Resenha|| Mosquitolândia

Título: Mosquitolândia
Autor: David Arnold
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Avaliação: 
Sinopse: "Meu nome é Mary Iris Malone e eu não estou nada bem." Após o inesperado divórcio dos pais, Mim Malone é arrastada de sua casa em Ohio para o árido Mississippi, onde passa a morar com o pai e a madrasta e a ser medicada contra a própria vontade. Porém, antes mesmo de a poeira da mudança baixar, ela descobre que a mãe está doente. Mim foge de sua nova vida e embarca em um ônibus com destino a seu verdadeiro lugar, o lar da sua mãe, e acaba encontrando alguns companheiros de viagem muito interessantes pelo caminho. Quando a jornada de mais de mil quilômetros toma rumos inesperados, ela precisa confrontar os próprios demônios e redefinir seus conceitos de amor, lealdade e sanidade. Com uma narrativa caleidoscópica e inesquecível, Mosquitolândia é uma odisseia contemporânea, uma história sobre as dificuldades do dia a dia e o que fazemos para enfrentá-las. 


A história se inicia com a personagem Mim desabafando com Isabel através de escritos. Mim se sente mal e deslocada desde sua mudança repentina e os últimos acontecimentos ocorridos na vida dela: a separação dos pais; o novo casamento do pai com uma mulher que Mim odeia, há apenas 4 meses após a separação; uma nova casa; uma nova rotina e um novo diagnóstico.

Enquanto a garota se dirige à sala do diretor da escola onde estuda, ouve uma conversa entre seu pai e o chefe da instituição falando sobre sua mãe (Eve) e descobre que ela se encontra muito doente. A partir desse momento, Mim sabe que tem que fazer alguma coisa e a sua primeira ideia é fugir de casa para morar com sua mãe e cuidar dela. Ela sente que lá é seu verdadeiro lar. Dada como esquizofrênica pelo pai e pelo novo médico que a atende, Mim é obrigada a tomar medicação controlada.

Após esse boom de informações e medos, ela decide que é hora de tomar as rédeas da situação e colocar as coisas na mochila e partir rumo à sua mãe, do outro lado do estado. Ao chegar em casa, ela coloca na bolsa algumas roupas, dinheiro e  o celular, além do frasco de Abilitol, o remédio que lhe é empurrado, e seu diário. Durante o trajeto que ela percorre, pessoas se chegam como grandes surpresas na vida de Mary Iris Malone, tais como Arlene, Walter e Beck, além de outros integrantes que atribuem a essa história um ar ainda mais fantástico. Após dezenas de problemas que Mim tem que enfrentar durante o percurso de um lado a outro da viagem, ela também tem que enfrentar os piores problemas: os seus próprios. 
"Você já teve a sensação de ter perdido algo importante, só para descobrir que a coisa nunca existiu pra começo de conversa?" p. 265

Não apenas uma leitura sobre uma adolescente de 16 anos que sai de casa porque descobre que há algo errado e sério acontecendo, Mosquitolândia traz muitas lições que podem ser atribuídas para a vida, vendo que trata de questões sociais como estupro, violência, síndrome de Down e autoaceitação, onde Mim se descobre como pessoa e aprende  a descobrir as pessoas que a rodeiam.

No decorrer dos fatos, as peças vão se encaixando e o texto faz com que você não desgrude do livro até saber qual o resultado final da longa viagem que Mary Iris Malone faz para descobrir que nem tudo é como ela pensa e que o mundo pode faltar aos seus pés, mas que haverão amigos junto dela para ajudá-la a enfrentar as dificuldades.

Carl. Beck, Walt. Arlene, O homem do poncho e Caleb. Todos sendo peças fundamentais dessa história. 
Mim apresenta uma peculiaridade em encarar os problemas, o que prende ainda mais à personagem; sua sutileza e agressividade, às vezes.
Ao público afeiçoado à literatura infanto-juvenil, é uma ótima escolha; embora recomende também aos demais apreciadores de boas histórias.
"Sempre achei que, se o amor estivesse no caminho, eu o encontraria ou capturaria - nunca achei que tropeçaria nele." p. 235

14 comentários:

  1. Gostei da sua resenha. Na verdade, a capa e nem a premissa me chamava tanta atenção, mas você conseguiu! Obrigada rs.

    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que ótimo que alcancei o objetivo \o/. Quando ler, deixa teu parecer aqui. Ficarei feliz em ler tua opinião sobre. Não é meu gênero de leitura, mas fiquei surpresa quando li e se tornou um favorito meu <3. Aguardo notícias :)

      Excluir
  2. Olá Erivágna =)
    Eu conhecia o livro mais não imaginava que ele fosse assim tão bom. Ele parece vim com grande ensinamento sobre a vida. Amei essa fresa no final da resenha!! Sua resenha ficou sensacional! Beijos'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nhaa, muito obrigada, Day <3 O mais legal de livros que mexem com a gente é isso, né? Deixar algo que levamos depois de acabar a leitura! Beijos :*

      Excluir
  3. Quando eu tinha visto o livro confesso que não imaginava que tinha uma trama tão marcante assim, ainda mais falando de assuntos sérios. Gostei de ler sua resenha, que ficou ótima, aliás, e com certeza fui cativada pela trama. Quero muito saber como termina essa viagem de Mim! *-*
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Dessa <3 Leia e me conta, quando terminar, o que achou da história >3

      Excluir
  4. Olá!
    Estou com esse livro em casa para ler, mas quem disse que animo e pego para ler? Gostei muito de conhecer sua opinião e fiquei um pouco mais animada. Achei muito legal não ser mais um livro sobre uma adolescente que foge, mas, sim, uma obra que traz grandes ensinamentos.
    Sua resenha me deixou curiosa para conhecer a trajetória de Mim.
    Dica anotada.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveita que já tá com o livro em mãos e começa a ler :) Quando acabar a leitura, me conta o que achou! Beijos, Bruna <3

      Excluir
  5. Adorei a resenha!
    Fiquei muito curiosa com essa leitura, principalmente por trazer ao leitor problemas como o estrupo, que é algo tão polemico e gera tanto preconceito até hoje, infelizmente! Este livro parece ser bem dramático e ao mesmo tempo divertido, por causa dessa aventura da personagem no ônibus.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Nay! Embora haja temas polêmicos, é importante ressaltar que há sutileza na forma abordada, já que o público-alvo é o adolescente; no entanto, você entende a subjeção deixada e o que ocorre na trama. É uma boa leitura e se tornou um xodó na minha prateleira. Beijos e aguardo notícias quando acabar de ler. Passa aqui rapidinho e comenta o que achou!

      Excluir
  6. Oiee, tudo bem? Gostei muito da sua resenha. Tenho muuuita vontade de ler esse livro, que parece ser maravilhoso. Fora que adoro livros infanto-juvenil.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Gabi, tudo bem, sim, e você? Muito obrigada e leia mesmo. Passa aqui e me conta o que achou, quando acabar de ler :) Aguardo \o/

      Excluir
  7. Olá ♥
    Quando vi a capa não imaginava a riqueza do enredo. Confesso que já tinha visto a capa,mas não procurei saber sobre o que se tratava. A obra parece ser carregada de lições que vamos levar para vida. Depois de ler sua resenha fiquei super curiosa para fazer a leitura ♥
    Beeeijos lindona ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá \o/ A capa é simples e pode passar despercebida, mas contém uma incrível trama. A curiosidade ajuda a animar a leitura, né? Beijos pra você também <3

      Excluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva