RESENHA|| O VELHO E O MAR



Título: O Velho e o Mar 
Autor: Ernest Hemingway
Editora: Bertrand Brasil 
Páginas: 128 páginas 

Avaliação:  

Sinopse: Best-seller em todo o mundo e também no Brasil, O Velho e o Mar conta a história de um pescador que, depois de 84 dias sem apanhar um só peixe, acaba fisgando um de tamanho descomunal, que lhe oferece inusitada resistência e contra cuja força tem de opor a de seus braços, do seu corpo, e, mais do que tudo, de seu espírito. Um homem só, no mar alto, com seus sonhos e pensamentos, suas fundas tristezas e ingênuas alegrias, amando com certa ternura o peixe com que trava ingente luta até levá-lo a uma derrota leal e honesta. Uma obra-prima da literatura contemporânea, dotada de profunda mensagem de fé no homem e em sua capacidade de superar as limitações a que a vida o submete. 



O Velho e o Mar é uma das obras mais conhecidas de Ernest Hemingway, autor americano renomado por sua escrita e sua persistência/influência no tempo. As suas obras obtém o status de arte, fazendo parte do cânone literário. 

A primeira publicação do livro ocorreu em 1952 em Cuba, onde o autor residia na época. O nome original da obra é The Old Man and the Sea. 

Os personagens sobre os quais a trama circunda principalmente são: Santiago, um velho pescador cubano; Manolin, um jovem garoto, único amigo de Santiago; DiMaggio, jogador de baseball norte-americano citado nas conversas entre o velho e o garoto, e lembrado constantemente como referência para o velho enquanto o mesmo está no mar.

As primeiras palavras do livro nos deixam a par acerca do desenrolar da obra: 

"Ele era um velho que pescava sozinho em seu barco, na Corrente do Golfo. Havia oitenta e quatro dias que não apanhava nenhum peixe. Nos primeiros quarenta, um rapaz fora com ele. Mas, após quarenta dias sem um peixe, os pais do rapaz disseram a este que o velho estava definitivamente e declaradamente *salão*, o que é a pior forma de azar, e o rapaz fora por ordem deles para outro barco que na primeira semana logo apanhou três belos peixes" p. 7 


A trama do romance se desenvolve a partir da narração do octogésimo quinto dia de pesca de Santiago, o velho. Hemingway se preocupa em descrever as relações de Santiago: com o jovem, com suas memórias, com o mar e a natureza, com o peixe e consigo. 

"ao falarem do mar dizem el mar, que é masculino. Falam do mar como um adversário, de um lugar ou mesmo de um inimigo. Entretanto o velho pescador pensava sempre no mar no feminino e como fosse uma coisa que concedesse ou negasse grandes favores; mas se o mar praticasse selvagerias ou crueldades era só porque não podia evitá-lo. 'A lua afeta o mar tal como afeta as mulheres', refletiu o velho." p. 32 

Durante a leitura é inevitável suscitar questões existenciais, o que faz o leitor prender-se na história concretizando o efeito de cartasse com o personagem principal. Outra observação é a de que mesmo o tempo cronológico que circunda a história seja de três dias apenas, com a maior parte das falas desenvolvidas através de um monólogo e de pensamentos, a obra não torna-se monótona, nem cansa o leitor, pelo contrário, Hemingway instiga estimulando o leitor a vivenciar essa aventura juntamente com o velho Santiago.








"'Mas, pensou, eu as mantenho sempre na mesma profundidade. O que aconteceu é que acabou a minha sorte. Mas, quem sabe? Talvez hoje. Cada dia é um novo dia. É melhor ter sorte. Mas eu prefiro fazer as coisas sempre bem. Então, se a sorte me sorrir, estou preparado." p. 35


O livro é indicado para o público de todas as idades, para aqueles que gostam de ler sobre questões existenciais e sobre a relação do homem com a natureza. Além de ser interessante para aqueles que gostam de uma boa aventura e filosofar sobre a vida.

"- Mas o homem não foi feito para a derrota - disse. - Um homem pode ser destruído, mas não derrotado." p. 104

A obra é um clássico da Literatura mundial. Vale a pena dar uma chance a ela e aprofundar-se na narrativa e nas suas temáticas.



24 comentários

  1. Heyy Jess, tudo bem?
    Querida esse é um dos livros que ainda não li, mas que fazem parte da minha lista de leitura. Amo livros clássicos e pelo que já li sobre, esse é maravilhoso. Amei a sua resenha. Bem escrita e muito instigante. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Faby!
      Fico feliz que tenha gostado.
      Quero comentar sobre ele após sua leitura. Me dê o feedback.
      Abraço.

      Excluir
  2. Nossa confesso que nunca tinha escutado falar desse livro, parece ser bem interessante e reflexivo, porém no momento não é o que procuro para leitura, quem sabe na próxima, deixarei passar a dica. Mas parabéns pelo trabalho.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Karine! Espero que dê uma chance a ele no futuro.
      Abraço.

      Excluir
  3. Oi!
    Já tinha ouvido falar desse livro mas não sabia muito sobre ele e gostei da premissa reflexiva que ele tem pois adoro livros que os fazem pensar, seja na vida ou em algum tema específico. Dica anotada!
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  4. Esses dias eu também li um clássico "Robinson Crusoé" e adorei. "O Velho e o mar" parece ser um livro imperdível. Adorei sua resenha, me convenceu e já vai entrar para a lista dos clássicos que preciso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rodrigo!
      Sou atraída pelos clássicos, tenho que confessar. Principalmente para comprovar se são tudo isso mesmo.

      Abraço.

      Excluir
  5. Oiee Jessica ^^
    Li esse livro recentemente e também gostei, ainda não tinha lido nada do autor. Mas não foi bem uma leitura que mexeu comigo, sabe? Foi uma leitura um tanto arrastada, não me "conectei" com os personagens (apesar de ter me sentido triste com alguns acontecimentos da obra), então não foi bem um dos meus favoritos...
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  6. Agora ele faz parte da minha lista de leitura do mês.

    ResponderExcluir
  7. Olá Jéssica,
    Já ouvi falar sobre esse livro e tenho curiosidade de ler, pois acho essa mistura da história de homens com a natureza muito interessante. Estou me perguntando como funciona a relação de Santiago com suas memórias e o mar.
    Espero gostar da obra tanto quanto você.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bruna!
      Você vai gostar de lê-lo e vivenciá-lo.
      Vale a pena dar uma chance ao bom e velho Santiago e suas inquietações.

      Abraço.

      Excluir
  8. Momento 'como é que eu sou tão distraída assim?'
    Já ouvi falar muito do livro mas nunca tinha unido ele ao nome do autor. Perdida eu sei, e nem parece verdade, mas como nomes não são meu forte até dá para entender minha distração...
    No patamar dos clássicos, tenho andado bem atrasada. Li vários na época do colégio mas muitos eu meio que só lembro da história por cima, precisando reler para poder dizer que realmente li.
    No caso de O velho e o mar, eu tenho certeza que não li e pela sua resenha, fiquei com a sensação de que preciso colocar ele na lista. Acho que vou aproveitar que já estava nos planos ler algo do autor e ler esse!
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  9. Oi, Jéssica!

    Estou na vibe dos clássicos ultimamente e esse me interessou bastante. Suas impressões foram uma doçura, a premissa parece ser muito reflexiva. Sinto que preciso adicioná-lo à minha lista urgentemente! Obrigada pela dica, está anotadíssima!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Belle!
      Vale a pena dar uma chance a ele.

      Excluir
  10. Olá,
    Mesmo sendo um clássico, desconhecia a obra e fiquei bem curiosa para conferir essas questões existenciais que a obra nos faz refletir.
    A premissa é bem interessante e adorei saber que mesmo sendo uma história que gira em torno de apenas três dias, o leitor não se cansa.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Um clássico tão curtinho que eu ainda não li. Falando em curtinho, o tamanho ajuda em não torná-lo monótono, né? Acho que se fosse um livro de trezentas páginas, por exemplo, a quantidade de divagações ficaria meio cansativa, por mais profundas e pertinentes que fossem.
    Essa com certeza é uma obra que eu ainda lerei, pois só vejo ótimos comentário e tipo, é Hemingway! hahahah

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Li poucos livros sobre questões existenciais, por falta de oportunidade mesmo, então fiquei bem interessada nessa leitura. Confesso que já tinha ouvido falar da obra, mas nunca parei para saber melhor sobre. Que bom que vim conferir sua resenha, e que legar saber dessa edição. Fiquei empolgada para conferir!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Jéssica, tudo bem?
    Essa é uma obra muito renomada mesmo, fiquei feliz em ver que você gostou e indica. Quero ler uma hora dessas para ver o que irei achar, tenho a impressão de que vou gostar!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir