RESENHAII CUJO

Título: Cujo
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 373

Avaliação:  
                              SKOOB || Onde comprar: Amazon ou Saraiva

Frank Dodd está morto e a cidade de Castle rock pode ficar em paz novamente. O serial killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Nos limites da cidade, Cujo - um são-bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber - se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde acaba sendo mordido por um morcego raivoso. 

A história se passa na pequena cidade de Castle Rock e rodeia basicamente as famílias Trenton e Camber, embora haja personagens secundários que se entrelaçam no decorrer da história. Vic e Donna Trenton são os pais de Tad, um garoto de quatro anos de idade que vê em seu closet um monstro com olhos vermelhos e que o vigia todas as noites, antes do garoto dormir. Para Tad, o monstro é o serial killer que viveu na mesma cidade, que matou mulheres e em seguida cometeu suicídio. Esse monstro sempre avisa que sua hora está cada vez mais perto e o medo toma conta de Tad, que não descansa, e dos pais, que se sentem cada vez mais angustiados com a perturbação do menino. 


"Eu disse a você que eles iriam embora, Tad. É o que sempre fazem, afinal. E é aí então que eu volto. Eu gosto de voltar. Gosto de você, Tad. Acho que agora vou voltar todas as noites e cada vez mais estarei mais perto de sua cama... um pouco mais perto... até que chegará a noite em que, antes que possa gritar, você ouvirá uma coisa rosnando bem pertinho de sua cama, Tad, e essa coisa serei eu, que saltarei e comerei você, então, passará a estar dentro de mim."

Intercalando à história dos Trenton, entra em cena o dia-a-dia da família Camber; Joe Camber é um mecânico e possui uma oficina no quintal de sua casa; Charity é uma dona de casa e mãe, que ajuda o marido a manter a casa; e o filho do casal, Brett, que, além de ajudar o pai nos serviços de casa, também toma conta de seu cão - Cujo - um são-bernardo com quase 100 quilos, bastante dócil.

Cujo é um cão bastante calmo e, embora cause medo por causa de seu tamanho, é um bom cachorro. Porém, perseguindo um coelho, acaba metendo o focinho onde não deve (literalmente) e é mordido por um morcego raivoso, contraindo a doença.

Voltando à família Trenton, após descobrir a traição de Donna, Vic viaja para resolver problemas em sua empresa, criada com seu amigo, e deixa a mulher e o filho em casa. Com o corcel de Donna apresentado um problema mecânico, a jovem mulher resolve ir à oficina do senhor Joe Camber para consertar o veículo e mostrar tanto para si quanto para Vic que ela consegue resolver os próprios problemas.

Donna acaba levando Tad junto, depois da criança fazer um alvoroço e não querer ficar com a babá, por medo do monstro do armário, terror de sua vida. Após ceder às birras do garoto, Donna o coloca no carro e ambos saem no corcel engasgando durante sua viagem, buscando a oficina de Joe.

Cujo, já consumido pela raiva, se transforma em um demônio louco por sangue e sente o desejo de acabar com as vidas que encontra pela frente, como uma forma defensiva, já que ele atribui a dor da raiva no organismo às pessoas que topa enquanto perambula.

A partir daí os problemas tomam um rumo maior e mais devastador. Cujo está no auge da violência. O pânico toma conta quando Donna chega à casa dos Camber e o cão ataca o corcel, amassando a lataria do carro e deixando mãe e filho trancados, vivendo o horror de ver o monstro do armário de Tad em forma real e letal, em um ambiente claustrofóbico e sem nenhuma saída.

A história de Cujo faz entrelinhas com algo bastante comum na infância da maioria das pessoas: o medo do que pode haver dentro do armário ou embaixo da cama. A materialização desse monstro do armário se faz a partir do momento que Donna e Tad ficam presos dentro do carro com um animal louco e violento os encurralando e fazendo de tudo para atacá-los e sangrá-los até à morte. 

Diferente de outras obras do Stephen King, Cujo não apresenta o sobrenatural como evento principal à trama, mas a referência de um assassino em série morto se faz presente à criança para dar motivos para que haja medo e este, por sua vez, se concretize mais à frente no texto, quando o medo se mostra como um cão raivoso.

"O mundo era frágil, tão frágil quanto um ovo de páscoa: lindo por fora, oco por dentro."

O ambiente é claustrofóbico e angustiante dentro um corcel e duas pessoas desarmadas dentro dele, sem comida nem nenhum tipo de meio de fuga, já que o carro está totalmente morto. Outro fator importante na trama é a situação psicológica de cada personagem, já que durante a narrativa, há problemas conjugais e financeiros, contribuindo ainda mais para as reações de cada personagem.

A Suma de Letras está relançando algumas obras do Stephen King que já foram esgotadas, com o selo "Biblioteca Stephen King" e Cujo está entre elas. Algo que se faz diferente nesse novo lançamento é a capa dura com a pata do Cujo em baixo relevo e os detalhes das folhas de rosto, além do título ser original, e não "Cão raivoso", como a versão rara do livro. Outro fator bastante agraciado nessa nova versão é que há uma entrevista como créditos da obra, onde o Stephen fala sobre a obra Cujo, contando inclusive que se baseou em fatos ocorridos com ele para escrever mais essa obra; além de outras obras, contando detalhes e coisas que o inspiraram a escrever.

Para os amantes do terror e horror, esse é mais um que recomendo. Assim como outras obras do Mestre do terror, Cujo se faz como um de seus excelentes trabalhos. Se você já leu, comente sobre. Se ainda não, anota na sua lista de livros para ler e passa por aqui pra deixar sua opinião!

Nenhum comentário