Amiga íntima das crônicas|| A vida e a bicicleta









Toda criança um dia deseja uma bicicleta, e eu desejava com todas as minhas forças uma bicicleta: linda, rosa, cheia de florezinhas. Lembro-me perfeitamente da emoção que senti, no meu aniversário, quando vi o meu pai tirar ela do carro! Era a bicicleta mais linda que já tinha visto em toda a minha vida, chorei muito quando a ganhei, não esperava aquela surpresa.


Seguiram-se os dias, e com eles, as minhas várias tentativas para aprender a andar de bicicleta. Me imaginava com ela em tantos lugares e em dias diferentes, mas para que esse sonho se concretizasse, eu teria que aprender a andar! Era duro ter paciência e ao mesmo tempo confiança de que naquela próxima tentativa eu não cairia novamente. Eu sabia que tinha de ser perseverante para encerrar mais um dia sem essa conquista. Para falar a verdade isto é horrível pra uma criança com tanta energia e ansiosa para aprender.



Passaram-se os dias, e finalmente eu consegui! A emoção tomou conta de mim. Era quase a mesma sensação de quando a ganhei dos meus pais... -Agora sim! Era tudo que eu precisava (disse a mim mesma).

Sai muito com os amigos, me diverti bastante, corri com ela na chuva, no sol... uma série de belas histórias, mas ainda sim cai muito, e por isso a levei ao conserto diversas vezes. Eu a vi envelhecer, perder a cor viva do rosa e daquelas florezinhas... Apesar do tempo ainda sim era a bicicleta mais linda e bem cuidada daquele bairro.


Percebi que a felicidade sempre esteve nas pequenas coisas: quando passamos naquele vestibular tão esperado; quando somos pedidas em casamento e a resposta é "sim"; quando somos aceitos naquele emprego dos “sonhos”. Algumas vezes não fazemos ideia do tamanho das dificuldades que virão, a sensação de euforia é anestésica, mas infelizmente os efeitos passam.

Como adultos temos um péssimo hábito de desistir dos nossos objetivos, mesmo que aquilo faça parte de um sonho. Todos os dias eu vejo as pessoas trancando seus cursos, se divorciando, desistindo de colocar seu currículo naquela empresa, o que era um sonho torna-se uma tentativa frustrada e é deixada de lado.


O que tenho percebido com tais situações é que a vida desde sempre nos ensinou lições valiosas que se fazem presentes nas pequenas coisas, como por exemplo: aprender a andar de bicicleta, nos ensina quando crianças a não desistir daquilo que realmente queremos, mas porque nos desistimos? Provavelmente você, assim como eu, passou pela experiência de andar de bicicleta, e sabe exatamente que a conquista é gloriosa, que nos proporciona inúmeros momentos felizes. Depois mesmo de conseguir, ainda sim existirão dias ruins e quedas feias, mesmo o tempo a deixando com uma aparência ruim, o amor por aquela bicicleta continua, pois é importante para você.


Porque não podemos pensar como crianças novamente? Porque é tão difícil para os adultos aceitarem o fato que carreiras acadêmicas, casamentos e empregos são construídos com dificuldades e que podem sim chegar lá se forem perseverantes? Que a sua vida seja como andar de bicicleta, mesmo com as várias quedas você permaneça com o brilho de tentar sempre que for preciso.




6 comentários:

  1. Olá!
    É verdade e todos os sábios dizem que devemos agir como adultos mas pensar como as crianças.
    Lindo texto, reflexivo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. OIi
    Quando somos crianças vemos as pequenas coisas com os olhos brilhando. As coisas mais simples tem um valor muito especial para nós, mas isso muda de acordo com o tempo. O que é uma pena. Se aproveitarmos mais os pequenos detalhes e as pequenas conquistas da vida, seriamos mais felizes e menos estressados.
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Olá Mary, adorei sua crônica, acho que se tivéssemos esse olhos de criança tudo série muita mais fácil *-*

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Crônica muito bem escrita e desenvolvida. Entendo como o tempo muda tudo que temos de especial e acabam transformando tudo. O melhor que temos a fazer é aproveitar tudo.
    www.saotanras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Mary, que texto lindo!
    Não sou muito de crônica, mas seu texto foi tão bonito e verdadeiro que eu gostei muito.
    Devemos agir como adultos, mas manter a esperança de crianças para nunca desistir dos nossos sonhos.

    ResponderExcluir
  6. Oii.
    Não sou muito de ler cronicas por isso não posso opinar muito, mas sua escrita é muito boa, continue assim.
    Adorei o post, parabéns.
    Beijos da Mary ;)
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

® Faces em Livros | Layout por A Design - Ilustração por Graciele Paiva