SEMANA DARKLOVE FOREVER|| SELEÇÃO DE QUOTES


Além da resenha do livro O último adeus, da Cynthia Hand, trago para vocês trechos desse livro que me marcou. Uma temática densa e dura, e ao mesmo tempo que nos faz refletir sobre o valor da vida e as consequências que a morte de alguém querido pode vir a causar.

Alexis Riggs, ou Lex como é chamada na obra, é uma garota apaixonada por números como também passa por uma situação difícil em sua vida! Ela perdeu o seu irmão, e desde então passa por um acompanhamento psicológico e nessa sua nova fase ela terá a responsabilidade de colocar todos os seus sentimentos em um diário, como válvula de escapa e também remédio para amenizar a dor da perda. Durante toda a obra, nós acompanhamos frases de arrancar o coração e que nos fazem suspirar. Para saber mais, confere a resenha da obra AQUI.




“O tempo passa. É a regra. Independentemente do que aconteça, por mais que pareça que tudo em sua vida está congelado em um determinado momento, o tempo segue em frente.”

Todo o livro é escrito em cor azul, cuja ideia principal é a escrita de um diário pessoal. O mais interessante é a capa em estilo de post-it que passa a ideia de "recados" a serem vistos pela própria Lex. 

“Mamãe está chorando de novo. É como se uma torneira fosse aberta dentro dela em momentos aleatórios. Podemos estar fazendo compras, dirigindo ou assistindo à TV, e quando olho para ela, minha mãe está chorando, como se nem percebesse o que está fazendo – não soluça, não grita, não funga, só as lágrimas descendo pelo rosto dela sem parar”

Não é fácil passar pela situação de perder alguém querido. Impossível não chorar nos momentos em que Lex tenta fazer algo para que sua mãe largue a bebida, mas o pior de tudo é que ela está entregue e desistiu de viver. Há momentos em que Alexia parece ser ainda mais madura que a sua própria mãe. 

“Nasci com números no cérebro. Penso em equações. O que eu faria, se conseguisse escrever e produzir algo útil, seria pegar minhas lembranças, esses momentos efêmeros e dolorosos da minha vida, e encontrar uma maneira de somá-los, subtraí-los e dividi-los, inserir variáveis e movê-los, tentar isolá-los, descobrir seus sentidos ilusórios, traduzi-los de possibilidades a certezas”

Apesar dos momentos difíceis. a garota demonstra a sua paixão por números e a sua mais nova habilidade: escrever. Para ela escrever e produzir algo útil, a torna alguém melhor.


“Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio.”

Não há como entender o porquê alguém tirou a própria vida. São vários os motivos, e por pior que seja a mente humana ainda tem muitos mistérios que nem mesmo a ciência pode explicar. 

“Tenho fases nas quais acho que tudo vai ficar bem e que o céu é azul e tal, quando consigo sentir o sol e o ar entrando e saindo de meus pulmões e penso a vida é boa. Mas então, todas as vezes, também sei, no fundo, que a escuridão está vindo. E não vai parar de vir”

A Lex tem esperanças de que algum dia tudo ficará bem. A sensibilidade que ela ganha ao passo que escreve suas memórias e sentimentos no diário a torna mais forte. E, somos levados a crer que mesmo no fundo do posso e na escuridão a luz aparece para todos aqueles que desejam buscá-la.

"Isso vai parecer meio lugar-comum, acho, mas nunca se sabe quando vai ser a última vez. Que você abraça alguém. Que você beija. Que você se despede."
 Portanto. declare o seu amor para as pessoas que você mais ama. É essa a mensagem deixada por Alexia. Não sabemos o que se passa na mente das pessoas, nem mesmo se elas estão saudáveis quanto aparentam, antes de dizer: O último adeus.

Sobre a autora

Cynthia Hand é autora da trilogia Sobrenatural, incluída na lista de best-sellers do New York Times. Nascida no sudeste de Idaho, ela é formada em escrita criativa na Boise State University e na Universidade de Nebraska-Lincoln. Nos últimos sete anos, lecionou redação na Pepperdine University no sul da Califórnia. Ela e a família recentemente se mudaram de volta para Idaho, onde estão curtindo o ar fresco. Saiba mais em cynthiahandbooks.com.

Nenhum comentário