RESENHA || ACENDA A LUZ


Título: Acenda a Luz| Autor: Sandra Modesto| Editora: Kazuá
                                       Ano: 2015| Páginas: 96
Avaliação: 
*Cortesia do autor
A autora Sandra Modesto apresenta neste livro "Acenda a Luz" uma escrita contemporânea e esteticamente miscigenada por entre uma miscelânea de gêneros perpassando a crônica e a poesia. Não se limitando a ideia dum corpo textual uniforme e com uma temática centrada no trato do universo feminino, desvela todo um cotidiano de possibilidades, que adquire um novo significado pela ótica peculiar de sua percepção criadora dum sensorialismo corrente e incontido.




O gênero textual crônica se tornou, recentemente, uma das minhas paixões referentes às escolhas de leitura. Por isso, poder contemplar uma obra que na sinopse anuncia que o livro contém crônica, já me atrai.

“Acenda a Luz” é uma das obras de Sandra Modesto, autora contemporânea, e me chamou a atenção pela capa, pois tem nela umas flores em tons de verde, salmão e amarelo, sem contar que é linda a imagem quase que subliminar entre as letras contendo o beijo de um casal.

Minha expectativa para a leitura do livro foi elevada ao máximo, sem contar que as informações contidas na contracapa muito bem escritas por Luana Castro Taiti de Carbonera ao dizer que o livro centra-se a crônica intercalando entre o efêmero e o tátil ganhou alguns pontos comigo me convencendo realmente a ler.


As páginas que intercalam os textos do livro são belas, pois contém flores às vezes no centro, ora no topo ou no rodapé da página, as quais parecem carimbadas aleatoriamente.

Os escritos do livro parecem ser um diário da autora, como se ela tivesse recortado conversas e situações das suas memórias , as quais ela registra através de diálogos e poemas em sua maioria (nomeados como crônica-diálogo e crônica-poema por Luana Castro). 

Dos textos contidos no livro, os que mais gostei foram as crônicas intituladas como “Micos por papai” e “Vidas-vindas-idas”, momentos registrados por Sandra no seu recôndito familiar. 

Em “Micos por papai”, a autora narra os micos vivenciados por ela e por suas irmãs, todos provocados ou estimulados pelo seu pai. Percebe-se que é uma história contada para seu pai, como se o mesmo não estivesse incluído na contação, tendo sempre a repetição da frase “Pô, pai, que mico!”. A crônica possui um caráter emocionante e cômico ao mesmo tempo, pois o pai tomará a fala ao final apresentando seu ponto de vista da narrativa.


Confesso que tive uma dificuldade para terminar a leitura, apesar da pouca quantidade de páginas, por mais que os textos fossem curtos, a leitura foi arrastada. Acredito que esse fenômeno se deu pelo alto horizonte de expectativas criado por mim antes da contemplação em relação às crônicas. 

Considero que “Acenda a Luz” é um livro de poemas, diário, memórias, mais do que de crônicas. Posso elencar que a maioria dos textos não são crônicas, ao meu ver. Não encontrei associação entre as gravuras entre as páginas e o texto verbal, nem com a capa que é tão atrativa. 

O livro contém 20 textos e é recomendado para leitores de poemas livres e para aqueles que querem fugir do usual e arriscar-se no novo.

Ultimato
PRECISO DE TI;
Porque não suporto a ideia;
De encontrar-me sem seus olhos em mim...
PRECISO DE TI;
Ontem, hoje, amanhã e agora. O agora será meu sempre...
Quando chegares perto e se mostrar atento...”

7 comentários

  1. Que arte gráfica mais linda! Também amo crônicas, como elas transmitem tanto em poucos parágrafos, sem enrolacao e descrições desnecessárias.
    Ainda não conheço a autora, mas isso mudará em breve.
    Amei a dica. Bjss

    ResponderExcluir
  2. A capa também me chamou atenção e a sua resenha me despertou interesse para a leitura, parece ser um livro bem agradável de ler e a diagramação para ser linda.

    ResponderExcluir
  3. Um livro com uma bela capa, e nossa que análise semiotica vcê fez heem?! haha
    Hórrivel quando criamos muitas expectativas e o livro não atende, realmente a leitura tende a se arrastar. E adorei o seu blog muito fofo.

    ResponderExcluir
  4. Um livro com esta capa atrai a atenção de qualquer um. Não conhecia o livro e por conter crônicas me interessei. Uma pena foi saber que não há uma conexão entre textos e partes gráficas. Em compensação a parte sobre os micros paternos me pareceram hilários.
    Vou anotar a dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Não sou de ler muitas crônicas, mas esse livro já chama atenção pela capa e seu conteúdo. QUe edição linda, as partes gráficas estão demais. Pena que não tem essa conexão com a história. E nossa, leitura arrastada é uma coisa bem complicada né?! Gostei da sinceridade na resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, que livro fofo...adorei os detalhes e a diagramação.
    A capa está uma fofura só.

    Eu adoro crônicas, mas faz tempo que não leio nada do tipo.

    Vou anotar a dica!

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. olá... nunca tinha ouvido falar do livro até o momento, e mesmo você dizendo que a leitura foi um pouco arrastada, eu me arriscaria a ler...até porque o livro é curtinho :D

    a proposta dele me soou interessante...bjs ^^

    ResponderExcluir