AMIGA INTIMA DAS CRÔNICAS|| EU, CINDERELA


Conciliar família, estudo, trabalho, vida social e mais mil coisas que fazem parte do dia a dia de uma pessoa normal não é fácil. É por isso que nas minhas pausas do trabalho, enquanto faço a minha refeição que deveria ser o almoço, sento em uma das mesas da praça de alimentação do shopping no qual trabalho e conecto o wi-fi. Faço uma atualização rápida nas minhas redes sociais, respondo as mensagens dos meus amigos e agendo as atividades da universidade que eu preciso entregar no dia seguinte. Faço tudo isso de forma rápida, afinal estou mordendo o meu sanduíche, bebendo o meu refrigerante e aguardando ansiosa o momento do meu encontro.

Depois de tanta pressão, tanta realidade a minha volta, aproveito entre 20 e 30 minutos da minha pausa para me perder em um bom livro. Nele, viajo por lugares que nunca imaginei conhecer, vivo outras vidas, às vezes diferentes e às vezes bem semelhantes a minha própria, faço amizades inesquecíveis e inimigos mortais e principalmente encontro em quase todos eles o grade amor da minha vida. 

Posso dizer sem medo que esse é o momento favorito do meu dia. Quando esqueço tudo o que me cerca, caio de cabeça na leitura e passo a viver em uma realidade paralela. Só volto a realidade quando meu celular alarma avisando que meu tempo acabou e que tenho 10 minutos para escovar os dentes, retocar a maquiagem e voltar ao trabalho.

Ignorando todo o bom senso, estava terminando o meu refrigerante e apoiando o livro na outra mão, tão absorta na história que acabei derramando quase tudo o que restava na lata na minha camisa. Tentei evitar uma sujeira ainda maior pulando da cadeira, derrubando a minha bolsa no chão sem querer e espalhando todas as tralhas que estavam nela. Para completar a minha vergonha, ouvi um risinho que certamente era de mim, ergui o olhar e me deparei com um cara absurdamente lindo, bem, pelo menos até onde puder ver. 

Ele era um dos atendentes de uma lanchonete, estava atrás de um balcão usando farda e avental, e um boné que escondia parte do seu rosto. E que rosto. Ele tinha olhos chocolate de um marrom profundo e uma barba rala que deixava seu rosto másculo, mas o que me prendeu mesmo foi o seu sorriso. Ele tinha um meio sorriso hipnotizante. 

Voltei a realidade quando ouvi o despertador do meu celular ao longe. Droga! Meu tempo tinha acabado. Coloquei a lata vazia na mesa e o livro sobre a cadeira onde eu estava sentada antes. Fiquei de quatro e comecei a juntar as minhas coisas que se espalharam aos quatro ventos. Eram canetas, batom, perfume, creme, pente, escova e dente e por ai vai.

Quando consegui juntar tudo já tinha perdido uns bons 5 minutos do meu tempo. Sai em disparada para a loja torcendo para que alguém me cobrisse nos 5 minutos que eu iria precisar para me aprontar. Ouvi um grito alto de “ Ei” e olhei para trás. O cara lindo estava dando a volta no balcão, aparentemente chamando a minha atenção. Foi mal gatinho hoje não dá. Ignorei-o e voltei ao trabalho.

Só quando cheguei em casa percebi que tinha esquecido meu livro. Droga. A história era tão boa. Por sorte escrevi o número do meu celular na capa, assim como o meu nome. Talvez uma alma caridosa o encontre e decida devolver ou talvez alguém mais precisado de um escape da realidade do que eu o encontre, e faça um bom proveito dele, afinal ele é realmente um ótimo livro.

Percebi que meu celular estava descarregado. Conectei na tomada. Ativei o despertador para a manhã seguinte e voltei a minha atenção para os meus livros e minhas atividades. Aparentemente a noite ia ser longa.

Acordei sobressaltada após um sonho intenso com  o carinha da lanchonete. Ao contrário da noite, o dia prometia ser ótimo, e eu já fazia planos de sentar na mesma mesa de ontem e tentar (sem querer) vê-lo atrás do balcão.

Enquanto me aproximava da mesa, percebi vários atendentes, mas nenhum era ele. Sentei, conectei o wi-fi e comecei a desembrulhar meu sanduíche. Enquanto isso meu celular se enchia de mensagens do facebook, whatsapp e afins. Dei uma mordida enquanto rolava as mensagens para responder. 

Recebi uma de um número desconhecido, mas que fez meu coração saltar no peito:

“Esse sapatinho (seu livro) só vai servir na verdadeira Cinderela (você), por isso espero encontrá-la hoje as 19h em frente ao cinema para devolvê-lo. Por favor, não deixe seu príncipe esperando. 

p.s: se é o namorado dela quem está lendo essa mensagem, gostaria de informar que foi engano. Nunca vi a sua namorada, e certamente não a convidei para sair.

Ri alto com a sua mensagem e enquanto me organizava para voltar ao trabalho percebi que tinha que alterar meus planos de estudo para essa noite.

Nosso primeiro encontro foi incrível, fomos ao cinema, recuperei o meu sapatinho, ops, o livro. E conheci um cara super legal. Kelvin era solteiro, dois anos mais velho que eu, estudante de administração e atendente de lanchonete a noite. Ele estava por acaso trabalhando no horário diurno no dia anterior.

Os meses seguintes foram igualmente bons, trocávamos mensagens quase todos os dias, nos víamos de vez em quando e começamos a namorar em pouco tempo. Então, vivemos felizes para sempre. Bem, pelo menos eu vivi.

Um ano depois do nosso primeiro encontro, a pressão da universidade,  a distância das nossas casas e os horários que não coincidiam acabaram nos afastando. Terminamos pouco tempo depois e eu nunca mais o vi.

Anos mais tarde conclui a universidade, arrumei um bom trabalho e conheci o grande amor da minha vida. Hoje, casada, com filhos crescidos e uma vida plenamente vivida, lembro com saudade e alegria daqueles dias. Porque da vida nada se leva a não ser isso: as lembranças dos momentos bons. E posso afirmar com convicção que o meu momento Cinderela, foi um os melhores da minha vida. 

24 comentários

  1. Olá! Realmente não é fácil conciliar tudo isso. Acredito que hoje muitos na hora do seu almoço além de comer usa para atualizar as redes sociais. É sempre bom da uma boa para ler um bom livro... Haha' A mensagem realmente foi engraçada depois de p.s. Legal essa troca do livro pelo sapatinho. Acredito que muitas pessoas vão se identificar com essa história. Realmente dessa vida só levamos lembranças... Adorei! Beijos'

    ResponderExcluir
  2. Ah, que crônica legal. Realmente é muito difícil conciliar tudo o que precisamos fazer, hoje em dia nós precisamos ser mil pessoas em uma para dar conta de todas as coisas. Achei bem bacana o texto.

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, que lindo, que lindo!
    Adorei a crônica!!! Quero mais!!
    Tem muito talento na escrita, fiquei com os olhos grudados na tela do começo ao fim.

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Realmente, apesar de toda a dificuldade de conciliar tudo que fazemos em nosso dia a dia, sempre há os momentos bons e inesquecíveis que guardamos com muito afeto em nossas lembranças. E são essas lembranças que marcam a nossa vida. Parabéns pela linda crônica !! Que escrita maravilhosa!!
    Beijinhos do Wes *_*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Owmm Wes obrigada pelo carinho, um elogio lindo desse vindo de você que é um leitor ávido e um escritor talentoso me deixa pra lá de encantada. Beijos

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?
    Gostei bastante dessa crônica! Espero ler outras aqui!
    PS: eu sempre ficava animada pra ver um carinha da lanchonete perto de onde eu trabalhava rs.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Angélica, tudo sim e você?
      Que bom que você gostou da leitura.
      Olha, poderia ser sobre você e o carinha da lanchonete hein? Beijos

      Excluir
  6. Oie

    Que crônica maravilhosa!! Fiquei encantada com sua escrita!
    Realmente tem momentos que são eternos e devem sempre serem lembrados.
    Adorei.

    bjs
    Fernanda Y.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Achei a sua crônicas muito legal, fique maravilhado!
    A vida de uma forma geral é difícil, é complicado conciliar as coisas e precisamos guardar os momentos felizes, aqueles que são eternos!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  8. Ai meu deussss que lindo!
    Confesso que achei que eles ficaariam juntos no fim, mas a vida é assim mesmo, né? Nem sempre as coisas dão certo pra sempre.
    Adorei a mensagem! hahaha se for o namorado dela...
    Você escreve muito bem! É baseado em fatos reais? Eu nunca sei identificar esse tipo de coisa rs

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kemmy, tudo bem?
      Owm muto obrigada pelo carinho, fico feliz que vc tenha gostado.
      Não é baseado em fatos reais, mas poderia ser, não é? ;) Beijos obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  9. OOi!
    Que lindaaaaa sua crônica!
    Você escreve muito bem, a crônica está divertida e envolvente.
    também essa conclusão final, o que fica são as boas lembranças. <3
    Parabéns!
    beijoos!

    ResponderExcluir
  10. Gente que lindooooo ♥ Sorri a crônica inteira hahhaa. Você tem uma narrativa leve, daquele topo que flui bem e a forma de contar a história é tão gostosa ♥ Fora que a história em si é incrível! Um cinderela dos livros, amei ♥ Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  11. Oiiii, adorei o conto, realmente uma ótima história. Gostaria que estivesse desenvolvido mais o desfecho, mas foi bem satisfatório. Muito bem escrito, parabéns!!! Bjs

    ResponderExcluir
  12. UAU!!!!!
    Adorei a crônica, ficou muito bem escrita!
    E quem é que não sonha em um momento de Cinderela, não é? E mesmo que só tenha dado certo por um tempo, é bom ter lembranças assim, que nos fazem lembrar de bons momentos vividos, afinal, é só isso mesmo que a gente leva...
    Parabéns!!!!
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Sua crônica ficou muito bem escrita, foi ótimo me deparar com ela. A vida realmente é bem corrida e muitas vezes abrimos mão de momentos por ter obrigações, estudos, etc. que naquele momento possuem uma prioridade maior, porém, ainda bem que existe as lembranças.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Ai como eu amei seu texto! Acabei de lê-lo com aquele sorriso bobo na cara rsrs
    Seu momento Cinderela com certeza rendeu vários momentos bons e adorei a mensagem que recebeu no celular! Muito criativa!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Que lindo conto (ou seria crônica), amei! Foi uma leitura muito agradável e a cada frase pude conhecer um pouco da protagonista e das coisas que eram importantes para ela, achei a ideia da relação com a história da Cinderela muito legal.

    ResponderExcluir
  16. Achei a coisa mais legal do mundo essa sua crônica, tão legal você ter inserido cinderela na história. Achei lindo demais!

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oie
    muito interessante e bem escrita essa crônica, eu amo livros de crônicas e ler algumas assim pedidas, fez meu dia haha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Gostei bastante da sua crônica! Ainda mais por apresentar fatos de um cotidiano com coisas simples mas que se tornam interessantes de se ler.

    ResponderExcluir
  19. Que lindo! Fiquei encantando com sua crônica. Imaginei cada cenário durante a leitura. Parabéns mesmo.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  20. Guria, que coisa mais fofa esse seu texto, me apaixonei! O final é ótimo e fiquei bem surpresa com ele hehe adorei sua escrita, já escreveu outras coisas? Me manda links! Beijos <3

    ResponderExcluir