! Fiquei muito curioso pra ler o livro e tudo que você falou aumentou mais ainda kkk! Ainda n li nenhum livro no cury... e como vc acho que vou começar com esse livro!!

    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Acho que as histórias são bem engrandecedoras e apesar de já ter visto vários livros e resenhas, nunca li nada dele.
    Espero conseguir ler algo em breve, me pareceu sensacional esse livro,
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li nada do autor mas tenho curiosidade. Eu não conhecia o livro mas vi o filme há algum tempo e lembro de ter gostado, só não sabia que era inspirado em um livro. Agora quero ler!

    ResponderExcluir
  4. Que livro sensacional!! Tenho muita vontade de ler e espero conseguir realizar isso em breve. A história me lembrou muito a parábola do Rico e o Lázaro.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Não tenho vontade de ler o livro, mas ele tem um enredo bem interessante. Achei bem legal que ele te surpreendeu positivamente!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá Amanda, tudo bem?

    Eu li "O Vendedor de Sonhos" tem muito tempo, mais de 10 anos atrás. Esse livro é muito bom, enriquecedor e com diversas lindas mensagens. Gosto dos livros do Augusto Cury, contudo tem muitos anos que não leio suas obras.
    Bjuss

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? De fato, muitas pessoas associam o Augusto Cury imediatamente com auto-ajuda. Mas esse livro dele foge da tangência dele. Lembro que na época gostei bastante da leitura e que foi bem enriquecedora. Ler sua resenha me fez lembrar desses acontecimentos. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Sou louca pelos livros do Augusto Cury, mas este ainda não tive a oportunidade de ler. Gosto inclusive dos que são mais autoajuda, mas os que me fascinam mais são mesmo os que ele escreve como ficção. Todos são sempre assim mesmo, abarrotados de lições e ensinamentos. Que bom que se surpreendeu!

    ResponderExcluir
  9. Oi.

    Posso estar sendo preconceituosa, mas se tem um autor que não pretendo ler nada dele é o Augusto Cury. Os livros dele não fazem nem um pouco meu estilo, por isso, vou passar a dica dessa vez.

    ResponderExcluir
  10. Oi Amanda!
    Acho que já li a sua resenha umas quatro vezes e ainda não sei o que comentar.
    Não seria um livro que eu leria por agora. Sinceramente, não estou nessa vibe ultimamente, mas também não seria um livro que eu dispensaria totalmente se viesse a encontrá-lo por ai, entende?
    Não sou chegada a escrita do Cury, então isso me deixa um pouco com o pé atrás com a leitura, mas a sua resenha é bem positiva, fico na dúvida hahaha Vou deixar para mais tarde essa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva