RESENHA|| A CIDADE DO SOL

Título: A cidade do Sol
Autor: Khaled Hosseini
Tradução de: Maria Helena Rouanet
Páginas: 367
Editora: Nova Fronteira

Avaliação:

Sinopse: Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.



Khaled Hosseini é um autor que transmite para suas histórias particularidades relevantes sobre as características dos lugares, pessoas e situações do cotidiano marcando a cultura e a história da população afegã.

No livro “A cidade do sol” o autor nos conta a história de duas mulheres: Mariam e Laila. As duas protagonistas do livro são muito diferentes, nascem e vivem em fases distintas, porém se encontram em meio ao caos da intolerânciem, das tradições de que: meninas de 15 anos têm que casar com homens que elas nunca viram na vida. Somado a isto, enfrentam a guerra de um país que desconhece totalmente o valor e a sensação da paz – entre pessoas, entre diferenças. 

O livro tem 51 capítulos. Cronologicamente, há fatos que nos surpreendem o tempo todo. No primeiro capítulo conhecemos o pai de Mariam – Jalil – um dos homens mais ricos da sociedade afegã, mais precisamente da cidade de Herat (a terceira cidade mais populosa do Afeganistão). Jalil é típico homem representado por ter: três esposas, noves filhos legítimos e Mariam que era desconhecida de tudo e todos. 

A mãe de Mariam tinha sido empregada na casa de Jalil. Subentende-se no livro que Nana é abusada do próprio patrão, engravida. Por isso “todos os homens da sua vida” e as pessoas da casa onde trabalha a repudiam. O avô materno de Mariam “um humilde entalhadora” não aceita a filha grávida, e para completar, Nana, mãe de Mariam se ver sozinha e foge. 


Os capítulos seguem narrando histórias tristes em relação aos acontecimentos que ocorrem com Mariam. O sonho de ir ao cinema aos 15 anos passa despercebido diante das tragédias que seguem em sua vida. Anos depois, Mariam é obrigada a casar com um homem que nunca tinha visto na vida e percebe sua jornada mudar totalmente. 

Laila é uma garota cheia de sonhos, de objetivos e curiosidade diante das novas descobertas que encontra em sua vida. Rodeada por pessoas queridas e por pais que querem o melhor para ela, se ver sozinha em um determinado momento da história. 


“Aprenda isso de uma vez por todas, filha: assim como uma bússola precisa apontar para o norte, assim também o dedo acusador de um homem sempre encontra uma mulher à sua frente. Sempre. Nunca se esqueça disso, Mariam.” (p.12)

As duas protagonistas têm suas histórias cruzadas. Mariam e Laila são mulheres afegãs que passam por experiências que afligem, dão medo e diante das injustiças se unem e acabam construindo amizade, força e coragem para enfrentar todos os obstáculos. 

“Em meio ao ruído das páginas, Laila se dirige à janela sem cortinas. Dali, pode ver os meninos se enfileirando para praticar os lances livres. Acima deles, lá para os lados das montanhas, o sol está surgindo. E vem bater no aro metálico da cesta de basquete, na corrente dos balanços, no apito pendurado ao pescoço (...). Fecha os olhos. Deixa que o sol venha lhe bater no rosto, nas pálpebras, na testa.” 

O sol, nome que está presente no título do livro, representa o centro energético da vitalidade. O sol é luz, vida e calor. É o espírito interior de cada ser. A personalidade em sua essência. A luz é o símbolo do conhecimento, sua busca de realização, sua capacidade criadora, sua verdadeira individualidade. O Sol associa-se ao dia e, como tal, a busca consciente da realização pessoal. Indico esse livro para todos que buscam, conscientemente, o conhecimento sobre o que se passa dentro de “nós” e do “outro”, para as pessoas fãs de histórias que transmitem reflexão sobre a vida.


16 comentários:

  1. Oi querida
    Adorei a resenha. Não conhecia o livro, mas me interessei pela história. O livro tem uma trama muito bem contada e escrita. O enredo parece ótimo...

    P.S adorei a foto e a resenha.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Obrigada pelos elogios. "A cidade do sol" é uma leitura bem reflexiva! Espero que tenha a oportunidade de ler o livro aqui resenhado. E volte para nos contar sua experiência!

      Beijos

      Excluir
  2. Olá
    Eu não conhecia essa obra, ;e se já tinha ouvido falar não me lembro rsrs. Enfim, eu não sou muito chegado a ler livros assim,,mas achei bem bacana o que trás nessa obra em questão. Leituras reflexivas são sempre boas de se ler. Sobre a capa eu achei ela bem bacana. Espero poder ler em breve, até mais ver
    Bj

    ResponderExcluir
  3. Olá Meninas,
    Conheci o blog pela parceria com a Bianca Briones e já estou seguindo aqui, acho válido trocarmos várias dicas literárias, né?
    Ainda não li 'Cidade do Sol', mas é uma meta. Uma amiga leu e amou.
    Beeeijos, voltarei mais vezes
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu não conhecia etse livro mas ainda bem que gostaste!! :) Achei a premissa interessante, ainda que o "formato" do livro não me agrade muito...

    De resto, adorei ler a resenha! E o simbolismo que apresentaste no final foi muito interessante! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Nathália,
    Esse é, de longe, meu livro preferido do autor, ele me tocou de uma forma que nenhum outro livro dele conseguiu. Ler sua resenha foi como viajar de novo por essa obra que me marcou tanto.
    A forma como o autor cruzou a história dessas duas mulheres foi incrível!
    Esse é um livro que espero ter a oportunidade de reler em breve.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Oi Nathália, tudo bem?
    Nunca li algum livro desse autor, porém, assisti a adaptação de O caçador de pipas e amei a história, então creio que esse livro deve estar à altura também. Me parece ser uma história bem triste e um pouco pesada, já que mostra a realidade dessas duas meninas e todos os desafios que elas tem que passar. Gostei de saber que vemos aqui o passado delas também, como os pais se conheceram e tudo mais. Espero ler um dia!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  7. Oii Nathália, tudo bom? Gostei da resenha!!! Eu nunca li esse livro, mas já li um do autor que amei demais, um dos meus dramas favoritos: O Silêncio das Montanhas. Já ouviu falar?? Eu quero muuuito ler Cidade do Sol, espero fazer isso ano que vem sem falta :D
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, não conhecia essa obra até esse momento. Mas achei bem interessante e diferente a trama e onde ela se passa, toda a história e uma cultura nova e pelo jeito apresentada com riquezas de detalhe. Não sei se eu leria no momento, apesar de chamar muita a atenção, não conseguiu me cativar por completo, mas definitivamente leria no futuro e torço para que tudo acabe bem para ambas, principalmente para Mariam que já sofreu tanto na vida! Dica anotada e lerei no futuro com certeza.
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu não conhecia esse livro e já morria de vontade de ler O Caçador de Pipas, porque já tinha visto o filme e amei. É muito bom quando livros nos levam a conhecer lugares e culturas diferentes, como é o caso dos livros do autor. Esse parece ser bem reflexivo, assim como O Caçador de Pipas, então quero muito ler. Vou colocar na minha lista e pretendo adquirir em breve. Obrigada pela dica.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  10. Oi Nathalia, não conhecia essa obra ainda. Mas o titulo já me deixou com orelha em pé, ai vem você trazendo toda a essência do livro nesta resenha, fiquei ainda mais instigado. Gostei de como o enredo se desenvolve mostrando culturas e mode de pensar diferentes, quero ver se consigo ser tocado pela história assim como você foi. Realmente o Sol é o centro do universo, ele reflete a verdadeira luz e tudo que precisamos ver para ser felizes. Obrigado pela resenha.

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem? Não tinha conhecimento sobre essa obra, mas achei bem interessante e o tipo de livro que me faria sair da zona de conforto. Sua resenha me deixou bem curiosa para conhecer essas duas personagens tão distintas e espero poder ter a oportunidade de ler no ano que vem. Boa dica, beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi. Tudo bem?
    Não tenho dúvida de que esse livro deve ser sensacional. Eu tenho interesse de saber mais coisas sobre essa cultura tão diferente. Achei bem interessante o autor utilizar duas protagonistas para trabalhar um assunto tão delicado e necessário de ser discutido, mesmo sendo uma história de ficção. Fiquei muito interessado nas histórias de Mariam e Laila, fiquei com muita vontade de conhecer mais sobre elas, a vida delas e como elas lidam com essa realidade. Gostei bastante da resenha e espero em breve ler esse livro. Fiquei bem feliz de poder entrar aqui e conhecer mais sobre essa obra.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia o livro, mas apenas com a premissa já senti que deveria ler esse livro. E sua resenha só serviu para reafirmar isso.
    Gostei bastante do enredo, que promete uma história tocante. Não é minha zona de conforto, mas me sinto tentada por essa história.
    Gostei bastante da sua resenha.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Nath, tudo bem?

    Gostei muito do enredo apresentado na obra! Já tinha lido alguns comentários a respeito de "Cidade do Sol", mas nenhum me tocou tanto quantos suas percepções.

    Seu desfecho da resenha ficou incrível, o que me proporcionou uma vontade imensa de conferir a obra!

    Obrigada pela dica (:

    Abraços, Amanda M.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Sempre me falam tão bem desse livro, mas acredito que não está na hora de mim conhecer ele. Acho que preciso estar com a mente mais tranquila para associar melhor a história, ainda mais que trás uma mensagem reflexiva. Adorei sua resenha, logo que eu puder, irei conferir a obra com toda certeza.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva