RESENHA|| BICHOMEMULHER

Título: Bichomemulher
Autor: Magali Polida
Editora: Divas
Páginas: 92 páginas
Ano: 2015

Avaliação
Sinopse: O bicho é um movimento brusco, e esse movimento pode tender para águas tranquilas ou para o fogo, que se apagou, mas deixou as brasas, que ferem do mesmo jeito. O bicho é violento, é irracional. Conflita-se com o amor, que é sereno. Esse movimento, eu busco.
O amor não é luto, não é luta, é vencedor. Somos nós, homens e mulheres, os bichomemulheres que precisamos lutar para acreditar que ele existe e que podemos vivê-lo em sua plenitude.



Ah! A poesia...

Magali Polida explica no prefácio intitulado “Da origem do título” a justificativa para o nome dado a obra “Bichomemulher” (como é de se esperar por ser um título bastante curioso), além de explicitar qual a sua disposição para escrever a série de poemas que compõem o livro formado por treze capítulos, que deu-se a partir de um momento de impacto dentro de um consultório médico narrado e descrito por ela.

Dica para ler esse livro
De pernas para o ar
Até alcançar o céu
Até alcançar o seu
Eu.” p. 59

As temáticas das poesias são as mais diversas possíveis, desde aspectos triviais do cotidiano como as relações intra e interpessoais até as lamúrias e escórias sociais do mundo. As emoções produzidas por meio dessa leitura são das mais diversas possíveis, desde sorrisinhos bobos por causa da delicadeza, questionamentos internos acerca da sociedade e até o próprio “eu”, partindo para impactos e tristezas decorrentes de pensamentos elucidados pela escritora (sentimentos que podem ser alterados de leitor para leitor conforme suas experiências de leitura e suas vivências, mas tocará certamente os constantes questionadores e àqueles que se preocupam com questões humanitárias).





A poetiza usa e abusa dos aspectos poéticos e recursos de linguagem para realizar o jogo de palavras, os efeitos de sentido, as cadências e as rimas (nem sempre presentes) nas poesias. Observa-se a utilização de aliterações, de ironias, de inversões, de atribuição de sentimentos e qualidades humanas em seres inanimados, união de sílabas de diferentes palavras para formação de outras palavras e sentidos, além da boa exploração do duplo sentido.

Os frans da vida
Mostre suas fraquezas
Mostre suas franquezas
Para Deus.
Para os homens
Mostre suas franquias.
Eles entendem mais
Quando a questão é dinheiro.” p. 24

Os poemas são recheados de referências aos ditados e frases popularmente ditos que são alterados com uma boa dose de lirismo e licença poética pela autora, alguns espaços são citados como cidades brasileiras como Recife, Fortaleza e Rio de Janeiro, enfatizando suas maiores características, tem-se também versos referenciando os personagens de Woody Allen, o livro “A Revolução dos Bichos”, as composições de Manuel Bandeira, aspectos religiosos e a Deus, sem esquecer de ressaltar os termos médicos e científicos associados ao homem como animal e àquela questionável consulta médica citada no prefácio.


       
O livro pode ser degustado em uma só sentada saboreando uma boa xícara de café/chá ou deliciada minuciosamente cada poema em alguns segundos, como são curtos podem ser doses durante um dia ou conta gotas para ser bem apreciados em momentos diferentes de uma semana.

O mundo de outrem
O “mundinho” de alguém não é diminuto.
O “mundinho” de alguém não é de horas
O “mundinho” de alguém não é de segundos.
O mundo de alguém
Tem outros vagões
É outro trem.” p. 33

Para mim, a divisão da obra não impõe uma obrigatoriedade de leitura por período, capítulo ou compilado, por serem poemas tão simples, em sua maioria, doces, em outros momentos, amargos, mas pequenos com uma particularidade singular em cada um deles.

Putrefação
Of course
Que amenizo
As coisas ruins.
Fomentá-las
Só aumentaria
A fome.
Da parte putrefata
Do ser.” p. 37


         

A obra é indicada para os amadores de poesia, mas também para os leitores reflexivos. A leitura é leve e não exige uma maturidade literária, podendo ser lido por novos leitores, por aqueles ainda não habituados a leituras densas ou com preferência em livros suaves e despreocupados (no sentido mais positivo possível dessas palavras).



 Essa foi a primeira obra de Magali Polida que li. E vocês conheciam a autora ou têm hábito de ler poesia?

Os Poemas
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...”
Mário Quintana



SOBRE A AUTORA

 Escritora, Poetiza, Pedagoga, Poetriz, Artesã, Artista Plástica e seus interesses pessoais são públicos desde o seu nascimento em 1981 no estado de São Paulo. Mora há 22 anos em Pernambuco e se considera cidadã Pernambucana.







17 comentários:

  1. Nem li a resenha, mas já me sinto mais bonita pelo cuidado que tiveram com a estética. Vou lê-la agora ;-}

    ResponderExcluir
  2. Olá, Jéssica! =^.^=

    Gostei muito da sua indicação de um livro de poesia. Faz muito tempo que não leio um! Acho que me acostumei aos romances, deixando de lado a suavidade que a poesia traz consigo também. Os trechos que você selecionou foram ótimos para compreendermos a essência do livro, que parece ser bem diversificado. Vou guardar sua sugestão para uma próxima oportunidade (até porque minha listinha já está gigante, e olha que o ano acabou de começar! haha). Sua resenha foi muito bem escrita, meus parabéns!

    Um beijo,
    Débora
    Amor Livrônico

    ResponderExcluir
  3. Encantada com a delicadeza da resenha. Obrigada Jazz Anjos ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Magali! Foi uma honra.
      Obs: Amo quando me chamam de Jazz. Me poetiza. rs ;)

      Excluir
  4. Nunca li um livro de poesia, mas tenho curiosidade ^^ Adorei a resenha!

    Beijos

    http://aguardandoogatobranco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Não gosto muito de livros de poesia, por isso raramente os leio, mas gostei muito da sua indicação. As poesias que você apresentou ao longo da resenha me agradaram bastante e fiquei encantada com a capa e o trabalho gráfico do livro em geral. Uma dica muito boa, adorei!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá
    parece ser um livro bem diferente do que leio e com um gênero mais peculiar, poesia é um gênero bem complicado as vezes mas adorei os que vc citou aqui na resenha e adorei a capa do livro, parece ser uma ótima obra

    beijo
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro poesias, principalmente quando são que nem essas: leves, divertidas, cheia de referências e envolventes. Gostei dos temas tratados, e achei essa capa muito divertida e bonita. Não conhecia a obra, mas com certeza irei ler quando tiver oportunidade.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Jéssica,
    Não curto muito poesias, mas achei todas as que você citou extremamente leves e envolventes e me vi querendo muito mais. É muito legal saber que esse livro é indicado para todo tipo de leitor até aquele que não tem o costume de ler poesia. Também gostei de saber que pode ser lido numa sentada só.
    Vou anotar essa dica, pois estou tentando sair da minha zona de conforto e ler obras variadas.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  9. OOi!
    Não possuo nenhum livro de poesias, mas gosto de ler. Esses livros devem ser ótimos para ler, reler, deixar perto da cama...
    Já havia visto a capa, mas não sabia do que se tratava. Sua resenha está incrível e me deixou cheia de vontade de lê-lo. Dica anotadíssima!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  10. Eu demorei a entender o título e a sinopse me deixou boiando XD

    Há tempos eu não pego um livro de poesias, acho que tive minha época poeta na adolescencia e jovem adulta... Não me sinto mais muito romântica em relação a vida, o que consequentemente me faz evitar livros de poesia.

    Sua resenha mostrou bem a delicadeza da poesia da autora, deixou com vontade de le-lo num dia frio acompanhado de uma boa xícara de chá.

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  11. Oiii.
    Não costumo ler poesia, mas lendo a sinopse e a resenha desse livro fiquei curiosa para conhecê-lo.
    Parece ser uma leitura bem agradável.
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  12. Oi,

    Ainda não conhecia o livro, adoro poesias por nos mostrar além das coisas simples na vida.
    Gostei bastante da sua resenha e anotei a dica, adoro essa delicadeza que você encontrou na escrita da autora.
    Tem coisa melhor um livro de poesia com uma xícara de chá?
    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Oi Jessica tudo bem?
    De fato o titulo desse livro é bem curioso e a capa dele é sem duvidas incrivel. Entretanto, não gosto muito de poesias, então, mesmo com a sua resenha positiva, terei que deixar a dica passar

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  14. Ainda não conhecia a autora, mas estou apaixonada por esse livro. Não digo que sou amante da poesia, mas de vez em quando rola uns casos. O que mais gostei foi da variedade dos poemas, de serem desgarrados e diferentes.
    Amei a capa, é um verdadeiro amorzinho.
    Enfim, gostei de conferir suas impressões.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Não sou muito de ler livros de poesia - o que eu deveria mudar logo, até porque acredito que tem muita coisa boa que estou perdendo. Um exemplo me parece ser esse livro lindo. Sua resenha me fez ficar apaixonada, fiquei imaginando o quando irei curtir e me envolver com a leitura...
    Com certeza entrou para a lista!!!
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva