Resenha|| E não sobrou nenhum





Nome do livro: E não sobrou nenhum
Autora: Agatha Christie
Páginas: 399
Editora: Globo Livros

                             Avaliação:

Sinopse: “Dez soldadinhos saem para jantar,/ a fome os move;/ um engasgou, e então sobraram nove.” A inocente cantiga infantil ganha ares de terror quando surge em meio a dez pessoas confinadas em uma ilha, todas carregando muita história por trás e enxergando pouca esperança pela frente. Mistério quanto ao passado, tensão no presente. Na propriedade da ilha, cujo dono misterioso nem o leitor nem as dez personagens sabem quem é, Agatha Christie construiu o romance policial mais famoso de todos os tempos.








E não sobrou nenhum, é um livro escrito por Agatha Christie, popularmente conhecida como a "Rainha do Crime" e a melhor escritora de romances policiais de todos os tempos. O livro inicialmente tinha o nome de O Caso dos Dez Negrinhos, porém, causou polêmica e foi acusado de racismo, recebendo então o nome de "E não sobrou nenhum".


Esse misterioso romance policial conta a história de 10 personagens – o juiz Wargrave, Vera Claythorne, Philip Lombard, miss Emily Brent, o general Macarthur, o doutor Armstrong, Tony Marston, Mr. Blore, e Mrs. e Mr. Rogers - introduzidos cada um em um capítulo, guardando em segredo a verdade de traições e crimes que foram isentados de culpa. Além disso, o que os personagens logo descobrirão, é que compartilham algo a mais de semelhante: o convite de hospedagem à Ilha do Soldado por um tal de “Mr. Owen”.

Cada personagem é convidado de maneira diferente, através de cartas ou intimações atendendo ao interesse de cada um. Wargrave é um juiz aposentado que viaja, a convite de uma carta enviada por uma velha amiga, em um vagão até os arredores de Devon, onde uma barca o espera para levá-lo à ilha do Soldado, assim como o general Macarthur, que também é convidado para relembrar os velhos tempos entre antigos amigos. Surge, para Vera Claythorne, que trabalha com crianças, uma boa oportunidade de trabalho: ser a governanta da mansão na ilha, enquanto que Philip Lombard, que é um soldado desprovido de humanidade, é contratado para fazer a segurança ou qualquer trabalho que Mr. Owen" possa  lhe mandar em troca de um bom pagamento. 


Temos também, a personagem Miss Emily Brent, que é uma solteirona e religiosa fervorosa, que vai à ilha para passar as férias e se encontrar com uma conhecida de uma casa de veraneio, embora seu nome, na carta, estivesse ilegível. O doutor Amstrong, é um médico  convidado profissionalmente, assim como Mr. Blore, contratado através de uma agência de investigações para passar-se por hóspede e vigiar os demais, enquanto Tony Marston, um jovem imprudente e egocêntrico, vai à ilha a procura de diversão. E por fim, temos o casal Rogers, que são contratados para organizar o local e cuidar das necessidades dos hóspedes.

Após a comoção pela compra da Ilha do Soldado (originalmente a "Ilha do Negro", no livro O Caso dos Dez Negrinhos), surge a notícia de que esta havia sido vendida por um milionário norte-americano fanático por iatismo, que teve que desfazer-se dela por conta dos enjoos de sua mulher ao mar. Novamente, noticiada pela imprensa, a ilha é encoberta pelo mistério de quem é realmente o novo dono. Porém, ao chegarem lá, os hóspedes deparam-se com um espaço belo e pacífico, em que logo na primeira noite, quando seus delitos são expostos, descobrem não passar de uma armadilha, e, que estavam sendo confinados com um estranho que orquestrava seus assassinatos de acordo com uma antiga rima infantil:

“Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;Um deles se engasgou, e então sobraram nove.Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito; Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;Um não quis mais voltar e então sobraram sete.Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.Seis soldadinhos com a colméia, brincando com afinco;A abelha pica um, e então sobraram cinco.Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;Um ficou em apuro, e então sobraram quatro.Quatro soldadinhos vão ao mar, um não teve vez,Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.Três soldadinhos passeiam no zoo, vendo leões e bois,O urso abraçou um, e então sobram dois.Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;Um deles se queimou, e então sobrou só um.Um soldadinho fica sozinho, só resta um;Ele se enforcou,E não sobrou nenhum.”

Um tribunal é organizado, e o juiz Wargrave passa a analisar junto com os hóspedes quem é realmente o culpado pelos crimes, e quem poderia ser o assassino. Após algumas histórias esclarecidas, uma pergunta surge: Eles estão mesmo sozinhos na Ilha? Ou o assassino está disfarçado entre eles?

O lugar, então, passa a ter um ar sombrio, quando os hóspedes passam a temer o mistério que ela esconde, vivendo entre dias ensolarados e tempestades que dificultam o retorno para solo firme e seguro. Os acontecimentos noturnos e os soldadinhos de porcelana (estes que ficam encima da mesa de jantar) que vão sumindo ao longo dos assassinatos, contornam um ambiente envolvente, juntamente com o desejo de descobrir quem é o verdadeiro assassino.

Recomendo o livro para aqueles que gostam dos romances policiais em geral, e principalmente os de Agatha Christie. Não costumo muito ler este estilo de livro, mas mostrou-se envolvente, por isso o li rapidamente querendo saber o que iria acontecer com os personagens; o que eles realmente escondiam; se eram culpados ou não por seus crimes, e quem era realmente o assassino. Em toda a leitura do livro, fiquei sem ter uma ideia exata de quem poderia ser o assassino (risos), ficava oscilando entre suspeitas. É um livro simples, mas surpreendente!





19 comentários

  1. Oi, Cat!

    Quando eu era adolescente, li vários livros de Agatha e amava todos.
    O problema é que hoje em dia eu nem me lembro de nenhuma das histórias. Quero muito voltar a ler os livros dela e reler os livros de que tanto gostei.
    E com certeza esse já está na lista.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sandra, que bom! É sempre gostoso reler nossos livros favoritos! Confesso que este é o primeiro livro de Agatha que leio, mas o modo como ela escreve e o estilo de história me fazem querer ler vários de seus livros.
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá!
    Esse é o clássico "Caso dos dez negrinhos, achei esse livro genial.
    apela resenha ficou ótima.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia, obrigada! E não sobrou nenhum é realmente um livro surpreendente.
      Bjos!

      Excluir
  3. Olá,
    Achei super legal a autora pegar a cantiga antiga e usar de inspiração, transformando em uma trama cheia de suspense.
    Não estou habituada a ler livros do gênero, mas gostei da dica e também de saber que o livro é envolvente.
    Acredito que ficaria como você, cativada e tentando descobrir o que aconteceria com os personagens.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michele, também não estou habituada a ler livros de romance policial, mas este é um livro que vale a pena a leitura. Você se envolve com os personagens e o enredo. E o incremento da cantiga no livro torna tudo mais fantástico!
      Beijos.

      Excluir
  4. Oiii, como vai?
    Menina eu sou completamente louca para ler esse livro, ganhei ele um tempo atrás, mas a minha edição é bem simples mesmo, espero ler em breve e adorei a sua resenha <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgana, muito obrigada! =D
      Espero que você curta a leitura, pois vale a pena. É bem envolvente.
      Beijos

      Excluir
  5. Minha irmã lê muitos livros da Agatha e sempre comenta comigo sua genialidade! Esse me pareceu bem instigante e com certeza vou ler! Ótima resenha! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Mayara. Obrigada! Espero que você goste da leitura!
      Beijos!

      Excluir
  6. Eu conheço esse livro, na verdade eu já tentei ler numa das minhas tentativas de sair da minha zona de conforto, mas infelizmente não tive muito sucesso, mas recomendo a todos que curtem o gênero, ótima resenha como sempre.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Karine! =D
      Também não costumo muito ler livros nesse estilo, mas dessa vez resolvi mudar um pouco o estilo de leitura. Mas enfim, se um dia sentir-se atraída por lê-lo, é uma boa indicação, como dissestes. Beijos!!!

      Excluir
  7. A sinopse e sua opinião na resenha me deixou muito entusiasmada, gosto dos livros da Agatha, ela realmente tem uma imaginação incrível. Bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Danielle, os livros de Agatha possuem uma genialidade incrível.
      Obrigada pelo comentário! Bjkas =*

      Excluir
  8. Olá,

    Eu gosto muito dos livros dessa autora os qual eu conheci por meio de um amigo, esse ainda eu não li, mas depois da sua resenha percebi que preciso fazer isso o mais rápido possível.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Vivianne, espero que desfrute da leitura!
      Beijos

      Excluir
  9. Amoooo/sou romances policiais, mas nunca li nenhum da Agatha Christie :( Estou morta de vontade de ler *-* e sua resenha me deixou ainda mais com vontade!!

    Amei a resenha <3

    Beijos ... Carol :)

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?
    Estou me aventurando agora na escrita da Agatha Christie, comecei por Assassinato no expresso do oriente e estou adorando. Com certeza vou adicionar esse a lista.
    Adorei o post, parabéns
    Beijos da Mary
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir