Amiga íntima das Crônicas|| Fantasmas do passado


Pela primeira vez em meses, cheguei cedo do trabalho. Joguei as chaves na aparadeira que fica ao lado da porta, fui até a cozinha, tomei um copo de água gelada e subi para o meu quarto, pretendendo me dar ao luxo de um banho de banheira, quente, perfumado e demorado.


A nostalgia, o cansaço, a sensação de incapacidade, abandono e tristeza vêm me perseguindo a meses. Uma tensão toma conta dos meus ombros. Uma dor de cabeça irritante me acompanha a cada dia, e eu sinto que tudo isso está acabando comigo.

Tiro a roupa e prendo meus cabelos em um coque folgado, enquanto ouço a água encher a banheira. Me aproximo e mergulho meus dedos para testar a temperatura. Ponho os sais de banho, retiro o robe e entro nela, como se a minha vida dependesse disso. 

Lembranças irrompem em minha memória. Da luta dos meus pais para manterem meus irmãos e a mim a quase pão e água. Das minhas roupas surradas e das risadas de desdém das outras crianças. Do olhar de mágoa no rosto da minha melhor amiga, enquanto me via beijando o cara por quem ela era apaixonada. Das noites de festas e das notas baixas nas provas das manhãs seguintes. Da escolha de um curso universitário que me proporcionaria mais dinheiro no lugar do que eu realmente gostaria de cursar.

Com os olhos fechados, sinto as lágrimas descerem por meu resto, enquanto um grito abafado tenta subir por minha garganta. O grito não sai. As lágrimas rolam e as lembranças continuam.

Lembranças das coisas que deixei de fazer e das que fiz por obrigação. Das viagens que não fiz. Dos livros que não li. Dos abraços que não dei. De não ter agradecido aos meus pais por serem os melhores do mundo. De não ter dito aos meus familiares que os amo. De não ter pedido perdão à minha melhor amiga quando deveria. De não ter ajudado alguém que precisava. De não dar bom dia ao porteiro do meu prédio ou ao zelador do meu trabalho. De estar aqui, presa nesse apartamento, lamentando não ter vivido os sonhos que um dia tive.

Sinto a luz do banheiro piscar. Um som estridente tapa meus ouvidos. Meus membros adormecem e minha respiração fica lenta. Me sinto sufocar, afogar, submergir. 

Acordo assustada e olho em minha volta. Não sei quanto tempo passei aqui. Não sei quando exatamente adormeci em minha banheira, nem quando. Enfim entendi que a tristeza que envolve a minha vida é culpa dos fantasmas. Fantasmas de um passado não vivido. Fantasmas da pessoa que eu deveria ser. Fantasmas das lembranças do que eu vivi. 

Saio da banheira, visto o robe e me olho no espelho. Olho a mulher que venceu dificuldades. Olho a mulher que perdeu muito, mas que conquistou muito mais. Olho a mulher que sabe que não pode descontar as frustrações nos outros, porque não é deles a culpa. Olho a mulher que percebeu que não se vive de passado. Que é preciso ser forte. Que é preciso ser eu. 

Hoje venci os fantasmas do meu passado, vou fazer as pazes com eles e deixá-los lá, onde nunca deveriam ter saído. Vou olhar para frente, e viver cada dia em sua plenitude. Como se cada um deles fosse o último da minha vida. Não vou lamentar mais, porque a vida é curta e o amanhã pode nunca vir. 


36 comentários

  1. Olá, Fabiana, parabéns pela crônica, adorei. Deveria fazer um livro só de crônicas. é sempre revigorando quando nos apercebemos vencedo fantasmas do passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lilian, obrigada. Quem sabe um dia né? kkkkk
      É verdade, as vezes é bom refletirmos sobre aquilo que nos prende ao passado para que possamos nos desprender e planejar o futuro. Bjs

      Excluir
  2. Olá! Adorei sua crônica e, para mim, ela retrata a realidade de muita gente. Me tocou bastante ao tratar de tudo que fazemos por obrigação, largando nossos sonhos e vontades (considerados bobos e sem futuro) de lado, quando eram eles que nos fariam felizes. Eu tenho grandes problemas relacionados à escolha de curso da faculdade (entrei para a universidade com 16 anos e, até hoje, com 18, me questiono se é isso mesmo que quero fazer), convivência... E tenho certeza que sua crônica retrata a vida de muita gente, que coloca a ambição na frente dos sonhos, que se deixa levar por opiniões e imposições alheias. Adorei sua obra! Beijos.

    thehouseofstorie.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Sara, boa noite. Fico feliz que você tenha gostado. É uma reflexão bastante pesada as vezes, não é? Mas necessária, as vezes abandonamos nossos sonhos e tentamos realizar os que outras pessoas têm por nós. Mas é preciso pensar na nossa felicidade. Fazer o que gostamos d verdade, não tem preço. Bjs flor. Volte mais vezes ;)

      Excluir
  3. Oi!!
    Eu acho incrível como algumas pessoas conseguem escrever de uma forma que faz a gente vivenciar as cenas, a tua crônica é ótima, me fez refletir.
    Acredito que todos nós temos nossos fantasmas do passado, mas temos que fazer de tudo para nos desvencilhar deles.
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Liziane, obrigada querida. Fico feliz que, de alguma forma, você tenha sido tocada. Volte mais vezes. Boas leituras e muito sucesso pra você. Bjs

      Excluir
  4. fantasmas do passado, tenho tantos me perseguindo até hoje...
    adorei a crônica, você tem jeito pra escrever...
    publica num livro :DD
    bjs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Valéria, que bom que você gostou. Sobre publicar um livro, tenho lido muito isso ultimamente kkk quem sabe um dia não é? Bjs

      Excluir
  5. Adorei a crônica, parabéns por retratar o tema tão bem, adorei o blog ♥ Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Adorei a crônica e o blooog, arrasou, <3

    ResponderExcluir
  7. Na boa, tenho muitaaaaaa inveja de você... rsrsrs (Inveja branca) Sempre tive vontade de escrever contos/crônicas e nunca veio a inspiração no momento, e você escreve tão bem e com uma riqueza na escrita que me deixou fascinado... Parabéns :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Owmm Lucas, muito obrigada mesmo. Desejo a você muitas leituras e muitas inspirações. Quero ler um texto seu um dia. Beijos

      Excluir
  8. Oie Faby,
    Ual, você escreve tão bem e fluidamente que dá gosto de ler. Gostei muito dessa crônica. Parabéns viu!
    Beijos
    Bru, Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, Obrigada. Fico muito feliz ao ler que você gostou <3 Bjs

      Excluir
  9. É isso mesmo! Como diz o ditado, quem vive de passado é museu. Temos que aprender com erros e enfrentar nossos medos. A vida é uma só e muito preciosa para ficarmos pensando no que poderia ter sido.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Quem se apega muito ao passado acaba esquecendo viver. ;)

      Excluir
  10. Olá!!

    Lindo e intenso! Eu me vi no texto e refleti. Vou levar comigo com certeza para reler. A vida é uma só e curta para se ter arrependimentos de não vivê-la.
    Parabéns, você escreve muito bem!

    bjs
    Fernanda Y.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fê, muito obrigada. Fico feliz que o meu texto tenha te tocado de forma tão positiva. Bjs

      Excluir
  11. Simplesmente amei essa crônica! Uma bela reflexão sobre as escolhas que fazemos, muitas vezes por necessidade. Os fantasmas devem permanecer no passado e quem sabe ainda haja tempo para se fazer tudo aquilo que não foi feito? Devemos aproveitar a vida sem arrependimentos.
    Parabéns pelo texto!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cidália, tudo bem? Obrigada, fico feliz que você tenha gostado da leitura. Muito verdadeiro o que você pontuou " devemos aproveitar a vida sem arrependimentos" afinal o que não podemos mudar, não devemos lamentar não é? a vida é muito curta, e é só uma. Bjs

      Excluir
  12. Olá!
    Você escreve muito bem! Parabéns!
    Gostei muito da crônica e do tema que você abordou. Quantas e quantas vezes a gente se pega lembrando, se lamentando, vivendo no passado? Sentir saudade, se sentir nostálgica, é normal. O que a gente não pode é deixar de viver o presente por conta dos fantasmas do passado.
    Ótimo texto!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, tudo bem? Obrigada. Que bom que você curtiu a leitura. É verdade não podemos deixar que os fantasmas do passado influenciem o nosso presente. Precisamos viver, e viver bem. Bjs

      Excluir
  13. Oi Fabi,
    Adorei seu texto e o tema que você abordou. É complicado deixar a vida seguir o rumo em que não estamos satisfeitos, onde a intenção mais é o poder aquisitivo e não a identificação, uma hora o preço disso chega e a frustração é inevitável mesmo. Mas atitudes já foram tomadas e isso não dar para mudar, o jeito mesmo é seguir em frente e fazer novos caminhos.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tammy, obrigada. Sim, é verdade como eu citei em um comentário acima, o que não pode ser mudado não deve ser lamentado, precisamos viver o hoje e tentar fazer um amanhá melhor. Bjs

      Excluir
  14. Que crônica mais linda menina, fiquei apaixonada e quero mais postagens assim hein, gostei da foto também que está bem marcante, parabéns pela linda <3
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Morgana, obrigada. Vamos ter mais postagens assim sim, espero por você aqui em breve. Bjs

      Excluir
  15. Ola Fabiana, o texto está perfeito e intenso, adorei! Uma reflexão sobre a vida e verdadeira. Bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Danni, que bom que você gostou <3 Bjs

      Excluir
  16. Olá, tudo bem Fabiana?

    Adorei o seu texto, ficou muito bom mesmo, adoro reflexões!
    Os fantasmas sempre me perseguem!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Obrigada, que bom que você gostou.
      Não deixe que esses fantasmas influenciem a sua vida mais do que já fizeram. Deixe-os no passado e seja muito, mas muito feliz mesmo. Bjs

      Excluir
  17. Oi Faby! Tudo bem?
    Adorei sua crônica! Muito boa guria. Espero poder ler mais dessas por aqui! Bjo e sucesso querida! Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sophie obrigada <3 volte para ler mais sim. Bjs

      Excluir
  18. oi ^^
    menina adorei teu texto. me fez viajar aqui em pensamentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Alice, que bom que você gostou. Volte mais vezes.Será um prazer faze-la viajar em pensamentos de novo. Beijos.

      Excluir