AMIGA ÍNTIMA DAS CRÔNICAS || EU NÃO QUERO SER FILHO ÚNICO




Mamãe eu preciso conversar um pouco com a senhora sobre o futuro, pode ser que seja um pouco cedo para falar sobre isso, afinal, eu ainda sou muito pequeno, mal sei andar nem falar, mas eu preciso te contar que não quero ser filho único.


Estamos indo bem até aqui, você tem sido excelente, nós temos vivido vários momentos maravilhosos e únicos que vão ficar marcados para sempre, momentos que eu sei você não trocaria por nada nesse mundo. Por que não podemos ter isso tudo novamente? Me dê a chance de ter um irmão, eu não quero um cachorro, não quero uma boneca que fale 100 frases.

Eu quero alguém que possa brincar comigo, quero chegar da escola e ter alguém que entenda o quanto é divertido ir a aula, quero alguém para defender, quero alguém para brincar. Eu não quero me sentir sozinho quando não estiver por perto, e você sabe que isso vai acontecer; quero tirar muitas fotos e, no futuro rir do quanto nos achávamos esquisitos. Quero competir com marcas de altura na parede, quero ter alguém pra planejar uma surpresa para o dia das mães, quero alguém para conversar sobre o porquê o céu é azul, quero as discussões, eu quero alguém para culpar e depois pedir perdão.

 Eu quero alguém para conversar sobre meu primeiro amor, alguém para dividir as suas cobranças de que temos que nos tornar alguém na vida. Quero que tenha orgulho de nós e, que seja a mãe mais feliz do mundo por ter dois filhos que te enchem de orgulho. Eu quero que sejamos uma família grande. Eu quero que minha despedida de solteiro seja organizada por alguém que me conheça profundamente, quero me casar, quero ter um lar pra visitar além do seu, mamãe; eu quero os domingos de churrasco em família. Quero te ver segurar seus netos e sentir uma nostalgia enorme por ter cuidado de nós dois. Quero relembrar todas as histórias, todas as bagunças...todos os momentos que passamos por coisas difíceis mas, que juntos nós superamos.

Eu sei que parece muito te pedir que tenha outro bebê. Eu sei o quanto te cansa, sei que há várias noites mal dormidas, o quanto as dores do parto te assustam. Sei que quer dar uma boa vida pra mim, e do quanto se preocupa com o fato de que eu esteja seguro quando vai ao trabalho. Sei que tudo mudou depois de mim, ninguém tinha te falado sobre sentir falta de tanta coisa depois de ser mãe, mas eu sei que não se arrepende de ter dado a luz a mim, eu te disse... nós tivemos muitos momentos bons, momentos que eu sei que fazem toda essa dor valer a pena. Eu te ajudarei a cuidar do que vier, eu te prometo, tudo o que eu não quero é chegar no fim sozinho. Quando você partir, eu não suportarei sentir sua falta sozinho, quero alguém que compreenda minha dor.

Possa ser que eu esteja sendo dramático, talvez você já sonhe formando um casal de filhos lindos, ou duas meninas, ou dois meninos, ou quer ter gêmeos... eu não sei, eu nunca falei com a senhora sobre esse assunto, talvez pense em um bebê, mas não agora, daqui a dois, quatro ou talvez cinco anos. Eu só queria te contar tudo o que estou sentindo, afinal, também somos melhores amigos. Eu te amo mamãe, e te amarei mesmo que decida que não terá outro bebê, mas pensa com carinho em tudo o que eu te disse.

9 comentários:

  1. Gostei muito do texto. Tenho uma filha de 9 para 10 anos e não tivemos ainda outro filho. Mas nosso desejo como casal sempre foi ter 3 filhos, porém a labuta da vida não permitiu que isso se concretizasse agora. Ela sabe que queremos e estamos planejando outro para logo, mas infelizmente ela não vai curtir tanto quanto gostaríamos, mas, se for pensar em futuro, pelo menos ela terá irmãos para compartilhar os momentos futuros juntos.

    Tenho 3 irmãs menores, nossas festas atuais de família são maravilhosas, eu e mais duas casadas já... Então tudo em família é muito divertido. Fico realmente pensando muito sobre ela sozinha e o único primo. Fico triste só de pensar, mas pelo menos já tem um ao outro, mas desejamos que logo isso mude, afinal, nunca esteve em nossos planos ter apenas um filho. Obrigada pelo texto e pelo espaço.


    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu tenho 21 anos e sou filha única e seu texto resumiu bem o que senti durante boa parte da minha infância. Por outro lado, apesar de ter sido solitário na maioria das vezes, crescer sem irmãos me fez valorizar ainda mais as amizades que surgiram na minha vida (algumas existem desde que eu tinha 5 anos), em especial as daquelas pessoas que se encaixam tão bem com a gente que parecem até irmãos de outra mãe. O que não deixa de see verdade.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Não sei o que é ser filha única, pois sou a "filha do meio", então na minha infância, sempre tive alguém para me acompanhar no que eu fizesse, mas vi sinceridade em cada palavra que escreveu!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Seu texto é muito fofo.
    Sou filha única, mas sempre tive amigos e primos tão próximos que eram como irmãos, então não senti tanto essa "solidão".
    Na verdade, ser filha única só me incomodava quando alguém ficava chocado por eu ser filha única. haha

    ResponderExcluir
  5. Oie tudo bem?
    Me identifiquei muito com o texto, sou filha única e sempre me senti soitária, mas nunca tive coragem de contar pra ninguém...
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Se um dia eu tiver filhos, será apenas 1, e mesmo que meu filho me dissesse essas coisas, sei que não cederia, falaria para ele sobre o direito do corpo da mulher, sobre a morte, egoísmo, enfim, crianças que são filhas únicas, às vezes, pensam dessa forma e abrem brechas para ótimos diálogos.

    ResponderExcluir
  7. Olá Mary, tudo bem?

    Eu adorei o seu texto, sou filho único e várias vezes me senti solitário, mas nunca cobrei da minha mãe outro filho, até porque a gravidez dela foi de risco, o bom que tive muitos primos e primas na mesma faixa etária, então isso amenizou um pouco o fato de ser filho único.
    Bjuss

    ResponderExcluir
  8. Eu quando era pequena também tinha muito o desejo de que minha mãe me desse um irmão ou irmã e acabou que ela deu e hoje confesso que preferia ser filha única, eu sou boa em ficar sozinha, não que eu deseje que ela nunca tivesse nascido, mas nós não nos damos bem como a maioria dos irmão, temos nossos momentos mas a maioria das vezes é cada uma no seu canto e nenhuma fala com a outra então a parte de ficar sozinha não mudou em nada com o nascimento dela

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Que Graça o seu texto!
    Eu tenho duas irmãs, mas acredita que vivia pedindo mais pra minha mãe hahhha.
    Bjs

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva