RESENHA || Onde Cantam os Pássaros


Título: Onde Cantam os Pássaros
Autora: Evie Wyld
Páginas: 251
Editora: DarkSide 

Avaliação: 


Sinopse: No premiado romance de Evie Wyld, a fazendeira Jake White leva uma vida simples numa ilha inglesa. Suas únicas companhias são rochedos, a chuva incessante, suas ovelhas e um cachorro, que atende pelo nome de Cão. Tendo escolhido a solidão por vontade própria, Jake precisa lidar com acontecimentos recentes que põem em dúvida o quanto ela realmente está sozinha – e o quanto estará segura. De tempos em tempos, uma de suas ovelhas aparece morta, o que pode ser muito bem obra das raposas que habitam a floresta próxima à sua fazenda. Ou de algo pior. Um menino perdido, um homem estranho, rumores sobre uma fera e fantasmas do seu próprio passado atormentam a vida de uma mulher que sonha com a redenção.




Hoje trago a vocês um livro que me apaixonei a primeira vista, pois quando vi a capa de Onde Cantam os Pássaros (All the Birds, Singing), juntamente com a sinopse, decidi que era um livro que precisava ter em minha estante! A obra é narrada pela personagem no presente, porém, há uma alternância entre capítulos com o próprio passado da personagem.

"A casa estava quieta. Cão olhava por baixo da porta fechada, os pelos eriçados e as patas esticadas, o rabo rígido, apontando para baixo. Então, um rangido no teto, como se alguém andasse nele." p 31

Jake é uma mulher solitária que vive em uma ilha britânica há três anos. Tem como companhia o seu cachorro, a quem chama de Cão, e as suas ovelhas, as quais tem bastante afeição e cuidado. No entanto, iniciando o livro, temos a retratação da morte de uma de suas ovelhas, a segunda vítima do mês. Além desses companheiros que tornam a vida de Jake um pouco menos solitária, temos, em um primeiro momento, a apresentação de Don, o veterinário que auxilia ela no cuidado da saúde de seus bichos.


"E então um barulho como se alguém enfiasse um carro contra as árvores, um estalo e um estrondo que ecoaram, depois o barulho de mãos batendo ligeiras na parede. Fiquei de pé na cama e me agachei como um touro, um travesseiro à minha frente e o machado erguido como se houvesse alguém a bater. Cão abocanhava o ar à sua volta como se ele estivesse cheio de moscas." p. 32

Jake fica intrigada com as mortes (de suas ovelhas), que não foram naturais, mas cruéis. Inicialmente acredita que as crianças poderiam estar matando por implicância, mas os barulhos estranhos e o fato de estar morando na ilha para fugir de seu passado, não contribuem para que sinta-se tranquila e salva, mesmo estando reclusa na ilha e deixa de acreditar que as crianças sejam as culpadas, de fato, causando tudo isso.

"A parede sobre a cabeceira da cama também tinha um borrão, mas esse parecia mais uma impressão. Eu devia ter me apoiado ali enquanto ficava de pé e gritava, daí a marca evidente de uma mão com os dedos tão espalmados que a membrana entre eles deve ter se esticado até doer. Mas a mão era menor que a minha." p. 32





Sobre a estrutura dos capítulos, o livro possui, ao todo, 32 capítulos em que cada capítulo par é a narração de seu passado e os ímpares são as narrações do presente de Jake. No entanto, há um outro detalhe pelo qual me apaixonei, pois os capítulos do presente devem ser lidos do início ao fim do livro, enquanto que, os capítulos pares (que é o passado de Jake) podem ser lidos do fim ao começo, pois a autora inicia como uma retrospectiva do passado, o qual abordarei mais à frente. Recomendo que, para a primeira leitura, siga a ordem cronológica dos capítulos, pois chegando ao final do livro, nós temos dois clímax: o do passado e do presente de Jake, revelando assim algumas dúvidas do início do livro, como, por exemplo do quê, afinal, Jake vem fugindo. 

Iniciando (pelo primeiro capítulo do passado de Jake) percebemos que ela vive na Austrália e  possui marcas físicas e emocionais das quais vem fugindo ao continuar lendo sobre o seu passado, que, em retrospectiva, vai voltando aos poucos (ainda mais para o passado, e não presente) e esclarecendo o capítulo anterior.

O livro está mais para um thriller psicológico criado pela personagem, sobre seus medos do passado, ao quais, como dito, tenta fugir. Além disso, o livro caracteriza-se também por uma descrição crua e direta, não apenas pelas ações de Jake e o que ela faz, ou até mesmo o ambiente rico da Austrália, que nos faz conhecer um pouco da fauna, flora e do clima do lugar, mas a forma direta como a autora fala sem poupar palavras, indo direto ao assunto sem blindar as palavras em outras mais bonitinhas e confortáveis.

Ao iniciar o livro, mantinha a ideia de que retrataria um mistério em torno de algo sobrenatural, como dito na sinopse: "Algo tem vindo atrás dos animais - de tempos em tempos algo surge à noite, arrebata uma ovelha e a faz em pedaços", mas para você que deseja ler, recomendo que não fique preso apenas a isso na história, pois o livro é mais sobre os segredos de Jake e suas cicatrizes, tudo o que levou ao seu estado atual como pessoa e o ambiente em que ela vive.

O livro terminou em aberto, o que, momentaneamente foi frustrante, pois estava na melhor parte, e depois tive que deixar a imaginação rolar a solta. Mas posteriormente, pensando melhor, foi um final magnífico, onde postergação nenhuma poderia acrescentar melhorando ou piorando o final, pois de certa forma era um final dado para se imaginar, e em qualquer dessas construções, não haveria um distanciamento para o final do livro.




Melhor Quote:
"É você ou sou eu?Parece que andei perdido.Uma mudança é o que preciso. Se estou querendo alguma chance, tenho um sonho."




17 comentários:

  1. Adorei o modo que o leitor pode ler o livro, achei criativa demais.
    Já tinha ouvido falar dele, mas li algumas resenhas que se decepcionaram com o livro por ele não ser de terror. Mas acho que a sinopse já fala disso um pouco.
    A capa é linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helana.
      Sim, a capa é linda e a organização é demais, no entanto, como disse, não deve-se ler esperando apenas pelo terror em si, mas pela criação de um ambiente voltado a lembranças.
      Beijos :*

      Excluir
  2. Sempre que um final fica em aberto, de início, é chato mesmo. Tipo o final da temporada da Effy em Skins. É um recurso muito bom, mas que precisa ser bem utilizado. Ainda não fiquei com vontade de ler esse livro justamente por isso. As opiniões são bem divididas sobre se esse final funcionou ou não.

    ResponderExcluir
  3. OOi!
    Conhecia a obra apenas por nome e capa, não sabia do que se tratava. Não curti muito á premissa, acho que não é por mim. Principalmente por conta do gênero... Dessa vez passo a dica!
    Ótima resenha!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catrine.
      Que pena, mas muito obrigada! :* :*

      Excluir
  4. Olá Catarina =)
    Realmente a capa e o sinopse é interessante. Não li um livro que é alternado entre o presente e o passado. Pela sinopse do livros esperava mais fantasia, mas pela resenha é mais sobre as coisas de Jake. O livro parece ser bem bacana, mas não curto livros que termina em aberto. Porém você mostrou que mesmo assim o final foi bom. Sua resenha ficou sensacional. Beijos'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dayane.
      Muito obrigada!
      Sim, o livro é muito bom, mas assim como eu, algumas pessoas são levadas a ler mais pela fantasia do que a história de Jake, e as vezes pode gerar desapontamento. No entanto, mesmo assim não me deixou a desejar.
      Beijos :*

      Excluir
  5. Oi Cat
    Esta é uma das capas mais bonitas que vi ultimamente
    Adorei!
    Adorei sua resenha também.
    Tenho muta curiosidade para ler este livro, embora seja bem medrosa e impressionável. Acho que consigo encarar este...rs
    Dica anotada!
    Bjks mil

    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudia.
      Que ótimo! Também sou apaixonada pela capa, uma cor chamativa com recortes... linda!! (Sem falar no designer interno.)
      Acredito que você irá gostar do livro, não é muito voltado para o terror, mas sim para o suspense.
      Espero que você aproveite a leitura!
      Beijos :*

      Excluir
  6. Olá, tudo bem? Essas edições da Darkside arrasam né. Infelizmente thriller psicológico não entra nos gêneros que normalmente eu leio por motivos de: medo haha sim pode rir, mas tenho tremendo medo e fico muito triste porque a melhor editora brasileira tem em maioria dos seus livros esse estilo. Sua resenha está ótima, bem estruturada e vai ser um prato cheio para quem gosta! Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carool, tudo ótimo!
      Muito obrigada!
      Que pena! Mas se mudar de ideia... não dá muito medo :D
      (Lhe entendo sobre o medo com livros de terror...)
      Beijos :*

      Excluir
  7. Oi Cat,
    Adorei o livro e a resenha.
    A capa é maravilhosa também. Fiquei um pocuo tentada a ler o livro. vou colocar na minha lista de 2017 e procurar saber mais sobre ele antes de ler.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jéssica!
      Bem, fica a dica :D
      Beijos :*

      Excluir
  8. Olá !!! Tenho visto vários comentários positivos sobre esse livro e estou curiosa. Será uma das minhas próximas aquisições. Amei sua resenha, bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Lorena!
      Espero que goste da leitura!
      Beijos :*

      Excluir
  9. Olá, amei demais essa premissa desse livro, achei um pouco confuso como os capitulos são organizado mas acho que isso contribui e muito para a construção de todo o mistério já que se trata de um thriller psicologico, já estou vendo que irei arrancar meus cabelos pois alémde tudo ele tem um final aberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriela.
      (risos) Acho, então, que você irá gostar da leitura!
      Beijos :*

      Excluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva